Mais poesia



Por inspiração de nossa amiga Glória, vai aqui um poema de Adão Ventura, poeta brasileiro desaparecido em 2002, muito apreciado no Exterior. Você conhecia? Eu não. O Brasil não conhece o Brasil...

ORIGEM

Vestir a camisa
de um poeta negro
- espetar seu coração
com uma fina
ponta de faca
- dessas antigas,

marca Curvelo,
em aço sem corte,
feito para a morte

- E acomodar
no exíguo espaço
de uma bainha

sua dor-senzala.

Comentários

Glória disse…
Essa combinação "dor-senzala" foi perfeita para expressar a dor do preconceito... O negro continua com a dor da senzala no Brasil. Não conhecia este poema dele.
Frederico disse…
Olha, eu ia escrever quase que exatamente o que a Glória disse. Diria que o negro ainda sente forte a dor da chibata, do pelourinho, do banzo. Sente , talvez, pior, porque o jogaram no mundo e é cada um por si. E todos sofrem. A dor é daltônica nesse nosso Brasil.
Frederico disse…
ah sim: é daltônica, mas divisa muito bem a curvatura do cifrão, a maior carta de alforia que já houve.