Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2007

Ensino médio: círculo vicioso

Já apontamos algumas colocações absolutamente ridículas do ministro Fernando Haddad, mas essa da Folha Online de 18/09 é a gota d´água:
De acordo com o ministro, em 2004 o governo apostava que, se as oportunidades de acesso ao ensino superior fossem ampliadas, a qualidade do ensino médio cresceria. Porém, nem o ProUni (Programa Universidade Para Todos) nem a expansão das federais surtiram o efeito pretendido. "Os indicadores, pelo menos até 2005, demonstram que essas iniciativas não têm impactado satisfatoriamente a questão da qualidade."
Haddad afirmou ontem que, agora, a saída do governo para melhorar a qualidade do ensino médio é expandir as escolas técnicas federais --o número de unidades deve subir de 140 para 354 nos próximos três anos.
O ministro defende ainda a discussão de um novo currículo para o ensino médio pois o atual "está um pouco fora de moda".
O ministro chegou à conclusão de que o ensino médio vive uma crise aguda. Aleluia! E o governo pensava que o…

Texto da professora Glória Reis

Nossa amiga Glória resolveu solidarizar-se com o EducaFórum após ler o comentário da professora que chamou nosso blog de "merda".
Agradecemos à Glória pelas suas colocações consistentes e objetivas. É isso que tanto falta neste país onde as pessoas não pensam com a própria cabeça e limitam-se a pertencer a uma "panela". Ser "contra" ou "a favor" de algo ou de alguém: esta é a verdadeira paixão nacional! Um país de Marias-vão-com-as-outras... Quanto a xingamentos e linguajar de baixo nível, nada disso nos atinge. O que nos entristece é a mesmice dos comentários e a falta de conteúdo. Por outro lado, ficamos felizes de poder contar com o apoio de pessoas como a Glória, a Caroline, a Vera, a Cida, o Leandro, a Cremilda, o Mauro... Gente que retira a sujeira de baixo do tapete e aponta para verdadeiras soluções.Ah! Assistam o vídeo apresentado no post "Mídia: nota zero!" e percebam que os alunos xingaram a professora somente no final da gr…

Mídia nota zero!

Nunca, desde o início dos anos 90, o “clima” dentro das escolas foi tão ruim. E a mídia nunca foi tão incompetente para tratar do assunto. Basta acompanhar as últimas matérias sobre violência nas escolas para perceber que a pauta é dada pela corporação. Como foi dito em um comentário, é só o aluno torcer um cabelo de um professor para ser "demonizado". Ninguém lhe pergunta se foi por legítima defesa ou por ter sido provocado à exaustão. Alguns exemplos recentes:

- Em São Bernardo do Campo, SP, professora corre atrás de aluno até o banheiro (qual o motivo mesmo?...), ele bate a porta e o dedo da professora vai para o chão. Lugar de professor é onde mesmo?...

- Em Fernandópolis, SP, uma aluna é retida à força pela professora dentro da classe, para receber punição devido à falta de uniforme. A aluna tenta desvencilhar-se e empurra a professora, que bate o braço contra o quadro negro, fraturando um osso. O repórter não perguntou para a aluna suas razões, nem mencionou (e ele sabe?…

Vergonha nacional

A nossa amiga Adriana http://blogiana.blogspot.com/ publicou o post abaixo sobre a multimistura, um preparado nutricional à base de farelos de arroz e trigo, folha de mandioca e sementes de abóbora e gergelim, com valor nutritivo 20 vezes maior do que a comida distribuída na merenda escolar de todo o País. Hoje, mais de três décadas após sua formulação, a multimistura é adotada por 15 países. Entretanto, no Brasil apenas o estado de Tocantins a adotou em política pública. O governo prefere favorecer a Nestlé e seus preparados industrializados, 120% mais caros. Mais uma vergonha nacional!
Na revista "Istoé" desta semana (clique aqui para ler a reportagem na íntegra), foi publicada uma reportagem sobre a pediatra Clara Takaki Brandão (mãe da minha grande amiga Elia) e o que ela vem passando nos últimos meses para garantir o "Direito a Cidadania" e a boa nutrição (trabalho orientado e desenvolvido por ela, conhecido como "multimistura"). Seu trabalho ficou co…

