O Brasil não conhece o Brasil


Sempre que falamos de Ameaças, Perseguições, Represálias e Intimidação de alunos na rede pública, nos acusam de atirar lama no "pobre professor". Já dissemos e repetimos: nosso objetivo é apoiar o professor, inclusive mostrando para os bons profissionais os absurdos que acontecem na rede pública, onde seus próprios filhos não estudam. O Brasil não conhece o Brasil e a divisão das classes é tão bem definida que fatos reais parecem ficção para quem não está envolvido neles. Não acreditamos em soluções dentro da ignorância, por isso nosso papel não é apenas denunciar, mas principalmente informar.

Hoje vamos relatar o desdobramento grave e perverso da denúncia dos alunos do ProJovem, que divulgamos em nosso post Férias, nós?!, de 14/01. Quando os alunos nos contataram, os instruímos a se unirem na defesa de seus direitos, pois sabíamos que a corporação tentaria intimidá-los e usar o velho truque de lançar uns contra os outros.

Pois é, ao entrarem hoje na sala de aula, os alunos receberam uma tremenda Intimidação da professora de inglês, Sílvia, como Represália pelas reivindicações feitas. A professora se fez de vítima e ameaçou os alunos de contatar um seu amigo Procurador da República para denunciar os "culpados". Trata-se de uma ameaça de Perseguição. Nesse momento, o pavor tomou conta da classe, pois muitos alunos não conhecem seus próprios direitos e acreditaram piamente nessa Ameaça ridícula de uma professora que não entende nada de cidadania e apostou numa MENTIRA para intimidar seus alunos. Alguns alunos começaram a brigar entre si, querendo apontar os "culpados" pelas reivindicações.

Este fato é extremamente grave e nos leva a refletir sobre o jogo absurdo e perverso de fazer as vítimas se sentirem culpadas.

Por esse motivo esclarecemos publicamente a esses alunos que nenhum Procurador da República daria ouvidos a um disparate desses e pedimos que permaneçam firmes em suas reivindicações. ERRADOS SÃO AQUELES QUE COLOCAM PANOS QUENTES NAS IRREGULARIDADES DE UM PROGRAMA QUE NÃO FUNCIONA E PRINCIPALMENTE AQUELES QUE DESVIARAM AS VERBAS PARA OUTROS FINS.

Pretendemos convidar esses alunos a participar do programa Assembléia Popular, a fim de que possam divulgar publicamente suas reivindicações e esperamos que tenham a coragem de fazê-lo, pois já são adultos e estarão prestando um grande serviço à sociedade brasileira, dando um exemplo raro.

Comentários

Mauro disse…
Hoje, na Assembléia Popular, o Grêmio SER Sudeste aprsentou os seguintes temas:
(...)
3. O prefeito Gilberto Kassab cortou R$ 54 milhões do "Programa Pró Jovem" através do decreto municipal 48.051 de 26/12/2007. Foi apresentada denúncia contra a Escola Municipal de Ensino Fundamental Adhemar de Barros (bairro de Campo Limpo, zona sul de S. Paulo). Os alunos denunciam falta de professores de Matemática, Educação para o Trabalho, e de Informática. Giulia Pierro, do EducaFórum, informa que os alunos estariam sofrendo ameaças por parte de outros professores após a publicação das denúncias. O Grêmio solicitou uma imediata interveção das autoridades e do Ministério Público no caso.

O Programa Assembléia Popular é gravado às quartas-feiras, das 12h00 às 13h00, no Auditório Franco Montoro. O programa vai ao ar aos sábados, a partir das 12h00, pela TV Assembléia, pelos canais 66 da TVA e 13 da NET. Também pode ser assistido pela internet: www.al.sp.gov.br

Postado por: Mauro A. Silva - Gremio SER Sudeste e Movimento Comunidade de Olho na Escola Pública.
Giulia disse…
Muito obrigada, Mauro!! Espero que hoje os alunos se entendam, pois a intimidação da professora criou um pânico entre eles. Alguns acreditaram que poderiam ser punidos pelo tal Procurador da República (que coisa, hein?) e queriam encontrar os "culpados", ou seja, os alunos que haviam entrado em contato conosco para formalizar a denúncia. Como você vê, é muito prudente manter o nome dos alunos em segredo, até ter certeza de que eles estão "salvos" de represálias. Abraço!
Vera Vaz disse…
Força, pessoal! São essas ações de resistência que podem mudar esse país!