09 novembro 2007

Escola pública x particular


Preocupe-se. Seu filho é mal educado.

Esse é o título do artigo de Gustavo Ioschpe que você pode ler aqui http://veja.abril.com.br/gustavo_ioschpe/index_011107.shtml. Trata da qualidade da escola particular brasileira. Nas palavras do autor: Não há ilhas de excelência no mar de lodo.
Estudos apontam que o desempenho escolar dos 25% mais ricos do Brasil é menor do que a média dos 25% mais pobres dos países desenvolvidos. Trocando em miúdos, os alunos da nossa elite têm desempenho educacional pior do que os mais pobres dentre os países desenvolvidos.

Outros estudos mostram que 80% da diferença no desempenho dos alunos das escolas privadas brasileiras, em comparação com aqueles da rede pública, são devidos à condição sócio-econômica, que proporciona maior bagagem cultural, acesso a livros, boa alimentação etc., ou seja, os pais estariam pagando por um diferencial que vem deles mesmos! Mais 10% desse diferencial viriam do contato com os colegas de estudo e, finalmente, apenas 10% da diferença no desempenho dos alunos poderia ser creditada à qualidade da escola...

O texto traz mais dados interessantes, como, por exemplo, a informação de que 70 a 80% dos professores brasileiros estudaram em escolas públicas, deduzindo-se disso que mesmo a escola mais bem organizada não consegue fazer um mau professor dar uma boa aula. Por esse motivo, os pais que preferem matricular seus filhos na rede particular deveriam se preocupar também com a qualidade da escola pública, pois, afinal, é de lá que saem os professores que vão educá-los...

Atualmente, apenas 13% dos alunos do ensino básico estudam na rede privada, enquanto os restantes 87% estão matriculados na pública. MATRICULADOS, mas a metade evade ou não consegue se formar no ensino médio. E quando ex-alunos da rede pública entram na escola do crime e cutucam as janelas dos carros com seus revólveres, já não adianta gritar. Muito inteligente a colocação do autor do artigo: Em todos os países do mundo, educação é um projeto público e nacional. Ou todos vão bem, ou o país vai mal.
Infelizmente, os pais de alunos da rede particular só costumam enxergar a gravidade da situação quando são obrigados a colocar seus próprios filhos atrás de grades domésticas, nesse apartheid que o Brasil está vivendo.

Mas eu gostaria de ser ainda mais pessimista do que Gustavo Ioschpe e volto a afirmar o que estamos aqui repetindo há anos: atribuir à qualidade da escola privada os 10% de diferença apontados pelos estudos mencionados ainda é muito! 9% podem ser creditados ao fenômeno

AULAS TODOS OS DIAS X 20-30% DE AULAS VAGAS,

no qual o Brasil é certamente o campeão mundial. Portanto, senhores pais, o dinheiro gasto na escola particular dos seus filhos garante apenas 1% da qualidade!

Aliás, cansamos de pedir ao INEP(t) que faça uma pesquisa sobre a aula vaga na rede pública nacional e é óbvio que não há interesse algum em desnudar essa praga, que é na verdade a maior diferença entre a rede pública e a particular. Não que haja uma grande vantagem em ter diariamente todas as aulas, se elas forem ruins... Alguns poderiam argumentar que é até melhor haver menos aulas, mas a questão é muito grave, pois leva à desmotivação, ao desinteresse e, principalmente, à descontinuidade do estudo. Além de provocar a evasão de muitos alunos. Só quem tem ou teve filhos na rede pública sabe como é ruim, por exemplo, a escola “tapar o buraco” da professora de matemática ou de história que fica de licença durante meses, daquela de português que falta uma vez por semana porque dá aula na escola particular (onde não pode faltar porque senão perde a bolsa para seus próprios filhos...) ou do professor de física que desistiu no meio do ano. Ah! A maioria dos problemas de “indisciplina” dentro das escolas públicas ocorrem durante as aulas vagas, quando os alunos são largados no pátio, na quadra ou nos corredores da escola, sem atividade nem supervisão.

Portanto, na minha opinião, 99% dos pais que mantêm seus filhos na rede particular achando que estão pagando pela qualidade, estão muito enganados.

Para os interessados, volto a lincar meu veeeeelho e - infelizmente! - ainda tão atual artigo:

Um comentário:

Ricardo Rayol disse...

caraca, prova cabal do que sou eu.