O escândalo da merenda


A questão da merenda escolar sempre foi tratada como problema menor, em um país onde a maioria dos bem nutridos não dá a mínima para aqueles que não têm o que comer. É muito comum ouvir frases como: "Escola não é lugar para servir refeições!" Reproduzindo o que ouvem em casa, muitas crianças perguntam inocentemente para alguns colegas: "Na tua casa não tem comida, não?". Essa postura faz com que o assunto não seja levado a sério pelas autoridades. De vez em quando "estouram" pequenos escândalos envolvendo a manipulação das verbas da merenda escolar, mas são rapidamente esquecidos e nunca se chega a um padrão de qualidade, que poderia ser facilmente atingido com a fiscalização da própria comunidade em cada escola. Mas qual a secretaria da educação que tem interesse em manter uma "linha direta" com os pais de alunos?... Não, isto seria muito comprometedor, pois, além das denúncias sobre merenda escolar viriam também aquelas sobre a aula vaga, sobre os desmandos da direção da escola, sobre o professor que atira apagador na cabeça do aluno, sobre a auxiliar que chama aluno de "cavalo", etc. etc. etc.

Aqui em São Paulo está "em curso" um escândalo envolvendo a merenda escolar. Duvide-ó-dó que o prefeito cequessabe vá tomar alguma providência. Leia o editorial do jornal Agora São Paulo de 12/09:

Mais água no feijão

Toda cozinheira conhece técnicas para fazer a comida "render mais". Pelo menos uma empresa que presta serviços terceirizados de merenda escolar para a Prefeitura de São Paulo parece ter institucionalizado essa prática, pagando prêmios em dinheiro às merendeiras que economizarem mais. O resultado são alunos recebendo apenas meia maçã - quando o contribuinte está pagando por uma inteira - e água, muita água, no molho de tomate. Pelo menos nove cozinheiras de três escolas municipais contaram que ganham um bônus mensal de R$ 40 para usar esses truques. Dizem que conseguem fazer a comida render até 50%. A revelação foi feita durante fiscalização do Conselho de Alimentação Escolar (CAE), formado por pais, professores e funcionários públicos. A empresa é a Nutriplus, que nega a acusação. Diz que o bônus é dado a "bons funcionários" e não tem relação com a economia. A idéia de terceirizar o serviço de merenda é boa. Não cabe a um diretor de escola ficar comandando uma cozinha industrial. Sua preocupação deve ser com o ensino. Mas é preciso aperfeiçoar o modelo de terceirização para que desvios como esse não sejam mais possíveis. Estão literalmente tirando comida da boca das crianças.

Comentários

Ricardo Rayol disse…
Isso é uma das sacanagens que deveria ser alvo de execução sumária.
Luisete disse…
Oi Giulia,
Eu também postei sobre a merenda escolar. Você tem razão. É revoltante. Mas enquanto o Governo Federal insistir em manter subjugados estados e municípios, como um pai que tutela filhos velhos lhes dando, a conta gotas, o dilheiro que lhes pertence, é o que teremos. Tudo é muito centralizado, fica difícil administrar e fiscalizar; e há muitos intermedidários para roubar.
Ricardo Soares disse…
giulia...está se vendo que vc entende do tema educação e merenda escolar muito bem... seu blog é muito interessante ao abordar questões como essa... isso posto, se vc entende de educação,deve saber o quão danoso para ela foi a gestão do filósofo de botequim gabriel bauxita, o icone dos mauricinhos descerebrados...toque sua embarcação em frente... abs e obrigado pela visita
ricardo
Giulia disse…
Ricardo, você achou a expressão certa: filósofo de botequim! Aqui a gente chamava ele de "bonitinho, mas ordinário"...
Blogiana disse…
Giulia
Dá uma olhada no meu blog. Acabei de escrever sobre a multimistura.
Se quiser usar a reportagem, te agradeco. Temos que ao menos tentar divulgar esse absurdo!
Beijos e obrigada pelo recadinho!
Adriana
Fabiana disse…
Giulia
QUANDO O MEU FILHO CAÇULA ESTUDAVA NA Emei,tinhamos na época um conselho de escola muito bom.
Por ter a falta de funcionários na cozinha, o conselho de escola optou pela cozinha terceirizada.Nós pais de conselho, alguns professores e a diretora pegavamos pesado com a Nutriplus.Uma vez por semana,um de nós experimentavamos a comida, faziamos um relatório em que a supervisora lia semanalmente.Muitas vezes o arroz que ia ser servido estava mal cozido,então nós falavamos com as cozinheiras e elas tinham que preparar de novo o arroz.
Anônimo disse…
Eu Ja ouvi falar de escola qui tiram o intevalo dos alunos como punição!
E fazem ameaças como:
"-ammanhã TODOS vão ficar sem merenda poi fixeram ////"
Anônimo disse…
Eu Ja ouvi falar de escola qui tiram o intevalo dos alunos como punição!
E fazem ameaças como:
"-ammanhã TODOS vão ficar sem merenda pois fizeram ////"
Anônimo disse…
Eu tb concordo com você o problema da merenda e muitos outros se arrastam por anos eu me lembro quando era crianca e sempre estudei em escola publica na maioria das vezes o lanche ou refeiçao eram compostos por apenas 3 bolachas de agua e nada mais....mas hoje existe a tecnologia a gente filma e posta na internet a rede é uma forma de divulgacao que massacra!!
Anônimo disse…
Que país é esse?
Refrão de um "hit" do rock/pop nacional, cai mais uma vez como uma luva, a luva da vergonha...
Vergonha de uma país desfigurado de seus valores, a guisa, da tão falada democracia.
Vergonha de cobrar "caro" muito caro uma fortuna em impostos, com retorno social pífio.
Vergonha de um povo que dizem "alegre", e na verdade "corrupto".
Vergonha de uma nação que abandona suas "crianças"... com seu passado em trevas, de um presente "sujo" e certamente um futuro "sem honra"!

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola