Um causo atual


Quando a gente fala das perseguições e represálias que fazem muitos pais se calarem diante dos abusos que seus filhos sofrem dentro da escola, a corporação grita: sacrilégio! Mas é exatamente o que acontece em 99,9% dos casos. Vejam por exemplo a arrogância de um professor de física do Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro, membro daquele "famoso" sindicato instalado nas dependências da própria escola... Um professor que maltrata seus alunos e nem mesmo "dá a matéria", que é a forma mais simplória e boçal de ensinar.

Leiam o relato de um responsável de aluno do Colégio e visitem o blog Pais Conversando (link à esquerda), de onde retirei o texto, omitindo apenas o nome do professor.

Depois de toda a luta que os pais do Colégio Pedro II tiveram para acabar com as duas greves que fomos relatando neste blog desde o ano passado e que receberam cobertura da imprensa, o sindicato continua instalado dentro da instituição, arrotando sua arrogância e garantindo a permanência de péssimos professores.

As autoridades, claro!, se fazem de cegas, surdas e mudas. Isto é Brasil!!!

Um professor de física da Unidade Tijuca costuma dar aula com a camisa do Sindiscope. Isto “até” poderia ser um fato normal se esse mesmo professor, que foi rejeitado na unidade de origem, não insultasse um aluno do Colégio Pedro II com palavrões e ameaças verbais, constrangendo–o na presença de sua turma, que testemunhou o fato. Os sindicalistas acham-se acima do bem e do mal e impunes pelo paternalismo no Colégio Pedro II. (É claro que o insultado pensou em ir ao SESOP, à Direção, mas com medo de represálias recuou). Os alunos do 2º ano do ensino médio estão próximos da reprovação em física, porque no ano anterior, quando no 1º ano, esse mesmo professor não deu a matéria. Esse ano, isso foi objeto de reclamação pelos alunos do 1º e 2º ano do Ensino Médio no SESOP e na coordenação de física ,e, como sempre, não adiantou nada, ou melhor, acirrou a ira do dito professor contra os alunos, os quais tenta prejudicar. Ele simplesmente não dá a matéria para os alunos e na hora da prova é um desespero total. Você que é responsável e tem filho no ensino médio, pergunte a ele sobre este sr. e fique esperto para não ser surpreendido no final do ano. Que covardia, hein, Professor!

Responsável de aluno do Colégio Pedro II (relato publicado em 17/10/06 como comentário no blog Pais Conversando, contendo o nome do professor em questão)

Comentários

Serjão disse…
Giulia:
Eu não sei o que eu faria com um professor destes. Coisa boa eu garanto que não é. Falando no CPII, vc sabe que eu tenho amigos que têm filhos lá, eu tenho uma convicção. Nehuma atitude será resolutiva se não for uma atitude de força. Isso mesmo. Algum sangue vai ter que rolar para que esta situação chame a atenção de alguém e acabe de uma vez. E posso te garantir que não há exagero no que eu estou falando. A única solução será aqueles professores terem um certo temor dos pais. Aí sim se passará a ter uma atitude de respeito mútuo com os "mestres" respeitando quem os paga o salário. Pode escrever.

Um abraço
Serjão disse…
Eu só não achei o relato do pai no link que vc indicou.
Giulia disse…
Ah, Serjão, bom você ter apontado esse problema. Eu sou uma "interanta", por isso tenho sempre dificuldade em naver na Internet, mas se você não encontrou a mensagem, é porque esse blog é meio complicado. Olha, ao pé do "lingüição", você vai encontrar um post com 7 comentários. É um deles. Por via das dúvidas, vou voltar lá para conferir e te dar mais alguma dica, se você não encontrar. Outra coisa: esses pais precisam de uma orientação mais direta e se você tem amigos lá, é bom ajudar. Eu dei várias dicas, mandei e-mails etc., mas nada como estar próximo. O que eu percebo é que a comunidade está muito dividida. É uma escola pública fora do padrão, tem uma tradição, mas o nível caiu bastante e uma metade dos pais se nega a perceber isto, faz o jogo do faz-de-conta e continua lambendo as botas da direção, que não toma providência nenhuma, afinal, viva a corporação! A outra metade só pensa em tirar os filhos da escola. Realmente precisa de firmeza, mas esses pais não conseguem se unir, apesar de ter alguns advogados na própria comunidade. O primeiro passo é retirar o sindicato da escola, isto não é difícil e seria uma boa lição de moral. Se você conseguir entrar em contato com o blogueiro, o Ribamar, peça para ele te mandar os posts do blog antigo (que era mais fácil de navegar), onde os pais fizeram diversos comentários sobre a atuação do sindicato dentro da escola. Uma vergonha!
Giulia disse…
Serjão, a dica é essa mesmo, mas já tem um oitavo comentário ao pé do "lingüição" (é o apelido que dei para os blogs)e eu mandei outro que deverá ser publicado em seguida. Beijão.
Pais Online disse…
Falando em Aula de Física, o que acham deste causo que aconteceu na classe de um dos meus filhos recentemente? Uma professora de física cujos filhos estudavam na mesma escola pública onde ela dava aula (apesar de tbm trabalhar em uma escola particular) proibiu a filha de assistir a aula do professor de física designado à sala (2a. série ensino médio) porque essa professora achava que o outro era um péssimo professor. Em vez de assistir a aula, a filha dela ia ajudar na secretaria. A filha não repetiu de ano porque não faltou em nenhuma das outras matérias e portanto cumpriu os 75% de freqüência geral. Mas a atitude dessa professora era ética? Se o professor de física era péssimo, devia ter sido substituído mas ela preferiu fazer um acordo com a direção e solucionar o problema apenas para a filha dela (sem mexer com o professor em questão) e que danava-se o resto da classe. É outro exemplo do corporativismo que só prejudica os alunos.
Giulia disse…
Oi, Caroline, na cabeça dessa professora ela não fez nada demais! Afinal, os alunos já estavam f... mesmo, imagina se ela iria mexer nesse vespeiro... Aliás, a direção é que não deveria ter aceito o tal acordo. Mas é o velho bordão: tudo pela corporação!
Glória disse…
Tô com o Serjão aí... Canso de repetir que nesta casa da mãe Joana que virou a escola não tem como mudar nada, o abuso continuará ad infinitum. Fico enojada é com as autoridades e a imprensa que não fazem nada... Aliás, a imprensa só quer saber de dossiê... Tive uma idéia: vamos enviar pra ela um dossiê completo sobre as escolas públicas, vamos ver se ela vai se interessar...
Santa disse…
Querida Giulia

Este é mais um aviso do que um comentário. Peço desculpas se não visito meus amigos na medida que gostaria. É que infelizmente o problema da minha mão direita retrocedeu. Voltei às sessões de fisioterapia (+ 15). Consigo visitar um a três blogs por dia e tenho que interromper. Isso não impede que leia os blogs. Por outra, só não fechei o blog da santa ainda é porque minha indignação é maior do que a dor física. Bjs. E um Bom domingo!
Ricardo Rayol disse…
Não pegaram esse sujeito de pau?
Giulia disse…
Quem? O "pobre", "santo", "dedicado",
"abnegado", "desvalorizado",
"sacrificado", "vilipendiado",
"caluniado" e "humilhado" professor?...