Nos bastidores...


Recebemos mensagem da mãe de um aluno de pré-escola particular, que resolveu transferi-lo para outra. Como sempre dizemos aqui, os pais de alunos da rede particular têm total liberdade de mudar seus filhos de escola à hora que bem entenderem, muito diferente dos pais que costumam matricular seus filhos na rede pública.

A situação narrada me lembra o caso que relatamos no iníco do ano, da criança chamada de "burra" pela professora. Infelizmente, a mãe era analfabeta e preferiu ficar com a filha em casa em vez de lutar contra uma professora autoritária, principalmente em vista da impossibilidade de mudá-la de escola...

A professora do meu filho tinha um traço de personalidade muito grave: nao assumia erros. Quem não assume seus próprios erros, como ensinará isto para crianças? Numa fase onde a identificação com o adulto é fundante da personalidade... Afora isto, estava sendo muito relapsa com cuidados básicos. Além de eu ter descoberto que ela deixava - até autorizava - as crianças a revidarem agressões. Como meu filho é muito tranqüilo, resolve tudo no argumento, começou a pedir para nao ir para a escola. No princípio, pensei que era manha, mas depois me dei conta que tinham coisas erradas acontecendo em sala de aula. O clima estava belicoso demais. Isso para resumir o tema.
O pior são os argumentos de alguns pais para nao se mobilizarem:

1) professor ruim tem em todas as escolas

2) eu nao vou reclamar porque a professora vai pegar no pé do meu filho

3) eu acho que tem que ensinar a bater, porque o mundo aí fora é violento.

Cruel!!!

Comentários

Moita disse…
É, de fato, vergonhoso e criminoso. A escola pública tem problemas quase insolúveis. Será necessária uma verdadeira revolução para se modificar a fisionomia dessas escolas.

1 cheiro
Serjão disse…
Meu Deus. Já pensou se o olho por olho - dente por dente se disseminar?

Mas eu fico satisfeito que minha inspitação lhe tenha servido; Mas vc propõe algo mais construtivo e factível do que eu; Alias como sempre
Um grande abraço
Dulce disse…
Tudo bem que é verdade que aluno de escola particular pode mudar a hora que o pai quiser, mas isso não pode ser justificativa para nós agirmos como se isso não fosse problema!! Até os pais perceberem o quão prejudicial pode ser a atitude de uma professora, pode ser tarde demais!!! Não é normal, e me entristece ver uma afirmação como essa no blog, como se só porque o aluno é de escola particular isso não é problema!! É problema sim, é por causa desse tipo de atitude, como dessa professora, é que vemos hoje jovens de classe média tendo atitudes de violência e barbárie por aí!!!!
Giulia disse…
Olá, Dulce, gostaria que você entendesse melhor os objetivos deste blog. De forma nenhuma entendemos que aluno de escola particular "não é problema". Muito pelo contrário, para nós a criança e o adolescente são prioridade em qualquer situação. É que este blog é destinado a esclarecer os pais da rede pública, que MORREM DE MEDO de denunciar professoras como essas, porque seus filhos só tem uma opção: ou continuar convivendo com elas, ou abandonar a escola. Não sei se você consegue entender a gravidade da situação...
É muito compensador para nós receber um comentário como o seu, de alguém que admite que a atitude de um professor pode ser tão prejudicial no desenvolvimento de uma criança. Não é o que acontece geralmente! Mantemos este blog desde 2005 e nosso site anterior foi inaugurado em 2000, mas 90% das mensagens que recebemos são xingamentos (os de baixo calão deletamos imediatamente) contra nós porque ousamos denegrir a imagem da "santa" professorinha, do professor "sofredor" ou "herói". Alguma coisa deve estar mudando para melhor, pois finalmente estamos recebendo alguns comentários como o seu, que mostram uma realidade até hoje tabu. Gostaria que você lesse o post de 01/06 "Lição de casa" e os comentários dos leitores. Foi também um caso de aluno da rede particular, em que a mãe nos solicitou ajuda sobre como agir. Atendemos todos que nos procuram, na maioria das vezes por e-mail. Quando o caso pode se tornar público, postamos aqui no blog. Esperamos mais contribuições suas! Um abraço.