Reprovação não resolve


O professor Pedro Antonion, de Itaocara - RJ, nos enviou esta mensagem:

Em 2005 foram reprovados mais de 8 milhões de alunos.
Em 2006 o desempenho dos alunos nas avaliações nacionais foi o pior possível.
Taí a prova material de que a reprovação não melhora a qualidade de ensino.

Quantos milhões de alunos ainda vamos ter que reprovar, violando a Constituição e o Estatuto da Criança e do Adolescente, para continuar provando que a reprovação não melhora a qualidade de ensino?
-mais 8 milhões?...mais 10 milhões?...todos os alunos?...

Geralmente, os professores defendem a "pedagogia da repetência", pois no ano seguinte o aluno vai se ver com outro profissional e assim passa-se o problema para outras mãos. São raros os profissionais como o professor Pedro, que entendem a necessidade de ENSINAR e não de reprovar. Se houvesse estudos sérios em educação no Brasil, saberíamos quantos alunos repetentes abandonam os estudos e acabam sendo recrutados pela marginalidade. Mas isto não interessa para uma sociedade cujos membros se preocupam apenas com seus próprios filhos e, mesmo assim, somente até um futuro próximo. Sim, pois dentro de alguns anos eles poderão ser vítimas desses que foram excluídos pela escola. É um círculo vicioso difícil de se quebrar.

Parabéns, professor Pedro, continue mandando notícias!

Comentários

Ricardo Rayol disse…
E para que o bolsa-esmola seja pago os filhos não devem estar estudando, e passando? não? bizarro....
strixflamea@bol.com.br disse…
O Strix está todo dia aquí.
Mas não faz comentário.
Strix.
Anônimo disse…
Fui professor de física, faz uns dez, em uma escola estadual paulista. Impressionou-me a falta de preparo dos alunos de ensino médio.
Estou convencido da necessidade de um cuidado muito maior com as primeiras séries. Penso que se as secretarias municipais de educação dessem o máximo de importância ao INÍCIO da vida escolar, o desenvolvimento dos alunos seria muito mais tranqüilo.
Anônimo disse…
Sou professor de matemática e também acho que reprovação não resolve.
Mas tenho 3 alunos em uma turma que não fazem absolutamente nada. Avalio através de atividades em sala, resolução de problemas. Não cobro decoreba, mas compreensão dos conceitos. A maioria se envolve nas atividades.
O que eu espero é que eles se esforcem, que cada um possa terminar o ano melhor do que iniciou em matemática.
Como lidar com isto?
Se eu passar estes alunos como posso pedir que os outros se envolvam nas atividades?