29 maio 2016

Respeito ao aluno. Um bom começo! 1ª parte


Por incrível que pareça, após um quarto de século lutando contra a falta de respeito de que nossos alunos são vítimas em todo o país, na maioria das escolas públicas ou particulares, muitos ainda questionam a nossa "falta de compromisso" com a qualidade do ensino. Dizem que deveríamos trazer aqui textos de grandes educadores, mencionar métodos de ensino que dão certo, trazer as experiências de grandes ONG da educação que, segundo eles, fazem a diferença no país. Isso daria ânimo, esperança...

Não, ainda não chegou essa hora, infelizmente. O buraco ainda é muito, muito mais embaixo. A falta de respeito ao aluno, principalmente pela criança em fase de alfabetização, e depois pelo adolescente, que sequer consegue terminar o curso, em todo o Brasil, é de uma gravidade tamanha que virou assunto TABU.

Quando você ouve aquele chavão de que "Educação não é prioridade no Brasil", o que é que você entende? Um minuto de silêncio para reflexão...

Pois é, trata-se de um chavão mesmo, com o qual todos concordam, mas o assunto é tão grave a ponto de enxergar-se apenas a ponta do iceberg. Então fala-se genericamente em "Falta de vontade política", "Não se investe em educação", "Os salários são miseráveis", "Escolas caindo aos pedaços", "Falta de materiais pedagógicos", "Profissionais incompetentes", "Faculdades de Educação mal geridas", "Manipulação ideológica nas escolas",  "Falta infraestrutura", "Falta segurança" etc.

Mas, no fundo, tudo se resume a um único, enorme problema, sobre o qual não se fala: a falta de respeito ao ALUNO. O aluno, esse para quem a escola deveria existir, costuma ser o grande ignorado nessa questão central que é a educação básica.

Procure em todos os jornais e revistas matérias sobre educação durante os últimos anos e veja quantas vezes se falou no ALUNO. As manchetes são parecidas com as frases que estão aí em cima, entre aspas, e os assuntos são tratados de forma abstrata. Sobre o aluno não se fala! A exceção está sendo justamente este ano, mais exatamente desde o final do ano passado, com o início do espetacular movimento das ocupações das escolas. Nesse momento histórico, o próprio aluno, menor de idade, se cansou de ser tão desrespeitado e tomou a iniciativa de se apropriar do que é dele de direito, mas lhe foi negado de fato, durante décadas.

A grande mídia nacional fez de tudo para não ter que dar a devida atenção a esse movimento, ou seja, ao seu protagonista, o ALUNO. Mas não teve jeito! Essas meninas e meninos (mais meninas do que meninos!) foram tão corajosos, seguros e assertivos que não deu para passarem despercebidos e justo agora acabam de conquistar, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, a CPI da Merenda, algo que caberia a nós, adultos e responsáveis, termos corrido atrás.


A impressão que se tem é que esse movimento dos alunos, algo absolutamente inédito no país, recebeu o apoio da grande maioria da população, mas trata-se apenas de impressão. O que muito ajudou a manter o assunto em pauta foi a repercussão na mídia internacional, principalmente o apoio de estudantes do mundo inteiro, da Unicef e de muitos outros órgãos internacionais. Outro ponto "positivo", por incrível que possa parecer, foi a absurda repressão policial contra crianças e adolescentes, que escancarou ao mundo todo o autoritarismo do governo estadual de São Paulo, mostrando que a repressão exercida nas ruas é o reflexo do que se passa nas escolas e no sistema educacional como um todo.


Na realidade, devido ao autoritarismo interno nas escolas, os alunos PROTAGONISTAS ainda são muito poucos e em seu dia a dia lutam com inúmeras dificuldades, desde a clara perseguição nas escolas que frequentam, a inveja ou o preconceito por parte de colegas, dos pais de outros alunos e até de familiares.

A verdade é que o aluno começou a receber respeito da sociedade POR MÉRITO PRÓPRIO e não pelos inegáveis direitos que lhe foram conferidos já desde a promulgação do ECA há mais de 25 anos. Sim, pois esses direitos lhe foram negados durante todo esse tempo e, se a pressão não continuar de forma constante, poderá haver retrocesso.

O que mais cansamos de fazer aqui neste blog é resumir e divulgar os direitos do aluno, através dos links: Resumo Leis e Cartilha de Direitos. Mas espanta o número de reclamações e denúncias que continuamos recebendo diariamente de todos os cantos do país, como se o respeito ainda fosse uma questão menor. Por isso o nome desta nova série de posts: Respeito ao aluno, um bom começo!

