Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2008

Mais uma professora OH!

Vejam que maravilha: mais uma professora estadual que não se dobrou à truculência dos sindicalistas que tentaram pressioná-la para entrar na greve! Um deles, inclusive, lhe disse que se estava contente com o salário que recebia, então suas aulas deviam valer bem pouco... É a professora Edilva Bandeira, que mantém o blog http://edilvabandeira.zip.net/. Ela disse que vai continuar dando suas aulas tranqüilamente e não vai ser tutelada por esses "pseudo-líderes equivocados, intolerantes e autoritários". Viva!!!Em suas próprias palavras:Acredito na educação pública, estou nela há 10 anos como professora efetiva de Língua Portuguesa na escola Arno Hausser de Ilha Solteira-SP. No momento enfrento a agressividade e intolerãncia de alguns colegas por defender o meu direito de permanecer dando aulas em meio a uma greve que eu considero despropositada, inútil e corporativa. Abraços e vamos continuar lutando por uma educação pública de qualidade, mas sem greve, cujo objetivo é defender…

O ECA no lixo!

Nos anos de 1998 e 99, quando houve as primeiras grandes rebeliões na Febem que resultaram em motins, incêndios, mortes (dificilmente você vai lembrar disso, este é um país sem memória e sem estudos sociológicos que documentem essas aberrações), eu visitei várias vezes a vergonhosa, hoje extinta unidade Imigrantes da febem, onde vi adolescentes de roupas esfarrapadas encolhidos no chão com as mãos atrás das costas, com marcas de tortura pelo corpo, dormindo em colchões atirados no chão, inclusive nos banheiros, onde aliás tomavam banho frio sem toalha e qualquer privacidade. Alguns mais "afortunados" tinham a escova de dentes dependurada no pescoço, pois durante o dia não havia onde guardá-la. Imagine um adolescente tendo que carregar a escova no pescoço, como se fosse uma chupeta...Quando eu falo que a escola é a grande responsável pela lotação das "febens, hoje casas" ninguém acredita. Pois então leia a matéria publicada hoje na Folha de São Paulo: Jovem sofre co…

Ora, o Ministério Público!

Vocês estão acompanhando a história do casal de Timóteo, MG, que tirou os filhos de uma escola ruim para dar-lhes educação em casa? Os pais respondem a processo cível por infringir o ECA e a outro criminal, podendo até perder a guarda dos filhos, pois a legislação brasileira obriga os pais a matricular os filhos na escola, só não obriga a escola a prestar para alguma coisa, nem mesmo a garantir que os alunos não percam a educação que recebem da família!

Os dois irmãos, de 14 e 15 anos, estudam há dois anos em casa, orientados pelos pais e com auxílio da Internet, e já passaram no vestibular de uma faculdade de direito, o que foi anexado ao processo, para mostrar que estão muito mais adiantados que seus antigos colegas de escola.

Os pais já foram condenados, em primeira instância, ao pagamento de multa de 12 salários mínimos e à obrigação de rematricular os filhos. Eles recorreram da sentença: "É um absurdo. Estão tratando a gente da mesma forma que tratam os pais que negligenciam a…

EXTRA, EXTRA, EXTRA!

Em tempo: a eleição do Conselho de Escola da famigerada EMEF Imperatriz Dona Amélia, a escola onde os professores "brincam" de tirar o sapato do pé de um aluno para atirá-lo nas costas de outro, foi finalmente marcada para o dia 2 de julho. Evidentemente, a direção não conseguiu ainda compor a chapa que lhe convém e teve que adiar novamente a eleição. Tomara que ela finalmente consiga! Afinal, essa eleição está atrasada de apenas um semestre... E quem é que vai fiscalizar? Os vereadores da Comissão de Educação?! Não, eles têm coisas muito mais importantes para fazer: como você acabou de ler no último post, este mês eles estiveram ocupados com a instituição do Dia da mulher do samba paulistano. É um grande alívio que eles tenham chegado a um consenso e finalmente estipulado uma data (qual?) para essa importante efeméride. No mês que vem, julho, eles deverão discutir a questão do nome da Rua Professor Rubens de Almeida, que é vital, pois, se não há professores na sala de aula,…

Samba do crioulo doido

Já que a Secretaria Municipal da Educação de São Paulo - SME costuma dar uma de avestruz para as graves denúncias que lhe enviamos, como a da EMEF Imperatriz Dona Amélia, recorremos à Comissão de Educação da Câmara Municipal, formada por sete vereadores de partidos diferentes, para que possa exercer seu “papel de fiscalização” com a isenção necessária.

