De quem é o mérito?


Finalmente a aluna Francieli foi reintegrada à escola, depois de quase um mês de suspensão devida à acusação falsa de ter ateado fogo à lixeira da classe. E isso não foi o mais grave da situação: a aluna havia sido também expulsa por um tribunal de exceção armado pelo Conselho de Escola, através de votação sumária. Obviamente, a EEPSG Pe. Josué Silveira de Mattos é uma escola que não sabe lidar com o aluno adolescente e precisava de um “bode expiatório” para camuflar sua incompetência e dar um “exemplo” de disciplina...

Mas o exemplo dado foi de mentira, calúnia e perversidade, pois, se a família da aluna não tivesse agido prontamente, hoje Francieli estaria migrando para uma escola longe de sua casa e carregando a pecha de “aluna-problema”, uma “laranja podre que contamina as outras”. Alguém poderá estranhar essas expressões, mas quem tem vivência de escola pública sabe bem do que estamos falando.

A Secretaria de Educação do Estado de São Paulo não fez mais do que sua obrigação ao determinar que a aluna voltasse à escola, aliás, demorou muito para tomar essa decisão. Nesse meio tempo, as rédeas ficaram muito soltas e a direção da escola fez "terrorismo", enviando bilhetes para a casa da aluna e pressionando para que a família assinasse a transferência compulsória para outra escola. Foi acionado inclusive o Conselho Tutelar de São João da Boa Vista, na pessoa da conselheira Daniela, a mesma que não quis ajudar quando a mãe foi visitá-la pessoalmente e pediu ajuda para a menina ser reintegrada à escola. Ela havia respondido à mãe que o Conselho “só tratava de casos de crianças até doze anos”. Bastou porém um contato da direção para que Daniela telefonasse para a mãe da aluna, perguntando porque ela não estava freqüentando as aulas, se “lhe haviam oferecido vaga em outra escola”...

Por todos esses motivos, mas principalmente pela depressão profunda que a situação causou na menina, a ponto de quase vir a ser internada, pelo agravamento da saúde da mãe e pelo estresse dos demais irmãos, um morando em Campinas e outra morando em Santos, ainda não cabem elogios à Secretaria Estadual da Educação. Dissemos “ainda”, porque poderá haver uma situação em que daremos calorosamente os parabéns à Secretária Maria Lúcia Vasconcelos:

Daremos parabéns à Secretária quando for publicada, na página principal do site da SEE, uma orientação clara de que o Conselho de Escola é um órgão que deve atuar a favor da comunidade e não do autoritarismo de “educadores” que não merecem esse nome. Daremos os parabéns à Secretaria no dia em que ficar claro em seu site que nenhuma deliberação do Conselho de Escola pode se sobrepor à Constituição Federal e ao Estatuto da Criança e do Adolescente. E, principalmente, que expulsão de aluno é crime, além de mostrar descaso e falta de inteligência.

Utilizando a expressão infame tão usada na rede pública: de que adianta atirar a “laranja podre” no jardim do vizinho?...

Por enquanto, o mérito do desfecho feliz dessa história triste é da família da aluna, principalmente da irmã Fabiana, que se desdobrou de Santos para dar o apoio possível e impossível à mãe e à irmã, gastando fortunas de telefonia celular para que elas não desistissem dos seus direitos. Na semana passada a mãe da aluna quase entregou os pontos e assinou a transferência. Foi pela insistência de Fabiana que ela conseguiu superar o desânimo e a angústia. Quem é mãe sabe do que estamos falando.

Parabéns, Fabiana! Parabéns Francieli! Vocês optaram pela coragem e rejeitaram a mentira. Que este primeiro exemplo de vitória e justiça possa ser uma luz a orientar suas vidas.

