Porque lugar de polícia não é na escola



É tentadora a idéia de ter uma "segurança particular" tomando conta de nossos filhos na escola, deixando-os longe das drogas e protegidos da violência com a presença da polícia NA escola.
Mas é um ledo engano!!!!!!!!
Uma mãe aqui nos comentários disse que "só assim sua filha vai poder estudar em paz"... Não é verdade, amiga.
Eu compreendo que ela queira se iludir que isso possa ser possível mas não é. Eu até fico espantada de pessoas como ela, que me parece bem esclarecida e participativa, confiarem no preparo de uma polícia que não vem demonstrando ser uma das melhores do mundo, cheia de casos de violência, corrupção e vícios da ditadura ainda, embora com muitos bons policiais na corporação. (Será que ando lendo jornais de outro país ou é aqui mesmo que isso acontece? Sei que tenho um amigo ex-policial que não quer a polícia na escola da filha dele....)
Realmente é assustadora a violência que nos cerca porém não podemos tomar atitudes histéricas e estéreis, que podem trazer muitos mais problemas do que aparentemente possa parecer.
É como pensa Bush quando age fora dos Direitos Humanos com seus prisioneiros. Ele pensa estar salvando seu povo de uma situação de emergência mas está agravando os problemas com seus inimigos!
É também mais ou menos o pensamento dos que se trancam em condomínios fechados ou aqueles que constroem grades e muros para segrega-los das ruas.
Não precisamos de muros, precisamos de pontes!!!!!!!
Não precisamos de polícia na escola, precisamos de Arte, de Música, de Saber e de Cidadania e de Ética! Precisamos criar uma mentalidade solidária, precisamos dar ênfase na EDUCAÇÃO PELA PAZ!
Precisamos ajudar a superar limites e parar com essa baboseira de criar limites!!!!!!!!! Isso não tem o menor sentido! Ninguém impõe limites do nada! Isso é uma construção que envolve o dia-a-dia das pessoas, não é uma decisão tipo: "ah! agora vou impor limites"...hehe seria bom se fosse assim, mas não é! Acho que foi isso que o inventor desse lema esqueceu de dizer! Portanto falar em dar limites é igual a dizer: não vamos fazer nada, só reclamar das famílias.
Infelizmente, não é com um batalhão de polícia revistando alunos que se faz isso. Infelizmente porque seria muito fácil se assim o fosse!
Ao contrário, a presença da polícia dentro da escola traz em si a deseducação de nossos jovens!!!
A autoridade policial é totalmente diferente da dos docentes, ela é imposta e não negociada. Os problemas de indisciplina na escola se resolvem com negociações e com soluções pedagógicas e não "de cárcere". Autoridades da área da educação não sabem com clareza a diferença de indisciplina e de ato infracional na escola... e isso é muito sério!

Vou dar alguns exemplos pra deixar claro o que estou tentando dizer: se eu resolvo "cabular" aula e fujo de um bedel é totalmente diferente de fugir da polícia... Se um bedel faz vista grossa para um erro meu (falta de uniforme ou uma briga no recreio, por exemplo) é uma atitude totalmente diferente de um policial ignorar ou ser condescendente...
Um professor pode ajudar um aluno a sair do mundo das drogas (conheço muitos que o fazem!) ou do mundo dos pequenos furtos. A polícia neste caso poderia complicar essa relação. Vira um "caso de polícia"!
Dá pra entender isso? Que um policial armado que diz: "Pare!"... é uma ordem e pronto...
A coisa pode se agravar por que geralmente o aluno que não é um marginal (a grande maioria) se sente protegido na sua "juventude" e acha que uma "traquinagem" não seria o caso de uma "perseguição policial" e pode vir a enfrentar esse policial ou a sua autoridade (não parando, por exemplo, até por medo) E AÍ? O policial foi treinado para ficar "presente cadáver" diante de uma desobediência a uma ordem sua? NÃO! E nem pode.... pois como ele vai ensinar para um estudante que ordem de polícia não é "ordem de polícia" que deve ser obedecida sem contestação?
Polícia é ótimo para estar nas redondezas da escola, cuidando da segurança dos alunos e dos professores na rua e não deixando gangs e quadrilhas atacarem FORA dos portões da escola. Só pode entrar na escola em casos extremos com ordem judicial. Além do mais a recomendação da Justiça é que a patrulha escolar atue fora dos portões da escola (não fomos nós que inventamos isso! essa determinação existe!)

