Aqui se aprende!


Ainda sobre a Prova Brasil, seguem informações sobre o “superCiep” de que falei outro dia, o Ciep 279, em Trajano de Moraes, RJ.

A Revista Nova Escola,
www.novaescola.com.br, informa que o Ciep 279 “Professora Guiomar Gonçalves Neves”, a 185 km do Rio de Janeiro, teve a melhor colocação em português em nível nacional e a segunda em matemática, na prova de 4ª Série. As notas são muuuito altas:

Português - 287,26 sobre 350 (média Brasil 172,09)
Matemática - 286,54 sobre 375 (média Brasil 179,98).

Quando a nota média de uma escola atinge esses níveis, alguma coisa séria está acontecendo: ou existe um regime de rigorosa seleção (e eventual expulsão) de alunos, ou existe uma supercompetência docente.

Mas esse Ciep é diferente de todos os modelos de sucesso já divulgados. Não há revolução no projeto educacional, nenhum professor ainda tem graduação em Pedagogia e até a infraestrutura é pobre: falta sala de informática, a biblioteca possui pouco mais de mil livros e o prédio precisa de reformas.

Parece que o segredo da escola é a união e a afinidade da equipe profissional, comprometida com a tarefa de ensinar e aproveitar bem os recursos disponíveis.
- Nosso primeiro emprego foi aqui – relata Elielson Moreira Riguetti, ex-professor e hoje diretor do Ciep – Estamos juntos desde a inauguração, há doze anos. Aqui não se perde tempo com picuinhas, por isso fica fácil liderar e apontar metas.


Todos os professores cursam Pedagogia e vão concluir juntos o Ensino Superior, até 2007. Além disso, eles gastam duas horas diárias em reuniões pedagógicas.
- Aqui o planejamento é coisa séria – explica a professora Rosimeri da Silva Flores. Durante os encontros se discutem e avaliam projetos e teorias educacionais.

O clima de amizade e respeito se estende aos alunos e funcionários. O bom relacionamento entre os membros da comunidade escolar fica evidente no tratamento pelos corredores e na Internet, onde a escola mantém uma comunidade virtual.
- Convivemos sem barreiras e fronteiras. Somos todos iguais – afirma Allan Almeida, estudante do Ensino Médio, na página de abertura do site.

Os alunos de 1ª a 4ª Série estudam em período integral no sistema de ciclos. Os professores diagnosticam as dificuldades e planejam atividades com muito material concreto, resolvendo as dúvidas logo que aparecem. O índice de retenção na passagem entre os ciclos não chega a 1%.

O foco do projeto pedagógico é a leitura e a escrita. Uma atividade recorrente é a leitura e a discussão de notícias de jornais e revistas.
- Eu adoro ler em voz alta – conta Thalia Riguetti, 9 anos – No começo dá vergonha dos colegas, mas depois me solto e capricho na entonação.

Hmmm, tudo indica que essa menina tenha algum parentesco com o diretor da escola... Pronto, mais um diferencial: finalmente um diretor da rede pública que se digna misturar seus familiares com os alunos da sua escola!

Dentro do que temos discutido neste blog ultimamente, eu diria que o Ciep 279 é uma escola democrática, que pratica a progressão continuada de forma séria e correta, fazendo a avaliação e a recuperação contínua dos alunos. É isto que garante a repetência zero no final dos ciclos. Simples assim!...

Comentários

Glória disse…
Que delícia ler uma notícia dessa... Adorei! Tão simples, não é, gente!
Santa disse…
Excelente. Pena que boas experiências estão fadadas a abortar. Basta mudar prefeito, governador - a descontinuidade administrativa - e lá se vai o projeto pedagógico. Bjs
Ricardo Rayol disse…
Não sei o que pensar. De um lado um grupo academicamente despreparado mas de outro competentes pra cacete (isso se os dados do tal concurso não foram fraudados mas isso é outra estória). Acho muito legal mas ao mesmo tempo dá uma certa carta branca pra idéia de que não precisa estudar pra ser presidente do Brasil.
Giulia disse…
Boa colocação, Ricardo. Mas não sei o que se entende por "academicamente preparado". Esse pessoal está se formando em pedagogia, o que também não significa nada. Tem um monte de faculdadezinhas chinfrins por aí onde não se aprende absolutamente nada. Em educação, a prática e a paixão são quase tudo. Mas estou curiosa para ouvir a opinião de mais "educochatos"... Ah! Recebi e-mail de uma pessoa dizendo que no interior é mais fácil, porque o ambiente facilita, não tem muita distração etc. e tal. Papo furado, não é?
Vera Vaz disse…
Papo furadésimo Xipó!!!!!!!!!!!!!!
O que está dando resultado tem só um nome: RESPONSABILIDADE!
Não precisa ser nenhum gênio acadêmico pra ensinar o beabá! Não precisa de nenhum governo mandando nada para que se cumpra com seriedade a função de ensinar!
Essa é a fórmula: PROFISSIONALISMO no lugar de picuinhas!
Estudo e planejamento no lugar de fofocas!
Não entendi o comentário do Ricardo (é sobre os mitos do Groppa ou sobre essa notícia?)
[]s
Vera Vaz
Giulia disse…
Ah, xipó, você me explica por que as pessoas não conseguem postar um comentário e no lugar precisam mandar e-mail? É problema do computador delas ou é o blogger que não permite?
rodrigo disse…
VIVA LEONEL BRIZOLA E O CIEEP!!!!(ainda que estas unidades estejam na UTI e que sucessivos governos tenham tentado destruír seu sonho de um Estado forte, VIVA O BRIZOLA).
Ratapulgo disse…
Acho interessante que este resutado positivo tenha vindo de um CIEP. Não creio ser apenas coincidência, Acho que uma semente plantada décadas atrás tem o seu momento de germinar.
Loas aos CIEPS, loas aos CEUS! Amém nóis tudim!
Giulia disse…
Bem-vindo, Rata! Mas o nosso problema aqui é justamente descobrir como universalizar esses bons exemplos. Para isso, é necessário fazer uma análise mais profunda dos fatos. Temos aqui entre os comentários duas opiniões divergentes: a Santa entende que mudanças de governo podem afetar a qualidade do ensino. Você acredita que uma semente plantada em determinado momento acaba germinando. Ambos têm razão, eu vi ambos filmes acontecer N vezes. O que falta é registrar os fatos e utilizar os exemplos de forma positiva. Mas, na realidade, quem se importa com a educação pública? Os formadores de opinião têm seus filhos na rede particular e não querem saber de mistura...
Jersy disse…
"estudam em período integral no sistema de ciclos"

Como funciona exatamente isso Giulia?