Apesar de estarmos há tantos anos divulgando essas denúncias e martelando nas mudanças necessárias, vamos começar tudo de novo e dividir esta série em temas bem definidos. O primeiro será A FALTA DE SOCORRO EM ACIDENTES E DOENÇAS NAS ESCOLAS. É o que mais nos preocupa atualmente, pois é o cúmulo do absurdo que alunos não sejam imediatamente socorridos nas escolas, quando ocorre algum acidente ou mesmo quando ardem em febre. Inacreditável, não é? Pois aguarde o próximo post.

10 maio 2016

O Moita ficou na moita... e a CPI da Merenda vai rolar!




Não foi fácil entender o imbróglio que ocorreu hoje à tarde na Alesp...

Oficialmente, haveria uma reunião da Comissão de Educação que não visava a possível instauração de uma CPI da Merenda, mas a “visita” do operador do escândalo da merenda, o Moita, convidado para  dar seu depoimento. A palavra visita está entre aspas porque houve apenas um “convite”, não uma convocação...

Já fizemos duras críticas à Comissão de Educação por sua omissão com respeito à CPI, que você pode ler clicando aqui. Mas fizemos questão de comparecer à reunião, mesmo sabendo que ficaríamos esperando sentados, pois o Moita, em tendo sido apenas convidado, apareceria... a troco de que? rs

E de fato, o Moita ficou na moita... Ele não se apresentou à Comissão de Educação, foi porém visto e até abordado pelos Jornalistas Livres, veja aqui:





A reunião da Comissão de Educação foi cancelada, mas ficou difícil saber o motivo, por uma questão bem filosófica: ainda não se descobriu quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha?... Ou seja, a presidente da Comissão, a hiperautoritária Rita Passos (PSD), explicou que houve falta de quórum, mas ao mesmo tempo argumentou que o Moita não compareceu... Ela não quis papo, encerrou a reunião sem permitir que ninguém se manifestasse e todos ficaram em dúvida se a reunião foi melada por falta de quórum ou porque o Moita ficou na moita...

A questão ainda não ficou clara, mas houve uma certeza: da Comissão de Educação não sairia nada que pudesse forçar a instauração de uma CPI da Merenda. Ora, se o objetivo fosse esse, em lugar de “convidar” o Moita, os deputados da Comissão teriam se mexido há bem mais tempo, promovendo a busca de documentos junto à Secretaria da Educação e ao Ministério Público, onde o escândalo da Merenda já está sendo investigado há meses.

Só começamos a entender o que estava de fato ocorrendo na Alesp, após a tal reunião melada. Em seguida, fomos visitar os gabinetes dos deputados que haviam se posicionado contra a CPI, entregando para eles um documento cobrando sua adesão. Quando chegamos ao deputado Roberto Engler (PSDB), caiu a ficha... Bem, ele nos convidou com toda a “simpatia” de que um político é capaz (já foi visitar algum político em seu gabinete? rs) e fez questão de nos explicar que não tinha assinado o pedido de CPI porque... queria uma CPI! A CPI que ele queria não era essa proposta pelo PT, era uma CPI mais ampla, e disse que quase todos os deputados governistas já estavam aderindo a essa “nova” CPI, blá blá blá...

Saímos da Alesp tão enojados quanto costumamos ficar depois dessas visitas para os digníssimos representantes “do povo”. No entanto, horas depois, fomos surpreendidos pela notícia dos alunos da Ocupação Alesp, informando que hoje mesmo estiveram em reunião com o presidente Fernando Capez, e que o mesmo já havia conseguido os votos para essa “nova” CPI.

Sinceramente, fazemos muitos votos de que os estudantes não tenham sido enganados pelo Capez, pois até o momento, 23:30, não nos chegou uma confirmação oficial. Temos porém certeza de que, mesmo sendo uma CPI “chapa branca”, ninguém vai conseguir fazer esses alunos de bobos, veja neste novo vídeo dos Jornalistas Livres: 



Pela primeira vez uma nova geração de brasileiros nos orgulha com sua coragem, determinação e inteligência! Salve, secundaristas de São Paulo!! #OcupareResistir! 

09 maio 2016

Comissão de Educação da ALESP, que vergonha, hein!


                                                        Foto de Daltônico - Ponte dos Remédios

No dia 6 de maio estivemos na ALESP – Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, acompanhando a desocupação dos alunos secundaristas, vitoriosos em sua reivindicação de abrir uma pauta de discussão que pressione os deputados a instaurar a CPI da Merenda.


Os alunos pretendiam manter a ocupação até a abertura da CPI, mas, como é notório, um juiz desqualificado estipulou a multa absurda de R$ 30.000 por aluno e por dia de ocupação... Sem comentários, todo mundo já conhece a piada da “bunda de nenê”, né?...





