Um dia triste!

Do blog http://cremilda.blig.ig.com.br

Hoje é o DIA DA EDUCAÇÃO. Nossos pêsames. Só temos a lamentar hoje. São Paulo, tido como a locomotiva do Brasil, tem na educação sua ferida exposta. Um estado onde as escolas tidas como de excelência tiram nota 4. Um pais que reprova mais que as regiões mais pobres do planeta, a África. Nós somos mais miseráveis que eles em educação. Se a educação é o que determina o progresso de um pais, o Brasil, mergulhado na miséria moral e no analfabetismo, não tem nada para comemorar. Um pais onde a corporação é a prioridade, deixando os alunos ao Deus dará, sujeitos a uma escola medíocre e corrupta. Uma escola onde a impunidade e a injustiça são a tônica e a constância. Se precisamos educar os jovens para não punir os adultos, nós fazemos o contrário, abandonamos a infância e confinamos os adolescentes atordoados em Febens. Nossos melhores futuros homens, os jovens contestadores, os rebeldes e os lideres, a escola não quer. Vão procurar vaga na criminalidade. Um pais onde a falta de vagas na escola é uma chaga dolorida e vergonhosa. Um direito elementar substituído por três vagas garantidas logo que o pobre nasce. Em S. Paulo: uma na Febem, outra nas Penitenciarias do Estado e outra nas valas comuns dos cemitérios públicos. Esse é o triste balanço no DIA DA EDUCAÇÃO. QUE PENA!!!!!!

enviada por Cremilda

Comentários

Anônimo disse…
Esse tipo de colocação só denigre a escola pública que precisa de estímulo. É facil criticar, quero ver tomar atitude!
Giulia disse…
Esse é o velho discurso hipócrita de achar que a divulgação da verdade prejudica ainda mais o que já está ruim. Infelizmente, a linha direta entre a escola e a Febem ainda não está clara para a sociedade em geral, mas existe uma expressão da "classe docente" que ilustra perfeitamente tal processo: ESSE ALUNO É A LARANJA PODRE QUE CONTAMINA AS OUTRAS. Em quase todas as escolas do País essa expressão é usada como pretexto para a expulsão de alunos, a maioria dos quais acabam sendo absorvidos pela marginalidade, infelizmente mais atenta do que a escola para o desperdício da inteligência e da criatividade desses jovens. Párem de choramingar e arregacem as mangas, anônimos inconseqüentes! Esse triste balanço não passa do resultado da nossa omissão.
Anônimo disse…
PARABÉNS CREMILDA,
NINGUÉM MAIS DO QUE EU PARA CONCORDAR E ASSINAR EM BAIXO.
CONTE COMIGO, POIS JÁ ESTOU SOFRENDO AS CONSEGUÊNCIAS DE TUDO O QUE VOCÊ DISSE.
NILZA
Anônimo disse…
OI GIULIA,
O TERCEIRO COMENTÁRIO FOI FEITO PELA NILZA GARDIOLO RIBEIRO.
nilzagardiolo@uol.com.com
LEMBRA-SE DE MIM?
Giulia disse…
Claro que me lembro de você, Nilza! Não tomamos ainda nenhuma atitude com respeito ao seu sobrinho, porque você não se sentiu segura. Na hora que você quiser, é só falar, que vamos enfrentar a Ouvidoria/Surdoria. Muita força para você e toda a sua fámília!