Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2009

Oraçao do professor

por Antonio Pedro Schlindwein
Dai-me, Senhor, o dom de ensinar,dai-me esta graça que vem do amor.Mas, antes do ensinar, Senhor, dai-me o dom de aprender.Aprender a ensinar. Aprender o amor de ensinar.
Que o meu ensinar seja simples, humano e alegre, como o amor. De aprender sempre.Que eu persevere mais no aprender do que no ensinar.
Que minha sabedoria ilumine e não apenas brilhe.Que o meu saber não domine ninguém, mas leve à verdade.Que meus conhecimentos não produzam orgulho,mas cresçam e se abasteçam da humildade.
Que minhas palavras não firam e nem sejam dissimuladas,mas animem as faces de quem procura a luz.Que a minha voz nunca assuste, mas seja a pregação da esperança.Que eu aprenda que quem não me entende precisa ainda mais de mime que nunca lhe destine a presunção de ser melhor.
Dai-me, Senhor, também a sabedoria do desaprender,para que eu possa trazer o novo, a esperançae não ser um perpetuador das desilusões.Dai-me, Senhor, a sabedoria do aprender.Deixai-me ensinar para distribu…

A escola TABU, a série - Número 3

O relato a seguir é de uma mãe cuja filha adolescente foi expulsa da escola, junto com mais 4 meninas, por terem feito uma brincadeira de mau gosto na Internet. Esclareço que essa brincadeira não acarretou vírus em computadores ou qualquer dano grave a ninguém. Algo muito mais "light" do que a comunidade do Orkut "Professoras Assassinas", que só foi desativada depois que nós lutamos arduamente para isso, denunciando "educadores" que sugeriam aos seus colegas, por exemplo, colocar maconha na mochila dos alunos para incriminá-los e se livrarem deles...
Brincadeiras adolescentes, antigamente, eram tratadas de forma pedagógica, mas hoje a escola expulsa os alunos, pois não há interesse em EDUCAR: a prioridade é se livrar do aluno que, de alguma forma, incomoda a buRRocracia vigente. Essa história acabou como sempre: sem conseguir enfrentar o autoritarismo da rede, as alunas mudaram de escola - se é que alguma delas já não evadiu, pois seu histórico escolar já…

Autoritarismo ao cubo

Se alguém ainda tinha alguma esperança de que a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo viesse a democratizar a rede, pode definitivamente tirar o cavalinho da chuva!

Além de declarar publicamente que os Conselhos de Escola têm o direito de julgar (sic) e expulsar alunos, além de bloquear em seu site o acesso às mais de 20 verbas que cada escola recebe, impedindo a fiscalização dos pais, agora a SEE também bloqueou o acesso às notas do IDESP (Índice de desenvolvimento da educação do Estado de São Paulo) de cada escola. Tudo contra a transparência!

Que outra surpresa ainda nos reserva a SEE neste começo de ano?.. Uma coisa é certa: além de não atender nosso pedido de divulgar amplamente na mídia a eleição dos Conselhos de Escola, que em nome da ética deveria ocorrer num único dia em toda a rede, este ano a eleição acontecerá da forma mais sórdida possível. Por quê?

PORQUE, NA MEDIDA EM QUE A SEE PERMITIU E AVALIZOU QUE OS DIRETORES DE ESCOLA, DURANTE TODO O ANO PASSADO, EXPULSASSEM …

A escola TABU, a série - Número 2

Este segundo depoimento da série "A escola TABU" foi recebido de um pai de aluno de uma escola estadual de São Paulo. Muito inteligente, atuante e corajoso, mesmo assim não conseguiu atingir seus objetivos. Ele não autorizou o EducaFórum a divulgar seu nome nem o da escola, temendo mais represálias contra os filhos, por isso atendemos ao seu pedido. Mesmo anônimo, esse depoimento é extremamente revelador sobre os motivos que levam a maioria dos pais de alunos a desistirem de denunciar a "máfia da educação".E mais uma vez mostra que as autoridades não têm vontade política de mudar o grave quadro de autoritarismo que contamina a rede pública de ensino.
Grato, como sempre, pela atenção que dispensa a nós, pais. Estou novamente às voltas com a diretora da escola, que, desta vez, juntamente com a supervisora, não recebeu os pais. Mas o mais grave é que eu estava ali justamente para preencher o livro de ocorrências (que não preenchi da outra vez, e aprendi ser de suma imp…

O que cobramos, porque cobramos, de quem cobramos

Pela enésima vez vamos tentar explicar aos professores porque nos reportamos a eles (enquanto representantes principais da instituição promotora da Educação Formal) para que cumpram seu papel de educadores e não às famílias.
1 - estamos cobrando de uma instituição feita para EDUCAR: respeito, eficiência, competência e cuidado para transformar através da Educação nossas crianças e jovens, sejam eles quem forem, venham eles de que família venham, comportem-se eles da maneira que se for. Se isso nos torna alvo de xingamentos e revolta por parte de professores acho que algo vai realmente muito mal!!!!!
2 - desassociamos totalmente o valor do salário recebido da obrigação de se cumprir com ética e competência à função aceita, pois ambos foram concordados e, portanto não pode servir de justificativa não cumprir o papel de educador o fato de não receber salário condizente a suas pretensões. (Isso não retira o direito de lutar por melhores salários SEM PREJUDICAR os alunos!!!)
3 - A quem nos ch…

