Cidade sem prefeito


Confira mais uma genial sacada do nosso amigo Mauro Alves da Silva, copiada do blog da Cremilda. Seria legal saber quanto os ghost writers desses "nossos" políticos recebem pelos textos ridículos que nos impingem e a mídia publica... Afinal, isso também sai do nosso bolso, né não?
Preste bem atenção ao comentário sobre a preferência do ex-Secretário de Planejamento do governo Celso Pitta, hoje "Prefeito sem-voto", pelas construtoras: foi naquela época que nasceram as famosas escolas de lata. Já ouviu falar?...
Até quando seremos um país sem memória?
Ah! Quase ia esquecendo: esse "Prefeito sem-voto" recebeu uma verba do Governo Federal para o programa ProJovem (supletivo do Ensino Fundamental) e desviou para onde mesmo?... Veja nosso post de 18/01.

O desconhecido prefeito de São Paulo desfila toda sua ignorância educacional no artigo "São Paulo, 453: educação é o presente" (Folha de São Paulo, 25/01/2007).

Ao afirmar que "São Paulo nasceu há 453 anos voltada para a educação", o "desconhecido prefeito", que é engenheiro civil e economista, demonstra que "História" não é uma de suas matérias preferidas...

Os padres jesuítas Manoel da Nóbrega e José de Anchieta fundaram um "colégio" para catequizar os índios brasileiros "nem que fosse a ferro e fogo" (nas palavras de José de Anchieta)...

O desconhecido prefeito não tem muito apreço pela História. Ele nega até mesmo seu passado como secretário de Planejamento do ex-prefeito Celso Pitta - de 1997 a 1998, quando ajudou o seu chefe a "não gastar" cerca de R$ 500 milhões com a Educação... O "prefeito sem-voto" fez a opção preferencial pelas construtoras e por agradar aos sindicatos...

O "prefeito-sem-voto" anuncia que vai construir prédios escolares e aumentar a remuneração de todos os professores, até mesmo dos maus professores... nenhuma palavra sobre "fiscalização", "avaliação de desempenho" e nem sobre "bônus por merecimento"...

Um prefeito de verdade estaria mais preocupado com o número 447 do que com o número 453... 447 representa a posição em que as escolas municipais da Cidade de São Paulo ficaram na "Prova Brasil 2005"... 447º lugar entre as 650 cidades paulistas...


Mauro Alves da Silva

Comentários

Mauro disse…
Giulia,

Você lembra do mês de dezembro de 1997? Lembra quando o prefeito Celso Pitta mandou um projeto para a Câmara que parcelava a dívida com a educação? Lembra que o sindicato "negociou" com o Hanna Garib para manter o "bônus" de R$ 60?
Então... o secretário de Planejamento era o atual "perfeito desconhecido"! Ele é um dos culpados pelo atual baixo nível educacional paulistano... juntamente com o sindicato dos professores...

448
Na verdade, as escolas municipais de S. Paulo ficarm em 448º lugar em Português e 450º lugar em Matemática (no teste da prova Brasil 2005 para alunos da 4ª série do enino fundamental).

S. Paulo, 29/01/2007
Mauro
Movimento comunidade de Olho na Escola Pública
Ricardo Rayol disse…
Giulia, o que vou escrever aqui infelzimente não tem nada a ver com seu post. Tu sabes que sou um indignado por natureza. Por isso, peço desculpas para ocupar teu tempo com um assunto bem cretino. A Sônia anda espalhando um monte de merda lamurienta a respeito do movimento evolução. Para uma pessoa que se diz idosa o faz de um jeito bem desagradável. Gostaria de pedir que entendesse o outro lado da estória. Sei que você não tem nada com isso mas se já não bastasse termso que aturar petralhas ainda por cima aturar "fogo amigo" é foda.
Giulia disse…
Mauro, tenho "boas" lembranças daquele tempo, que foi sim tenebroso, mas havia na Comissão de Educação alguém que nos ouvia. Lembra que o primeiro secretário de educação do Pitta foi o Régis de Oliveira, que saiu pela tangente depois que entregamos para ele nossa representação ao MP sobre a manipulação das verbas do ensino?
Ricardo, não se preocupe: desconheço aquela pessoa, vi o nome dela por aí mas não tive qualquer contato. Quanto a "merda" na Internet, isso é o que não falta...