No mesmo dia, fizemos questão de protocolar um documento na Comissão de Educação, reivindicando  firmeza na cobrança da instauração da CPI da Merenda, atravancada pelo excesso de CPIs “folclóricas” e tão insignificantes, que nenhum deputado lembra sequer do que tratam... (Apesar de que a maioria dos deputados, de fato, nem sabe o que está fazendo lá na Assembleia, além de defender suas mamatas!)

Os crimes que envolvem a questão da merenda nas escolas estaduais estão na pauta da mídia desde o final do ano passado, mas até hoje não mereceram nenhuma ação prática da ALESP, a ponto de os alunos terem vislumbrado como única solução a ocupação da Casa! Não houve também qualquer proposta da Comissão de Educação no sentido de promover buscas de documentos na Secretaria da Educação ou até mesmo na Chefia da Casa Civil do Governo do Estado, de onde o ex-chefe de gabinete Luiz Roberto dos Santos operava o esquema Alba Branca...

Senhores deputados, de que serve então uma Comissão Permanente e De Trabalho?... Pois é isso que deveria ser a Comissão de Educação: uma comissão de trabalho e fiscalização do Executivo! Mas não: até hoje, houve um solene descaso a respeito das reivindicações dos alunos da rede estadual!

A última notícia que obtivemos é que amanhã, dia 10 de maio, o Sr. Luiz Roberto dos Santos, ex-chefe de Gabinete da Casa Civil, foi "convidado" a dar esclarecimentos à Comissão de Educação sobre o esquema que operava. Esse "convite" foi feito também ao ex-Chefe de Gabinete da Secretaria Estadual da Educação, Fernando Padula, e ao ex-Secretário da Educação, Herman Voorwald, mas em datas futuras. Detalhe: trata-se de um convite - e não de uma convocação! É muito provável que nenhum deles aceite esse convite, ou seja, que não apareçam, então só depois disso poderá ser feita uma convocação oficial!...

Ufa, quanta lengalenga, quanta demora, quanta vergonha, quanta falta de compromisso com o aluno e a educação, senhores Deputados da Comissão de Educação da ALESP!!!


No entanto, mesmo que o Sr. Luiz Roberto dos Santos não compareça amanhã na reunião - o que seria um evento histórico! rsrs - nós do EducaFórum estaremos presentes, cobrando uma atuação mais efetiva da Comissão em favor das reivindicações dos alunos, sujeitos da escola. E isso passa também pela denúncia da reorganização disfarçada que está acontecendo nas escolas da rede estadual, que já provocou novas ocupações! Passaremos inclusive nos gabinetes de todos os deputados que se negaram a dar seu apoio à instauração da CPI da Merenda e cobraremos seu posicionamento.

Estão todos convidados a nos acompanhar, pais, alunos, educadores, cidadãos: a reunião acontece amanhã, terça-feira, às 14:00, na

Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo - Parque do Ibirapuera
Plenário José Bonifácio. Nos vemos lá!

Entenda o que é a Comissão de Educação da ALESP: ela se reune "todas" as terças-feiras às 14:00, mas até esta data do ano houve apenas três reuniões, quatro foram canceladas por falta de quorum... E muitos projetos de lei discutidos são no mínimo inconvenientes ou "folclóricos", por exemplo:

- Distribuição de "Kit Bíblico Educativo" nas escolas - nº 679/13 (Quem vai lucrar com isso? E o Estado não é laico, por acaso???)

- Inclusão na grade curricular da matéria "Uso racional da água" - nº 1066/15 (Ora, as mídias não estão mais do que divulgando esse assunto???)

E vejam este, que paradoxo: numa escola onde a merenda é bolacha seca e suco industrializado, quando tem, pretende-se instituir um "Programa de educação alimentar e nutricional", informando aos alunos os fundamentos da alimentação saudável" - nº 1523/15 (Alô, senhores deputados???)

Agora, um projeto que realmente poderia beneficiar os alunos, como a "Realização de exames de visão e audição" nas escolas - nº 958/14, foi sumariamente vetado! 

O que mais se discute lá é a proclamação de "dia disso e daquilo", tipo Dia da Ação de Graça, Dia do pastor presbiteriano, instituição de Virada cultural católica etc. etc. etc.
Deu pra desenhar?

Agora anote bem os nomes dos deputados da Comissão de Educação:

Rita Passos, PSD - Presidente 


PSDB 

-   Roberto Engler 
-   Welson Gasparini 

PT 

-   João Paulo Rillo 
-   Marcia Lia  

DEM 

-   Aldo Demarchi 
-   Rodrigo Moraes  

PSB 

-   Adilson Rossi  

PRB 

-   Gilmaci Santos

PC do B 

-   Leci Brandão 

PSOL 

-   Carlos Giannazi

Ah, o único que encontramos lá no dia 6 foi o Carlos Giannazi...