Os crimes "di maior"


Todo o Brasil está fervendo de indignação contra os crimes "di menores". Os crimes "di maiores" costumam despertar muito menos revolta, sejam mensalão, formação de quadrilha, corrupção passiva ou ativa etc., como se não contribuíssem a ceifar vidas. Mas existe um crime "di maior" que é absolutamente ignorado, embora seja uma das maiores causas dos crimes "di menor" que tanto chocam a sociedade. Esse crime se chama CORRUPÇÃO DE MENOR e se aplica a todos que, por negligência ou propositalmente, empurram crianças e jovens da escola para a marginalidade. Esse crime "di maior" é cometido diaria e impunemente por professores e profissionais "da educação", conselheiros tutelares, políticos e até jornalistas que tendem a canalizar essa tendência da sociedade brasileira a punir os mais fracos.

Faço minhas as palavras de Mauro A. da Silva http://www.geocities.com/coepdeolho neste trecho de sua carta aberta à Folha de São Paulo em 23/07:


Toda vez que um "di menor" cometer um crime, a imprensa democrática deveria divulgar o histórico escolar do "di menor": nome da escola da qual ele foi expulso, nome dos seus professores, nome do diretor, nome do secretário de educação, nome do prefeito, nome do governador, nome do presidente... e divulgar também tudo o que o "di menor" aprendeu nas famigeradas escolinhas do crime: as febens brasileiras.Uma justa homenagem às vitimas passa também pela responsabilização e punição das autoridades públicas que fecham os olhos à exclusão escolar e ajudam a formar os delinqüentes juvenis nas febens do Brasil.

Comentários

Marco Aurélio disse…
E os crimes "di maiores" mesmo feito o que Israel está praticando?

Um abraço

Corélio
Giulia disse…
Terríveis, Marco Aurélio. Esses são crimes "di maiorais". É uma tristeza este mundo que as novas gerações estão herdando.