Do portão pra dentro é outro mundo, outra lei que vale, a Lei Pedagógica e não simplesmente punitiva. Ninguém aqui defende a falta uma política de educação do aluno, nem que ele pode fazer o que quer mas as punições e reações da escola tem que ter um princípio baseado no EDUCAR, profissional por parte da escola (e não emocional) e negociado com os alunos e pais.


E aquele meu desafio das escolas violentas continua de pé... Quem se habilita?

Comentários

Giulia disse…
Belíssima explicação, Vera! O terrorismo instaurado nas escolas por profissionais que alertam os pais de alunos contra "maus elementos" leva esses pais a querer uma "segurança particular" para seus filhos. Mesmo que essa segurança fosse efetiva, até quando?... E as gerações futuras?
Tudo isso mostra como o Brasil ainda é um país dividido em classes e não uma Nação onde prevalece o espírito de cidadania.
Anônimo disse…
Briga leva colégio a expulsar 34 alunos em MT




O Colégio Salesiano São Gonçalo (CSSG) expulsou 34 alunos do ensino médio de uma só vez, depois que os estudantes protagonizaram cenas de violência em seis vídeos divulgados por eles mesmos pela internet. Na Escola Estadual Liceu Cuiabano, a filmagem de murros, pontapés e socos entre menores uniformizados também aconteceu várias vezes, inclusive nos corredores da instituição de ensino.

As imagens feitas por celulares pelos alunos dos dois colégios foram disponibilizadas no site de entretenimento You Tube. As cenas mostram agressões entre estudantes de colégios tradicionais, como o CSSG, com 114 anos de existência, o Liceu e até mesmo entre alunos da escola pública com outros da particular. Nos vídeos, há até mesmo narração dos espectadores, que se aglomeram ao redor dos “lutadores”.

Foi por meio das conversas no corredor do colégio que a direção do CSSG descobriu as imagens na internet. Para surpresa, o primeiro vídeo havia sido filmado em meados de setembro dentro de uma das salas de aula. “Um professor estava doente no dia. Eles (alunos) ficaram sozinhos 15 minutos para encontrarmos um substituto e foi o tempo para brigarem”, relatou o diretor do CSSG, padre Wagner Galvão.

Um estudante, que não quis se identificar, afirmou que outra forma de distribuir as cenas era por meio de tecnologias do telefone celular, como MMS ou Bluetooth, que permitem a transmissão de dados. Bastou a popularidade das primeiras imagens para a “onda” pegar.

Em seguida, começaram a surgir outros vídeos feitos fora do colégio, todos na hora do almoço. Em esquinas próximas à instituição, em praças do centro da cidade e no entorno da rua Antônio Maria com a avenida Dom Bosco, local onde os enfrentamentos eram freqüentes. A recepcionista de uma academia na área, Madalena Gonçalves, relatou que já viu brigas entre os meninos na avenida Dom Bosco, o que segundo ela, não é raro.

Em uma das filmagens a fala de um estudante chega a ser chocante. O menino diz: “Mais um ‘round’ hoje. Ontem teve um ‘round’. Ontem foi fraco, foi fraco. Hoje vamos esperar mais um ‘round’ aí”. Chegou a ser cogitada a hipótese das brigas serem marcadas por meio da internet com antecedência. Contudo, tanto os colégios como os pais dos alunos descartaram a hipótese, pois os menores não são reincidem nas imagens.