Comentários

o importante é que a aluna está de volta.
vamos celebrar...
viva!!!!!!viva!!!!
parabéns a Giullia pelo esforço
e agora é deixar a escola ciente que qualquer vacilada a Giullia entra em ação
e o "barraco" está armado...
Fabiana disse…
Obrigado! Mesmo procurando não consegui encontrar melhor palavra para agradecer o apoio que encontrei neste blog. A todos que são contra o terrorismo que armaram com essa aluna e também com outros que não tem voz e nem vez para clamar por justiça, mas em especial obrigado a Giulia que acompanhou o caso de perto e pode dar alegria a uma família humilde de poder ver a sua filha e irmã retornando a escola.
Este caso ganhamos por nossa determinação em correr atrás da justiça e que só encontramos depois de 3 semanas de luta. Mais muitos não tem a mesma sorte, nem os meios para lutar
Enfim uma noite tranquila de sono pois neste caso a justiça tardou mais não falhou.
Fabiana Machado Domingos- Santos.S.P
Giulia disse…
Pessoal, para quem ainda não sabe, a Cremilda é da "comissão de frente" do movimento de pais e alunos. E ela andou cutucando bravamente a Secretaria da Educação, inclusive ajudando demais a pressionar para que a solução desse caso fosse agilizada. Obrigada, Cremilda! É muito bom poder dar um grito e saber que você está na escuta.
Vera Vaz disse…
Aeeeeeeeeeeeeeeeee! Parabéns Giulia, Cremilda e promotor Digiacomo (que eu não conheço ,mas admiro....) que escreveu aquele texto sensasional que não deixa dúvidas quanto a ilegalidade da expulsão e a todos que frequentaram esse blog nesse momento de solidariedade a alguém injustiçado precisando de apoio - cada opinião exposta aqui valeu pra mostrar que existe sim quem não faz de "melhorar a educação" só um discurso mas que age pra que isso aconteça.Foram muitas visitas!Obrigada a todos vocês. Com essa turma injustiça não tem vez não! E sabe porque? Porque nos fundamentamos na lei! Não só a lei dos códigos penais mas na lei da solidariedade, na lei do respeito, da civilidade, do cuidado extremo que devemos ter com nossas crianças e jovens. Espero que muitos aprendam que o caminho para a justiça existe e que clamem por ela sempre, sem se acorvardar diante do terrorismo dos injustos, dos ignorantes e dos maldosos, essas pequenas autoridades que não tem competência para usar nem o pequeno poder que tem nas mãos e com isso podem causar grandes estragos na vida de quem tá só començando a conhecer esse mundo.
Tô feliz! (agora vamos falar da avaliação dos professores, Xipó!....rs)
Gracieli, você sabe que sua vida agora aí não vai ser fácil,né? Mas qualquer coisa grita que estamos de olho!Estude, cumpra seu dever e seja feliz, não desanime, não abaixe a cabeça e não se deixe humilhar. Parabéns, menina, mostre a seus colegas que só a uma maneira de ser cidadão: construir a própria cidadania com força e coragem.(isso dói as vezes mas vale a pena)
Anônimo disse…
Parabéns a todos que lutam pela educação de qualidade.
Espero também que esta funcionária Rosemeire que diz " quase estar convencida da inocência da menina" se recolha a sua insignificância.
Porque QUASE não existe em nosso vocabulário.Aqui é SEMPRE em DEFESA dos necessitados.
PARABÉNS GIULIA, CREMILDA VERA e todos os demais.
E a você jovem garota estude feliz, tire excelentes notas e mostre seu valor social e educacional.
Noite de energia positivas a todos
professor decente disse…
Perdao esqueci de colocar , sou o professor de outros comentários
Glória disse…
Parabéns a todos, fiquei feliz ao deparar com a notícia, até levantou meu ânimo que andava meio perdido... Apesar da vitória, é um absurdo tanta luta para se obter o óbvio: que uma aluna permaneça na escola. Esperemos que o episódio sirva para que outros não aconteçam e mais milhares (milhões?) de alunos não passem pelo que a menina passou e a escola continue expulsando sem que as autoridades impeçam a ilegalidade. Ou mais exato: o crime.
O mérito foram de poucas pessoas, dá até para contar nos dedos.
A vitória foi da escola pública.
Uma injeção de ânimo para todos que lutam pelo fim da impunidade e a corrupção na escola pública.
Deu para a Gloria tomar um fôlego, e para mim também.
A oposição é muito forte, a banda podre da escola pública passa muito da metade.
Elas são muitas, mas não sabem voar.
Não somos ingênuas e sabemos o tamanho da encrenca lá na SEE, com certeza o Xerife e a Edna também lutaram contra a oposição lá dentro mesmo.
