Professora que ensina a fumar! Pode?


Está nos comentários do "A vez da Folha" mas acho que merece um post sobre isso:
David diz: "Meu filho, que 'passou' para a oitva série me conta que ele experimentou cigarro, que eu, fumante, o proibo (ele tem apenas 13 anos) COM A PROFESSORA. Eu estou sem saber o que fazer. Minha vontade é de ir a escola e dar-lhe a devida porrada, mas sou educado demais para isso.Pode?"
Não pode não! (e não vai aqui nenhuma histeria antitabagista porque também sou fumante!)
Outro dia perguntaram num comentário porque agora se chama professor de "educador" (eles odeiam isso!). Não pensem que é uma questão de nomenclatura só : é para que eles percebam que não estão lá só para vomitar matéria e aplicar provas mas para educar um ser humano em formação!
Enquanto esse ficha não cair nada vai mudar, enquanto professor não criar consciência de sua responsabilidade na formação de cidadãos e não se julgar somente repetidor de disciplinas a escola vai continuar sem ética, imoral!Enquanto os professores não atualizarem seus métodos de ensino e continuarem a escrever num quadro negro matéria dada de costas para os alunos ( comentário de Plinio Fraga sobre isso nos Educa Fórum - os textos), ignorando suas diferenças e problemas ela vai continuar chata e sem significado.
E quem teria a força pra fazer tudo mudar?
Uma lei? Ela já existe! e não resolve!
Somente a interferência firme da sociedade exigindo isso poderia abrir uma luz nesse complexo túnel. Não com ações isoladas mas com união entre os pais e as organizações sociais que se dispõe a ajudar nesse sentido e ainda se unindo e dando força a alguns professores conscientes que lutam contra a maré
Por isso, David, seria importante você colocar para os pais o ocorrido com seu filho.
Quem pune essa professora maldita que oferece cigarro a um aluno se você não a denunciar? Sei que nos sentimos indefesos e inseguros pois sabemos dos intrincados caminhos que podem decorrer dessa ação e que, ao contrário do que alardeiam, os professores ainda gozam de uma incrível confiabilidade e respeitabilidade decorrentes do cargo que ocupam.
E são difíceis mesmo, David, os enfrentamentos que advém dessa cobrança de atitude ética por parte dos professores... Eles na hora do aperto se unem como mafiosos para defender a classe!
Chatos é o adjetivo mínimo com o qual se referem a nós, pais contestadores! Mas só quando resolvermos tomar coragem e enfrentar isso vamos conseguir mudar alguma coisa!
Talvez a gente não consiga mudar a Educação como um todo com nossas atitudes mas mudando uma aula já estaremos fazendo muito por nossas crianças e jovens!
E de aula em aula... de professor em professor.... quem sabe a gente não chega lá?

Comentários

Cada bloguista participante tem de enunciar cinco manias suas, hábitos muito pessoais que os diferenciem do comum dos mortais. E além de dar ao público conhecimento dessas particularidades, tem de escolher cinco outros bloguistas para entrarem, igualmente, no jogo, não se esquecendo de deixar nos respectivos blogues aviso do “recrutamento”.

Ademais, cada participante deve reproduzir este “regulamento” no seu blogue.”A ideia é identificar 5 (cinco) manias, ao jeito de uma auto-análise bem disposta.

E quem me deu esta difícil tarefa foi a minha amiga Teresa Calcao
(http://gostardeviver.blogspot.com/)"

Eu vou convidar:

1 – Giulia (http://educaforum.blogspot.com/)

2 – André Wernner (http://andrewernner.blogspot.com/)

3 – João Soares (http://joaobarbeita.blogspot.com/)

4 – Ricardo Rayol
(http://juarez-o cabrito.blogspot.com/)

5 – Ricardo Safra
(http://www.orbis-terrarum.blogspot.com/)
Giulia disse…
É muito interessante que tão poucas pessoas se perguntem sobre os limites que a escola precisa manter para não interferir na orientação dada pela família...