O faroeste é geral!


Após ter ouvido de jornalistas que "atualmente a pauta é a Secretaria Estadual da Educação", queremos deixar bem claro que o FAROESTE da Educação Pública é igual em todo o Brasil! Por isso estamos publicando aqui a íntegra do documento que enviamos às autoridades, com endereço de e-mail e tudo. Você, pai ou mãe de aluno de outros municípios ou estados, procure também o e-mail do(a) Secretário(a) da Educação responsável pela rede onde seu filho estuda e envie este documento. Cobre das autoridades!!!

Coragem, pais e mães de alunos! Pensem no futuro dos seus filhos, lesados por uma corporação descompromissada e omissa. Leiam a Veja desta semana, com dados concretos sobre o absenteísmo do professor da rede pública.

Prezado Sr. Ministro Fernando Haddad

Prezada Sra. Secretária Estadual Maria Helena de Castro

Prezado Sr. Secretário Municipal Alexandre Schneider

Anexamos à presente nosso artigo Gestão Participativa na Escola: a Exclusão da Comunidade e fazemos nosso costumeiro desafio anual:

INICIAR O PRÓXIMO ANO LETIVO COM UMA CAMPANHA PUBLICITÁRIA
DIVULGANDO A IMPORTÂNCIA DA PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE NA ESCOLA

SEM O COSTUMEIRO BLÁ-BlÁ-BLÁ,
OU SEJA,
PROMOVENDO DE FATO A ELEIÇÃO DEMOCRÁTICA DOS CONSELHOS DE ESCOLA EM TODAS AS UNIDADES ESCOLARES,
AO MESMO TEMPO
PUBLICANDO AS INFORMAÇÕES EM SEUS SITES NA INTERNET, ATÉ HOJE EXCLUSIVAMENTE A SERVIÇO DE UMA CORPORAÇÃO DESCOMPROMISSADA E OMISSA.

SOMENTE COM A PARTICIPAÇÃO ATIVA DA COMUNIDADE PODERÁ ACABAR O "FAROESTE" QUE SE TORNOU A REDE PÚBLICA DE ENSINO:

DE UM LADO, PROFISSIONAIS AUSENTES E DESCOMPROMISSADOS,
DO OUTRO LADO,

PAIS E ALUNOS PERSEGUIDOS E EXPULSOS POR SUAS DENÚNCIAS.

A mídia está começando a despertar para a situação absurda que somente os usuários da rede pública de ensino conhecem.

Reivindicamos essa campanha em vista dos impostos que pagamos o ano inteiro, sem termos retorno algum em benefício de nossas crianças e jovens.

Este desafio está publicado em nosso blog http:/educaforum.blogspot.com

Comentários

Ricardo Rayol disse…
tu é arretada mesmo.
Sonia disse…
Giulia, minha admiração por você cresce a cada atitude sua.
Parabéns!
David disse…
Giulia, nem li o texto. Passei só para avisar que continuo vivo sim.

Um abraço.
Professora Maluquinha disse…
Giulia e Vera Vaz, continuo aguardando a retirada do link da página da Professora Maluquinha deste blog. Por favor!
Anônimo disse…
Por favor continuo sem saber quem é essa professora Maluquinha...???

Me respondam.
Giulia disse…
Anônimo, identifique-se e a gente responde.
Anônimo disse…
MEU NOME É ROSANA.
Telma disse…
O jornal O Estado de São Paulo declara: "A receita das escolas-padrão - (...) Os projetos pedagógicos com melhores resultados, segundo o estudo, são os que se destacam por sua simplicidade e criatividade. Uma das constatações mais importantes do trabalho do Unicef e do Inep é que o sucesso alcançado por esses colégios não está necessariamente relacionado à qualidade de sua infra-estrutura nem à disponibilidade de recursos. (...) Embora os 33 colégios estejam situados em diferentes contextos socioeconômicos, eles têm em comum professores empenhados e capacitados, estabilidade do corpo de funcionários administrativos e forte apoio dos pais, principalmente na fiscalização da freqüência, no controle das lições de casa e até na confecção de lanches. (...) “A escola não é um depósito. A família é a base. Se a família não vai à escola, a criança não evolui”
Giulia disse…
Telma, obrigada pela sua colaboração! Só me incomoda essa história de "se a família não vai à escola, a criança não evolui". Tive o imenso trabalho de auxiliar meus três filhos para minimizar as falhas de um ensino público medíocre e acho que não é esse o caminho. A escola falhou e muito! Não me arrependi de matriculá-los na rede pública, porque tenho certeza de que eles aprenderam a conhecer o seu país e são cidadãos muito melhores do que a maioria, mas o que eu fiz, na verdade, foi o papel de professora e isso não é justo!!! O Brasil só vai crescer de fato como país quando a escola cumprir o seu papel. Me desculpe, Telma, mas não dá mais para contemporizar: a escola produz uma maioria de analfabetos funcionais e a culpa é da família??? E os pais que não têm como auxiliar os filhos nas lições? E as crianças que não têm "família estruturada", como tanto se queixam nossos "educadores"?! Então vamos continuar atirando todos esses alunos "no lixo", como a escola faz todo ano? Ou a escola começa finalmente a assumir e a cumprir direito o SEU papel, ou o país vai continuar esse faroeste.
Magia8 disse…
Parabéns pela iniciativa que é minha também. Também tive problema de insulto gravíssimo à minha filha e pude vivenciar o corporativismo dos professores que se fecham enquanto categoria nos deixando sozinhos, por isto, a necessidade de um órgão de defesa e proteção de pais e alunos das escolas públicas de apoio nas questões relacionadas com professores e escola. Eles se aproveitam para massacrar mais ainda o aluno e é o aluno que deve ser incluído. Eles se apropriam da escola, mas a escola deveria ser dos alunos, não dos professores! Leiam o que escrevi sobre o insulto a alunos!

http://giannell.sites.uol.com.br/mestreaprendiz.htm

Um feliz ano bem ativo, vamos cobrar sim!