Mais Júlio Groppa


Ainda sobre a entrevista de Júlio Groppa Aquino na Carta Capital, quero comentar mais uma colocação do professor: de que, no Brasil, a saúde funciona bem melhor do que a educação. Right! Se médicos e enfermeiros faltassem tanto quanto os professores, os hospitais seriam incendiados. Então,

a criança que vai à escola e não se alfabetiza deveria ser vista como o doente que morre na fila do hospital.

Mas ninguém se escandaliza com essa aberração. E a educação brasileira continua “matando seus pacientes”, as crianças e adolescentes que saem da escola sem saber ler e escrever direito. Isto é de uma gravidade tamanha, que merece um minuto de silêncio!

Comentários

Glória disse…
Pior do que sair sem saber ler e escrever é sair com a auto-estima destruída, levados a crer que são "burros", que não aprendem, quando, na verdade, quem não aprende é a escola...
Giulia disse…
E não aprende mesmo! Me pergunto sempre se não existe aí um toque de crueldade. Esses professores falam assim com os próprios filhos?... "Você não aprende, então você é burro!" Que coisa mais cruel.