O escândalo da merenda

A questão da merenda escolar sempre foi tratada como problema menor, em um país onde a maioria dos bem nutridos não dá a mínima para aqueles que não têm o que comer. É muito comum ouvir frases como: "Escola não é lugar para servir refeições!" Reproduzindo o que ouvem em casa, muitas crianças perguntam inocentemente para alguns colegas: "Na tua casa não tem comida, não?". Essa postura faz com que o assunto não seja levado a sério pelas autoridades. De vez em quando "estouram" pequenos escândalos envolvendo a manipulação das verbas da merenda escolar, mas são rapidamente esquecidos e nunca se chega a um padrão de qualidade, que poderia ser facilmente atingido com a fiscalização da própria comunidade em cada escola. Mas qual a secretaria da educação que tem interesse em manter uma "linha direta" com os pais de alunos?... Não, isto seria muito comprometedor, pois, além das denúncias sobre merenda escolar viriam também aquelas sobre a aula vaga, sobr…

Reprovação? Não, muito obrigado!

Para os que dizem que este blog "faz a caveira" do professor, segue o excelente artigo do PROFESSOR Vitor Paro, com mais esclarecimentos sobre as mazelas da reprovação. Alguém já contabilizou quantos professores, neste blog, se manifestaram contra a reprovação?...
A dica é dos amigos do Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro. Obrigado, Ribamar!
Pouca coisa é tão cercada por equívocos, em nossa escola básica, quanto a questão da reprovação escolar, que se perpetua como um traço cultural autoritário e anti-educativo. Começa pela abordagem errônea de avaliação na qual se sustenta. Em toda prática humana, individual ou coletiva, a avaliação é um processo que acompanha o desenrolar de uma atividade, corrigindo-lhe os rumos e adequando os meios aos fins.
Na escola brasileira isso não é considerado. Espera-se um ano inteiro para se perceber que tudo estava errado. Qualquer empresário que assim procedesse estaria falido no primeiro ano de atividade. E mais: em lugar de corrigir os erros, …

Bibliotecas fechadas!

Sempre que pais e alunos de alguma escola nos procuram por algum motivo, aproveitamos para perguntar: a biblioteca da sua escola funciona? Em 90% dos casos, a resposta é não.
Em clima de "saudade", lembramos que no ano 2000 publicamos em nosso antigo site uma matéria sobre a falta de biblioteca nas escolas e lançamos a mesma pergunta. O resultado foi o mesmo.
Na maioria das escolas existe uma sala onde se amontoam livros e revistas, mas muito raramente a porta dessa sala se abre para os alunos. O argumento para justificar a ausência de uma biblioteca dentro da escola é sempre o mesmo: "Faltam funcionários para catalogar os livros e fazer o atendimento dos alunos". Ledo engano.
Para fazer uma biblioteca funcionar, basta que a equipe docente da escola tenha interesse e envolvimento no assunto. Bastaria um pequeno mutirão para ativar uma biblioteca escolar, pois cada disciplina tem livros e revistas de interesse para utilização em sala de aula. Mas a maioria dos profes…

Luto na educação

Esta semana estivemos ocupados com uma escola onde alunos estão sendo agredidos física e moralmente por professores, funcionários e diretores. É uma daquelas escolas que chamamos de “faroeste”, onde tudo é ao deus dará: profissionais relapsos e incompetentes, alunos tratados aos gritos e ameaças, clima de terror. A comunidade teme que a situação piore ainda mais, já que um aluno chegou a ser agredido por um profissional que não foi sequer advertido. Os poucos pais que têm a coragem de cobrar providências da direção são ameaçados e temem pela integridade de seus filhos.

Como já dissemos aqui muitas vezes, escolas desse tipo – quantas existem neste Brasil!!! – precisam de intervenção imediata, mas a nossa maior preocupação é preservar os pais e alunos que têm coragem de vir a público denunciar os fatos.

Infelizmente a mídia não dá nenhum apoio às famílias que ousam apontar as falhas da rede pública de ensino. Um exemplo típico é o editorial do jornal Agora São Paulo de 01/09, do qual repr…