Sistema autoritário e corrupto

Infelizmente, as vozes que apontam a verdadeira causa do fracasso educacional brasileiro continuam muito poucas. O movimento Todos pela Educação, por exemplo, http://www.todospelaeducacao.org.br/, é mais um que gosta de apontar apenas "bons exemplos", da mesma forma como faz a revista Nova Escola que, continuamos afirmando, é a melhor revista de educação do país...
Por outro lado, a grande mídia trata o assunto educação de forma tendenciosa e irresponsável, instigada pelos sindicatos da classe e participando desse pacto pela mediocridade que impede colocar o dedo na ferida e cortar o mal pela raiz.
Enquanto a sociedade brasileira mantiver sua postura de avestruz diante do sistema autoritário e corrupto que rege a rede pública de ensino, crianças e adolescentes, filhos desta terra tão generosa e mal gerida, continuarão a ter negado seu direito a um ensino de qualidade. Crianças e adolescentes excluídos ou expulsos da escola, empurrados para a marginalidade. Famílias condenada…

Depoimento de uma professora

Sou professora e acredito que a responsabilidade pelo fracasso escolar de um aluno seja um problema MEU!!! Afinal, eu escolhi ser professora, eu sabia qual era o salário da categoria, eu sabia que não poderia parar de estudar nunca, eu tinha consciência de que a luta por melhores condições de trabalho deveria ser contra quem me paga, eu sei que preciso ser a pessoa mais habilitada para ensinar aos meus alunos, eu sei que toda a criança tem direito a um ensino de qualidade, eu sei que se peço um trabalho devo oferecer condições para que todos possam fazê-lo, eu sei também que devo ler atentamente cada trabalho solicitado e apresentar uma devolutiva que amplie os conhecimentos de cada aluno, eu sei que crianças e jovens não podem se tornar reféns de um sistema falido, hipócrita e corrupto... Por saber apenas estas coisas, escolhi ser professora!

A situação dos professores neste Brasil continental realmente não é fácil... Mas acho que não estamos cumprindo mesmo nosso papel... Meus colega…

A escola TABU, a série - Número 1

Conforme prometemos em novembro, estamos iniciando hoje uma nova série de depoimentos sobre a escola que o Brasil desconhece. São depoimentos de pais, alunos, ex-alunos, funcionários e professores da rede pública sobre o autoritarismo na escola. A cada semana será publicado um documento recebido pelo EducaFórum, fazendo luz sobre aquele que é o maior problema da educação brasileira, abafado por centenas de quilômetros de panos quentes, por todo o território nacional.

Iniciamos com um documento protocolado na Secretaria da Educação do Estado de São Paulo em 10/10/2007.

ILMA. SRA. SECRETÁRIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE S. PAULO

É com muita esperança que nós, pais, alunos e pessoas da comunidade da Vila Gustavo em São Paulo, localizada na zona norte da Capital, gostaríamos de fazer um pedido de avaliação a respeito da volta da diretora da E.E. David Eugênio dos Santos, a qual estava afastada por estar respondendo processo administrativo após sindicância feita na referida escola.

Professor "amigo da escola"...

Aluna perde parte do dedo em escola pública do Rio
Isabel Boechat - Extra
RIO - Um professor de matemática é acusado de aplicar um castigo a uma aluna, de apenas 10 anos, que deixa a antiga punição por palmatória no chinelo. O professor Aliomar Baleiro Filho decepou o dedo da pequena Lara Modesto da Fonseca - que queria ir ao banheiro à revelia do educador - dentro da sala de aula, na Escola Municipal Roma, em Copacabana. (Leia mais aqui http://extra.globo.com/rio/materias/2009/01/08/professor-acusado-de-decepar-dedo-de-aluna-intimado-depor-587989972.asp)
Segundo Lara, ela pediu duas vezes para ir ao banheiro e não teve o seu pedido atendido pelo professor de matemática.
- Na primeira vez que pedi, ele disse não. Na segunda não me respondeu uma palavra. Eu me levantei porque precisava muito ir ao banheiro. Quando cheguei na porta, levei um susto porque ele a fechou e prendeu o meu dedo. Avisei que o meu dedo estava preso e ele continuou batendo com as costas na porta pressionando o meu …

O engodo da "Educação"

Depoimento da professora Fátima Menezes


Queridos pais, colegas, amigos e alunos,

Também sou mãe de aluno, já fui professora e Diretora em escolas estaduais durante 22 anos de minha existência que hoje julgo vil... Porque posso garantir a todos vocês com a mais absoluta convicção que a única coisa que se ensina na escola pública é o descaso, a falta; de ética, de solidariedade e de amor ao próximo. Estamos todos sós, porque a verdadeira educação é gerada e gerida única e exclusivamente pela política, e, haja visto nossos políticos e a forma de atuação destes em nosso país, imaginamos como isso ocorre em tais instituições... O ato de ensinar é um engodo, que me perdoem os poucos abnegados hoje, ainda, existentes, mas, os verdadeiros educadores estão ano a ano se degradando e extinguindo-se... Concordo serem baixos os salários e as condições de trabalho muitas vezes precárias, mas, considero que este não pode e não deve ser o único objetivo de um educador. Não julgo ser a profissão digna d…

Educar ou conter?

Para começar o ano, finalmente uma visão inteligente sobre indisciplina na escola!
Leia na Revista Educação entrevista com a doutora da Unicamp Telma Vinha
http://revistaeducacao.uol.com.br/textos.asp?codigo=12593

"Precisamos ir às causas dos conflitos, e a solução tem de representar princípios de justiça. Às vezes, o problema está mesmo em uma aula que ninguém aguenta. A escola tem de ser um lugar bom para se ir."