22 novembro 2006

Sem poesia


O texto abaixo foi escrito pela nossa amiga Cremilda, a mulher que poderia estar no lugar de Lula no Planalto. Ela faria a única revolução necessária para que este País pudesse entrar no ritmo de desenvolvimento real dentro dos próximos quatro anos: garantir a presença do professor em sala de aula, do coordenador pedagógico orientando o professor e do diretor dentro da escola, supervisionando ambos. Simples assim. O contrário do que costuma acontecer na maioria das escolas públicas deste País, que ainda não despertou para a importância de PROMOVER (não passar de ano...) suas crianças e adolescentes. Pelo contrário, o que se promove no Brasil é o professor, que se entende merecer "um bom salário", esteja ou não em sala de aula e trabalhe ou não de forma satisfatória. Todos os indicadores: PISA, Prova Brasil, Saresp, Saeb etc. provam que seu desempenho é insatisfatório. E o absenteísmo do professor é tão grave que na maioria das escolas públicas a aula vaga costuma somar em média 25%. Mas a ladaínha continua a mesma e o "pobre" professor recebe aumentos e incentivos para não faltar (!), garantindo o status quo lastimável em que o País se encontra. Com a palavra a Cremilda:

Cortesia com o chapéu dos outros

Hoje saiu no Diario de S.Paulo que os professores estaduais vão receber o bônus. Conta que alguns vão receber 800 reais junto com o décimo terceiro e que os professores da Paula Souza receberão 5.000. Claro que contam esses dois e omitem quanto a maioria vai receber. Ano passado uma diretora de escola estadual, segundo esse e outros jornais, recebeu a mais junto com o décimo terceiro 10.800 reais. Num pais onde o salário minimo é de 350, a maioria dos trabalhadores não recebe 10.800 reais num ano todo de trabalho duro. Ano que finda de modo meláncólico: os professores da rede estadual de S.Paulo receberam 15 por cento de aumento mais 15 por cento para não faltar, como incentivo. Nunca faltaram tanto. O remedio para professor não faltar e aparecer com o ponto assinado misteriosamente é fiscalizar e descontar o dia que ele falta. Se professor assina ponto sem aparecer na escola é porque PODE! Porque tem toda uma corporação atrás dele. A corporação dos professores tem muitos sindicatos e a Apeoesp é o mais poderoso e rico do pais. Agora o Presidente da Apeoesp é suplente do Senador Suplicy. Se o poder corrompe, o poder absoluto corrompe absolutamente. Os pais já não tem uma instância para denunciar nada, agora então com esse poder todo na mão dos professores é que eles não vão mais ensinar nada.

5 comentários:

Ricardo Rayol disse...

Mas que barbaridade! E eu achando que o problema era que ganhavam muito mal e iam pra escola no sacrificio.

Vera Vaz disse...

E aquele safado hoje no jornal HOJE da Globo que declarou ter faltado a maioria das suas aulas de matemática porque não consegue acordar!!!!!!!! Simples assim...na cara-de-pau falou para o repórter com todas as letras, ciente da impunidade da qual somos reféns!!!!!!!!!!(e a outra ainda me chama o professor de refém do sistema!)
Acho que aula vaga deveria ser nossa bandeira número um como campanha comum... Um começo pra brigar junto...fazemos um selinho...espanhamos pelos blogs e sites onde professores e alunos frequentam.... Podemos também mandar emails para convocar voluntários para supervisionar isso... O que acham? Sei que a Cremilda e ao Pais online já bateram muito nessa tecla mas estou falando de uma ação organizada com todos os grupos de pais e até os tais "TUDO PELA EDUCAÇÃO" - mesmo que digam que farão suas ações sem se meter com a escola (????)(será que somos só nós mesmo nessa guerra insana?)...
Vamos organizar isso?
Tem tanta gente passando corrente com besteira...que tal se passassem essa?...
Estou sem tempo pra postar mas numa lista de educadores da qual faço parte recolhi coisas hilárias sobre o tema... E muitos bons professores também que já ousam denunciar e permitiram até que tudo fosse publicado aqui com o nome deles.E será.
Esperando adesões
[]s
Vera

Regina disse...

Pensando bem somos bem poucos mesmo os preocupados com a Educação!
Olha os dados aí:
De acordo com a Pesquisa Ibope Educação – encomendada pelo “Compromisso Todos pela Educação”– em cima de dados apurados em julho, 25% dos brasileiros avaliam a Educação Básica pública como ótima e boa. Já 45% a avaliam como regular e apenas 28% da população acredita que a situação do ensino público é péssima ou ruim.

No Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa), realizado em mais de 40 países, porém, o Brasil aparece em último lugar em provas de Leitura e Matemática. Já o Prova Brasil, exame aplicado pelo Ministério da Educação (MEC) que avaliou cerca de 3,3 milhões de alunos, mostrou que a maior parte dos alunos de 8ª série conhece apenas o que seria ideal para o aluno da 4ª série, como interpretar textos e realizar operações Matemáticas.

Um fato alarmante é que a Educação não está no topo das prioridades do povo brasileiro, explica Fernando Abrúcio especialista em Educação da Fundação Getúlio Vargas. “Os pais acham que só o fato de os filhos estarem na escola já é suficiente para que eles tenham oportunidade de emprego no futuro e fiquem longe das drogas.” Nesta pesquisa, a Educação aparece em 7º lugar no ranking das áreas consideradas problemáticas pelos brasileiros. Cerca de 40% da população acredita que saúde, emprego e segurança são as áreas mais problemáticas, enquanto apenas 15% aponta a Educação Pública como um dos maiores problemas brasileiros. (Fonte: Estadao.com.br) – 22/11/2006

Giulia disse...

OK, Vera, vamo nessa: Aula vaga nunca mais! Mas temos que criar uma estratégia que consiga envolver a mídia, pois já tentamos muitas vezes e eles não estão nem aí.
Ricardo, sabe por que o aluno pode ser retido se tiver mais que 25% de faltas? Você vai responder: porque não aprendeu nada, ora! Nananinanão! Essa foi uma forma de LEGALIZAR o direito à falta do professor e a AULA VAGA: até 25% pode!! E se o professor precisar faltar mais, não tem problema: existem outras mutretas, como o colega assinar o ponto para ele, fazer algum favor para o diretor da escola e ganhar uns abonos extras, etc. e tal. E o professor PRECISA faltar, pois dá aula também na rede particular, onde não tem choro nem vela! Tudo isto só os pais de alunos da rede pública sabem. Aliás, uma professora teve a cara de pau de falar isso pro meu próprio filho: "Aqui eu falto mesmo! Eu não falto é na escola onde meu filho estuda.".

Alexandre disse...

Que tal "vouchers"? Ou seja o aluno recebe creditos cujos valores serão repasados do Governo para a escola que ELE E SUA FAMILIA escolherem.
Escola Publica nada + é do que um monopolio do sindicato dos professores. O foco numa escola publica sempre é naquele que ensina ( ou deveria) e não naquele que aprende. Melhor seria inverter a formula.