De outro mundo


Certas notícias me deixam absolutamente muda durante alguns dias. Uma foi a invasão policial nas escolas do Paraná, com o pretexto de "coibir" o tráfico de drogas e a indisciplina (!) dos alunos. A ação foi filmada e veiculada pela TV Globo, apenas em nível estadual. http://tvparanaense.rpc.com.br/index.phtml?Video_ID=16056&seq=&autostart=1

Seria óbvio, em vista da gravidade do assunto, que a mídia nacional se interessasse pela pauta, mas a notícia simplesmente "evaporou", provavelmente porque NÃO HOUVE AUTORIZAÇÃO DA JUSTIÇA para permitir a invasão das escolas, nem autorização para filmagem de menores de idade sendo revistados e constrangidos publicamente. Neste caso, a TV Globo poderia ser também responsabilizada judicialmente e isso explicaria seu silêncio em nível nacional, depois de ter ido com muita sede ao pote...

O Movimento Comunidade de Olho na Escola Pública entrou com representação junto à Ouvidoria Geral do Ministério Público do Paraná fazendo esses questionamentos e recebeu resposta de que o caso vai ser apurado. Na minha opinião, tão ou mais grave do que a ação em si é o fato de o assunto continuar tabu em toda a sociedade. Mesmo que a filmagem não tenha sido exibida em nível nacional, milhares de pessoas assistiram a reportagem e outras tantas leram sobre o assunto na mídia escrita. Seria demais pedir um pronunciamento do MEC a respeito?

Outra notícia "de outro mundo" que me deixou completamente passada foi a prisão de uma garota de quinze anos numa cela com vinte homens durante um mês, onde foi obrigada a manter relações sexuais em troca de comida.

Após a divulgação desse fato na mídia, começaram a pipocar informações sobre fatos idênticos - mistura de mulheres, homens e menores de idade em cadeias e delegacias, em outras cidades brasileiras. Certamente, após a primeira denúncia, muitas dessas irregularidades foram "sanadas" às pressas, antes de virarem notícia...

O mínimo que se esperaria, numa situação tão grave, é o pronunciamento de autoridades federais sobre o absurdo de misturar homens, mulheres e menores de idade numa mesma cela. De que nos serve um ministério "da mulher", se a ministra Nilcéia Freire não vem a público repudiar fatos como esses??? Apenas mais um cabide de empregos pagos com os nossos impostos!

Definitivamente, este é o país que odeia suas crianças e adolescentes, como diz nossa amiga professora Glória Reis, que está sofrendo processos na justiça por suas denúncias e desafios às autoridades. Glória, conte com a nossa solidariedade e todo o nosso carinho!

Para amenizar a tristeza e a indignação, vai uma imagem do nosso lindo planeta, visto "de outro mundo".
Alô, alô, marciano...

Comentários

Ricardo Rayol disse…
Vão apurar, no dia do são nunca, se nevar em teresina.
Frustração e decepção disse…
O que mais me choca é pensar que um dia eu acreditei no nosso presidente.
Qualquer um, que nós colocarmos lá, quando estiver lá! Com certeza se esquecerá de nossas crianças.