Pois bem: o Secretário Municipal Alexandre Schneider deveria ter comparecido à Reunião da Comissão de Educação na Câmara Municipal para prestar contas aos vereadores ontem, 25 de junho. Mas ele alegou compromissos “mais importantes” e não foi. Os vereadores, então, resolveram aproveitar a reunião para discutir seus importantíssimos projetos para a melhoria da educação, cultura e esportes em São Paulo. O ponto alto da reunião foi a aprovação do projeto que certamente será da maior importância para a cidade: o Dia da Mulher do Samba Paulistano.

Veja aqui os belíssimos projetos dos nobres vereadores e leia mais no blog da Cremilda http://cre…

A mídia acordou???

Trecho de editorial da Folha de São Paulo de 18/06/08:

As paralizações sucessivas de professores decerto não constituem o único fator a perturbar as já deficientes aulas na rede estadual de ensino de São Paulo. A elas devem somar-se um nível absurdo de absenteísmo docente, da ordem de 12,8% (ou quase 30 mil mestres fora de classe a cada dia), e a troca constante de professores. Só em 2008, um contingente de 51 mil dos 130 mil professores efetivos já se transferiu de escola. Não há plano de ensino que resista a tanta conturbação do cotidiano escolar. Apesar disso, a Apeoesp (sindicato dos professores) não hesita em prejudicar os alunos com uma nova greve, como a declarada na sexta-feira. Nos primeiros dias de paralisação, uma ínfima parcela dos 230 mil mestres da rede aderiu ao movimento paredista.Os grevistas pretextam mais uma vez defender as condições de trabalho e a qualidade do ensino. Na prática, usam o estorvo impingido aos pais e estudantes como ferramenta de pressão sobre o gov…

Terra de ninguém

Inspirados no comentário de mais um pai anônimo (que pena, hein? se todos os anônimos se identificassem...), trazemos um excelente texto da Cremilda, que bem traduz o “faroeste” da rede pública de ensino. O texto se refere ao recente caso do Secretário da Educação de Barueri, que humilhou e expulsou 41 alunos de uma única escola http://educaforum.blogspot.com/2008/05/extra-secretrio-da-educao-xingando.html, mais um assunto que já caiu no esquecimento... Só mesmo numa “terra de ninguém”!


O MAU CONSELHO DO SECRETARIO DE EDUCAÇÃO DE BARUERI

Negros e pobres não precisam freqüentar escola. Saiam daqui e vão roubar por aí!
Mães e 41 alunos ouviram esse conselho do Secretário de Educação de Barueri. A Globo e vários jornais divulgaram. O secretário de educação de Barueri expulsou esses alunos, humilhou e deu esse conselho em sua sala na Secretaria de Educação de Barueri. Ele negou, explicando que tinha vários funcionários "de cor" e que não falaria isso jamais. Valeu a palavra do Sec…

Pesquisa escolar

Se a escola brasileira nem ao menos alfabetiza, certamente a maior falha do ensino público é a falta de orientação para os alunos aprenderem a fazer pesquisa. Na era da informação, quem não souber pesquisar não tem futuro...

Os problemas são vários e graves. Em primeiro lugar, 90% das bibliotecas escolares estão inativas, o que é comprovado pela pesquisa realizada pelo Instituto Fernand Braudel
http://www.braudel.org.br/pesquisas/pdf/ApresentPesquisaPais.pdf, segundo a qual os locais mais utilizados pelos alunos para pesquisas escolares são as lan-houses - 12,6%, contra 4,5% das bibliotecas escolares. Já comentamos: pesquisar o quê, em biblioteca fechada?...

Mas a questão das “pesquisas” em lan-houses é ainda mais grave: além de comprovar que as escolas públicas também não oferecem aos seus alunos acesso à informática, é duvidoso que uma visita à lan-house, sem orientação, possa ajudar nas buscas.

Os pais de alunos nos escrevem que, em algumas escolas informatizadas, os alunos são deixado…

Vão enquadrar o bebê?...

Já que os assuntos por aqui estão muito quentes, que tal "espairecer" um pouco com a história do bebê que deu 52 mordidas em outro bebê numa creche em MG?
Não, eu também não vi a notícia no Jornal Nacional, foi no blog da professora Glória http://gloria.reis.blog.uol.com.br/ e só deu no jornal Estado de Minas. Só falta agora enquadrarem o bebê!...
O que acham?

Uma reprise?

