Mais uma expulsão!


Nem acabamos de festejar a rematrícula do garoto ameaçado de expulsão em Taboão da Serra (nosso Post Dupla Vitória, de 08/12), quando a mãe dele nos ligou falando que uma conhecida estava aflita porque havia sido negada a rematrícula do filho, aluno de uma escola do Campo Limpo. Essa mãe não tem acesso à Internet, por isso nunca saberia da nossa existência não fosse pela conhecida. Aliás, quantos são os pais de alunos da rede pública que têm acesso à Internet?... Mais uma vez estamos apelando para a Ouvidoria da Educação e contamos com seu apoio imediato. Segue o documento enviado.

E d u c a F ó r u m

São Paulo, 16 de dezembro de 2005

Prof. Salmon Elias Campos da Silva
Ouvidor da Educação do Estado de São Paulo

Prezado Sr. Ouvidor,

Ainda agradecendo a sua rápida intervenção no caso da ameaça de expulsão em Taboão da Serra, já estamos novamente pedindo ajuda, pois outra mãe nos procurou por ter a rematrícula do filho negada.

Trata-se da Sra. ....................., mãe de ........................, aluno do 2º ano do Ensino Médio na EEPSG ................, no Campo Limpo. Ela nos fez o seguinte relato resumido:

Meu filho tem 16 anos, é uma idade difícil, ele é respondão mas é um bom menino, trabalha à tarde e à noite no Mc Donald´s para ajudar a família e este ano precisou faltar muito à escola pelo mesmo motivo. Na última reunião de pais fui informada que ele estava com excesso de faltas e que iria repetir o ano. Achei certo e conversei com ele. Ele disse que estava tendo problemas com alguns professores e que tudo bem repetir de ano. Mas quando fui fazer a rematrícula negaram porque disseram que ele havia xingado a diretora. Conversei com meu filho e ele disse que ela havia gritado com ele, alegando que ele ia ter que mudar de escola porque eu não tinha ido à reunião de pais para saber do problema das faltas. Ele insistiu que eu tinha ido sim, e eu tinha ido mesmo, mas parece que a diretora continuou gritando com ele e ele acabou xingando ela. Nunca tive problemas com ele na escola, ele nunca repetiu e só este ano teve problema de faltas, por causa do trabalho. Também procuro ir sempre às reuniões de pais. No dia 11/12 fui à escola para assinar a rematrícula e não aceitaram. Voltei no dia 13 e no dia 15, mas também não consegui. Voltei com meu filho lá e me humilhei, mas a diretora não quis saber, ela me deixou falando sozinha enquanto atendia outras pessoas e assinava papéis. Meu filho ficou impaciente e me falou: “Mãe, a senhora não está vendo que está sendo humilhada?” Eu pedi para ele ficar quieto, mas ele perdeu a paciência e xingou a diretora na minha frente. Daí ela disse que nessa escola ele não ia mais estudar mesmo e que se eu quisesse uma vaga para ele eu deveria bater de porta em porta em todas as outras escolas. Daí eu disse que iria procurar a supervisão e ela respondeu que ficaria muito mais fácil eu bater de porta em porta procurando vaga do que ir até a Diretoria de Ensino. E disse também que eu deveria dar graças a deus por eles não terem convocado reunião de conselho para expulsar meu filho porque daí seria mesmo muito pior. Por isso eu procurei vocês porque sei que vocês podem ajudar.

Senhor Ouvidor, o nosso contentamento pela solução do caso de Taboão da Serra durou muito pouco, pois a mãe que nos trouxe esta nova história de expulsão é conhecida da mãe de Taboão e nos procurou porque conseguiu nosso contato com ela, senão teria perdido totalmente as esperanças! Essa mãe não tem acesso à Internet e nunca saberia da existência do EducaFórum.

O mais preocupante nesta nova história é o descaso da escola com a mãe, que precisou ir três vezes implorar pela rematrícula do filho e foi simplesmente ignorada. Quanto ao aluno, ficamos com a impressão de que ele foi provocado a fim de que perdesse a paciência e assim a razão. Entendemos, porém, que o exemplo deve vir de cima: se professores e diretores tratam o aluno (principalmente o adolescente) aos berros, não podem exigir respostas educadas.

Ficamos sempre muito entristecidos ao ver que os educadores não sabem ou não querem lidar com o aluno adolescente, inquieto por natureza. Entendemos que a Secretaria de Estado da Educação precisa com urgência instruir melhor seus profissionais neste sentido.

De qualquer forma, a negação da rematrícula do aluno é ilegal e injusta, especialmente por se tratar de um garoto trabalhador e necessitado de apoio. E constatamos que mais uma escola ameaça os alunos de expulsão através da convocação de um tribunal de exceção composto pelo Conselho de Escola. Cantaremos ALELUIA! o dia em que o site da Secretaria de Estado da Educação, sempre tão pródiga em autoelogios, publicar na página inicial uma clara instrução para todas as escolas no sentido de banir a expulsão pelo Conselho.

Mais uma vez contamos com seu apoio e vamos instruir a mãe a procurar imediatamente a Diretoria de Ensino, na esperança de que ela seja melhor tratada do que na escola e que logo seja chamada para assinar a rematrícula do filho.

Reiteramos a nossa confiança de que o procedimento ilegal da expulsão de alunos não é sugerido pela SEE e contamos com sua ação corretiva imediata.

Atenciosamente

EducaFórum

PAIS, ALUNOS, EDUCADORES E CIDADÃOS QUE LUTAM PELA ESCOLA PÚBLICA E PELA CIDADANIA

Comentários

Mauro disse…
Giulia,

Sugiro que você não omita o nome da escola. Somente assim poderemos criar um banco de dados com a "folha corrida" de cada escola pública.

S. Paulo, 18/12/2006

Mauro
Movimento Comunidade de Olho na Escola Pública
http://geocities.com/coepdolho
Giulia disse…
Eu informo o nome da escola depois que tiver tudo resolvido, para não provocar as famosas perseguições e represálias. A escola de Taboão você já pode anotar o nome, aliás, já divulguei no blog: EEPSG Edgard Francisco. Mas parece que este caso do Campo Limpo também vai resolver logo.