Castigo físico na escola? Nunca mais!

Estou convicta da justeza de se trabalhar pela abolição, no Brasil, de todas as formas de castigos físicos e humilhantes contra as crianças, como já fizeram alguns dos países mais civilizados do mundo.

Dep. Maria do Rosário, RS
Texto extraído do Jornal Recomeço www.plinc.com.br/recomeco

A Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 2654/03, que proíbe qualquer forma de castigo físico em crianças e adolescentes. De acordo com o texto, apresentado pela deputada Maria do Rosário, RS, a violência corporal contra crianças ou adolescentes sujeitará o infrator a medidas punitivas. Enquanto a lei tem coibido a violência praticada contra adultos, a violência contra crianças tem sido admitida, disfarçada de "recurso pedagógico". O castigo físico como forma de educação será completamente repudiado pela legislação.

Mais uma lei que demorou três anos para finalmente ser aprovada! Como sabemos, lei no Brasil não garante nada, por outro lado temos que acreditar que um dia essa situação mudará. O que falta é o grito de indignação da sociedade em repúdio à violência e à tortura contra a criança. Mas, talvez, o mais importante é que as pessoas - pais, professores, diretores de escola etc - sintam VERGONHA por sua covardia em agredir as crianças e adolescentes que estão sob sua responsabilidade. Isto poderá realmente virar a mesa.

Se somente hoje foi aprovada uma lei contra a agressão física das crianças, quando então será repudiada a violência psicológica?...

Educar pela violência é certamente uma abominação, incompatível com o atual estágio de evolução da sociedade.

Comentários

Glória disse…
Vocês fizeram uma oportuna pergunta: "Se somente hoje foi aprovada uma lei contra a agressão física das crianças, quando então será repudiada a violência psicológica?..." Oportuna e triste, porque essa só mesmo com uma mudança no coração dos "educadores".
Anônimo disse…
No Brasil, ao invés de se punir o descumprimento de uma lei, o legislador cria outra lei...

Mauro
Helem disse…
Concordo com a Glória!
E o abuso psicológico?

Olá, sou mais conhecida aqui no blog como "mãe de Itajubá".
Gostaria de propor uma reflexão a vocês, quanto à capacitação dos professores: o emaranhado de emoções, habilidades e competências que somos deve ser sempre trabalhado com estes profissionais que, além de conviverem dia a dia com nossos filhos podem estar lhes transmitindo suas angústias e delírios... o abuso psicológico SEMPRE acompanha o físico e o contrário não acontece de forma que, se hoje coibimos o segundo, se não trabalharmos de forma PREVENTIVA, talvez nunca tenhamos sucesso em combater a forma mais silenciosa de violência...
Thaysinhah disse…
Oi eu sou Thais!
Estou me formando em professora,fico muito triste como os educadores agem com as crianças, o descaso em relação ao individual da criança!Espero sinceramente poder mudar isso!!Quero ser capaz de fazer a diferença!