A professora Suely Valente, afastada da EE David Eugênio dos Santos por manobras sórdidas de "colegas", viveu uma situação muito parecida com a que relatamos no post "Mídia nota zero".
A bola está com a SEE, que poderá ou não repetir o escândalo. Professor José Benedito, agora é com você!
Leia o depoimento da professora Suely, da caixa de comentários:

É com tristeza que acompanho o caso da EE Lucas Raschel Rasquinho. A reunião feita foi manipulada pela diretora da escola e seus puxa sacos. Um bando de desocupados que estão preocupados em proteger o próprio rabo ajeitaram toda a reunião antes do horário marcado , convidando somente as pessoas que lhes fossem fiéis a qq custo. Quando vcs entraram na sala de reunião, a mesma já estava ocorrendo a horas, os depoimentos a favor da diretora foram repassados e até o dirigente já havia feito recomendações. Tenho pena dos alunos e seus pais, que daqui por diante sofrerão perseguições massacrantes até desistirem de tudo e retir…

Mídia nota ZERO!

Advertência: este post é muito longo e algumas partes são chocantes! Vá chupando uma balinha para não engasgar, rsrs.

No último post demos um voto de confiança para a SEE. Vai ter que merecer muito!

Na terça-feira passada estivemos na EE Lucas Roschel Rasquinho, em Parelheiros, para uma reunião agendada pela própria Secretaria da Educação e pedida pelo EducaFórum em 04/06. Até aí, ponto para a SEE. Pela primeira vez um Chefe de Gabinete foi tão rápido ao agendar uma reunião numa escola, garantindo a presença do Dirigente de Ensino, da direção e da comunidade, além de participar pessoalmente. Merece por isso nossos agradecimentos. Obrigado, Sr. José Benedito!

Em compensação, coisas estranhas ocorreram...
Em primeiro lugar, os pais de alunos que fizeram as graves denúncias registradas na SEE e na Diretoria de Ensino, não haviam sido avisados da reunião. Quando tivemos a confirmação do horário, na segunda-feira, procuramos avisar alguns pais, na medida do possível. A reunião estava marcada p…

Um voto de confiança!

Estivemos hoje na Secretaria da Educação do Estado - SEE: eu, Mauro, Cremilda, pais e alunos. Pela primeira vez em muitos anos fomos tratados com bastante atenção e respeito, pelo Chefe de Gabinete, pelo novo Coordenador da COGSP e pela Coordenadora da CEI. Todas as nossas denúncias e reivindicações foram anotadas. A SEE prometeu ação imediata com respeito aos problemas colocados sobre a EE Lucas Raschel Rasquinho - leia o caso aqui http://educaforum.blogspot.com/2008/05/flores-para-esses-pais.html e a EE Padre Josué Silveira de Mattos - leia aqui http://educaforum.blogspot.com/2008/02/parabns-juiz-misael.html. Com respeito às questões antigas que nunca foram levadas a sério pela SEE - autoritarismo, expulsão de alunos, manipulação dos Conselhos de Escola e outros assuntos colocados - os coordenadores da COGSP e da CEI se comprometeram a fazer uma reunião conjunta para estudar soluções e dar uma posição dentro de 15 dias. Aceitamos o prazo e estamos dando um voto de confiança à SEE, d…

Finalmente, uma professora OH!

A nossa amiga professora Danielle, do Rio de Janeiro, resolveu colaborar com o EducaFórum encaminhando à Secretaria Municipal da Educação do Rio de Janeiro a denúncia feita no post "Decorar o atlas?". Demorou oito anos, desde o início de nossas atividades na net, para aparecer um profissional com a coragem de se expor publicamente e defender os direitos do aluno.
Nosso muito obrigado, Danielle! Mães e pais do Rio de Janeiro, aproveitem a informação da professora Danielle:

A SME orientou todas as CREs para que as escolas não solicitassem material escolar além de caderno, lápis, borracha, ou seja, material individual do aluno. Esta mãe tem que encaminhar uma queixa à CRE que responde pelo bairro onde está a escola.Tanto a escola quanto a diretora e a professora ou professor podem ser advertidas.

Decorar o atlas???

Infelizmente nosso tema principal continua o autoritarismo, pois a escola brasileira é autoritária e fim de papo. Ah, como gostaríamos de falar de coisas mais amenas!... Mas não: a enxurrada de mensagens que nos chegam não fala mesmo de flores.

Uma escola autoritária nunca é uma boa escola. O autoritarismo exclui o diálogo, denota descaso e desinteresse pela pessoa do aluno, considerado apenas um número para a escola receber as “sagradas” verbas que somem misteriosamente, enquanto aumentam as goteiras e a merenda diminui. O desvio das verbas da educação não sensibiliza a “opinião pública” brasileira, formada por dez por cento da população cujos filhos estudam na rede particular. Há um consenso na sociedade, de que a escola não precisa alimentar os alunos. O que mais se ouve são frases como esta: “Escola tem que fornecer ensino, não comida”. Os filhos dos outros que se danem...Até parece que o ensino é "fornecido" embaladinho e redondinho! Se não existe compaixão nem mesmo pel…