Isso acho importante reconhecer.
Hoje nem quero questionar,isso, só quero ser feliz.
Quero comemorar.
Viva!!!!Viva!!!!
Aconteceu o que as inimigas da escola não queriam:
Abriram um precedente e nos deram a maior força.
É a força da união, efetivamente.
Elas são muitas, mas nós e Deus somos a maioria desparada.
Viva!!!!amanhecí cantando...
Anônimo disse…
Cremilda
Elas são muitas, mas não sabem voar...
Não é desparada, é disparada, espero que seja erro de digitação
Ps.desculpe mas é vicio de professor.A gente não pode ver erro sem corrigir,na boa, na boa.
Vocês todas escrevem muito bem, estilos diferentes mas todas para um só ponto...
Parabéns para a Giullia, Gloria, Vera e Cremilda.
Escrevo anônimo, mas saibam que tem muito professor que pensa como vocês e que aplaudem.Só não podemos nos identificar, senão a casa cai, cai em cima da nossa cabeça.
Professor X e não é X de Xerife...
Rodrigo Domingos disse…
Nao tenho palavras para expressar o que estou sentindo, a euforia é tanta que se compara a vitoria da copa do mundo.
Mas nao podemos nos esquecer que isso so aconteceu, pois tivemos pessoas maravilhosas ao nosso lado eu nao sei o nome de todos por isso seria injusto citar so alguns, mas em especial gostaria de agradecer a Giulia que tanto nos deu força e esteve conosco desde o começo.
A injustiça foi muito grande, mas a vitoria e o bom senso prevaleceu, pessoas covarde como esses professores que se diz advogados, diretores e pessoas do conselhos tinham que ser retirados de suas funções, pois mostraram que além de ser perversos e injustos nao tem conhecimento da lei, muito menos de suas funções, sao pessoas incompetentes e frustadas que se dao ao luxo de querer humilhar pessoas menos desfavorecidas a troco de nada.
Amigos um forte abraço eu BATO PALMAS PARA TODOS VOCES.
RODRIGO DOMINGOS IRMÃO DA ALUNA EXPULSA
Ricardo Rayol disse…
Espero que os doutos educadores tenham tido sua cota de esporro.
Giulia disse…
Gente, não sei se vocês repararam, mas estou ficando caquética! Pela segunda vez errei o nome da aluna, ainda bem que a irmã dela me corrigiu: é Francieli, não Gracieli... Já corrigi, desculpa Francieli, de coração! É o estresse, rsrs.
Professor X, que mania de ficar corrigindo a gente! O sr. não sabe que ortografia e gramática são meras convenções? Escrever com x, s, ch, ç ou qualquer outra letra não muda o sentido, né? A "língua" universal, futuramente, será a telepatia, e aí não será mais possível alguém esconder sua perfídia atrás de frases bonitas e polidas. Tem chão, mas chegaremos lá...
Glória disse…
Giulia, deixa o professor X corrigir, não faz mal... O que ele disse é tão fantástico que tem direito ao que quiser. Nossa, ele disse que "saibam que tem muito professor que pensa como vocês e que aplaudem". Saber disso é um alento para nós, porque a sensação que tenho é de que são todos contra nós, contra as crianças. Então, valeu a informação do professor X. Que ele traga mais professores para a nossa causa, e que percam o medo da casa cair porque o medo imobiliza as pessoas e as mudanças.
Vera Vaz disse…
è isso aí Gloria...e vamos esperar o dia que não tenham mais que ser anônimos, x,y ou z e que sejam a franca maioria na escola!
Giulia disse…
"que tem muito professor que pensa como vocês e que aplaudem"? Espero que tenha sido erro de digitação, professor! rsrs (eu não tinha reparado, foi a Glória que "mostrou" o erro, rsrs).
Mas que bom que tem os professores X, Y ou Z torcendo pelo aluno! Espero porém que, mesmo não podendo dar sua cara para bater aqui no blog, estejam comentando este caso dentro da sala dos professores e dando sua opinião sincera. E, principalmente, espero que os professores mais "famosos" o discutam. Há alguns anos recebemos um e-mail do professor Fredéric Litto, da USP, de fama nacional, dizendo que admirava muito nosso trabalho na defesa do aluno, mas que não nos autorizava a divulgar a mensagem. Assim não vale, né?... Entendo que esse tipo de situação só vai deixar de acontecer quando a franca maioria dos professores estiver PUBLICAMENTE a favor do aluno, como diz a Vera. É possível que um Conselho de Escola decida expulsar um aluno com base em "fofocas" e nenhum professor abra a boca para contestar?
Clau disse…
Giulia, fiquei contente em saber que o caso teve um final feliz.

Abraços