“Foram brigas isoladas, não há gangues. Eles tinham um desentendimento e, quando se encontravam na rua, brigavam. Apesar de ser coisa de moleque, não podemos admitir isso. A expulsão foi uma forma de dar uma resposta aos pais dos outros alunos e mostrar que não toleramos atos desse tipo”, disse Galvão. Ele apontou que essa não é a primeira vez que alunos são “convidados” a se retirar do colégio em massa.

“Isso é ausência da família, pois essas crianças passam só cinco horas na escola e o resto em casa”, complementou Galvão. Os estudantes expulsos, que a escola prefere chamar de “transferidos”, são todos de classe média alta. A mensalidade no colégio custa entre R$ 480 a R$ 560. Os pais de um deles chegou de ir até a Promotoria da Infância e Juventude ontem para garantir que o filho possa fazer as provas finais antes de deixar a instituição.

“A reportagem que passou na televisão (Jornal Hoje, TV Globo) marginalizou nossos filhos e mostrou uma situação que não é real. Meu filho brigou uma vez, mas não faz parte de nenhuma organização”, defendeu a mãe. Caso a parte, o promotor da Infância e Juventude, José Antônio Borges, disse que as brigas vêm se tornando freqüentes.

“Ano passado, eu já havia notificado escolas, após receber denúncias de que todas as sextas-feiras estudantes se reuniam para brigar no MaC Donalds”, disse Borges. No Liceu Cuiabano também estão sendo tomadas providências. O diretor Francisco de Assis identificará os menores e registrará um boletim de ocorrência, que poderá gerar a expulsão.
Anônimo disse…
a notícia acima foi publicada no Portal Acorda Brasil. e quanto a expulsão de 34 alunos, posso afirmar que A VERDADE É UM POUCO DIFERENTE! esses alunos foram expulsos sim, mas não por estarem nos videos e sim por terem pulado na piscina do colégio no último dia de aula.

o video das brigas pode ser visto aqui: http://br.youtube.com/watch?v=HMXQY8NZOhY

no orkut havia uma comunidade feita por alunos chamada "eu odeio o padre wagner" sobre essse mesmo diretor acusando-o de muitas outras coisas. na teoria, cada diretor geral só pode ficar 4 anos no cargo, mas ele ja ultrapassou esse prazo.
mae sandra disse…
Giulia, desculpa discordar de vc em alguns pontos . Como disse, sempre fui ativa na vida escolar da minha filha, s sempre participei de conselho de escola, apm e etc... Semprei gostei de servir o outro, trabalhar como voluntária, e depois q minha filha cresceu achei uma ótima pedida estar na escola. Vou esclarecer algus pontos: primeiro, nunca fui induzida por maus rofissionais da educação, mesmo pq sou uma pessoa q pensa e não preciso de ninguém p ter opniões própria. E sinceramente, eu já vi muitos maus profissionais, mas graças a Deus encontri muito mais bons profssionais, e como tudo q é do governo, vamos estar falando de maus profissionais da segurança, da saúde, da educação, os politícos acima de tudo. Não gosto de generalizações. P mim é uma questão de bom senso. Sou igual a São Tomé. Só acredito no q vejo. Bom, já deixei bem claro q sou contra absolutamente a expulsão de alunos. Isto p mim não existe, pq o próprio nome já diz; Escola pública!!!! portando p todos. Sim, os professores tem como obrigação educar p a vida, em todos os aspectos, não estou jogando a culpa na família, nem no professor, ao contrário, a culpa é da sociedade como um todo. Estamos vivendo num mundo difícil hoje, e isso não é só aqui no Brasil, e geral.Vou até fazer uma brincaderinha aqui: Deu a louca no mundo!!!! seria engraçado se não fosse sério. Acho q todos esses problemas devem ser discutidos com a sociedade e não procurar culpados, e sim buscar soluções, famílias, educadores, governo.Qdo digo q QUERO SIM POLICIA DENTRO DA ESCOLA, falo do tráfico, pq está lá dentro p quem quiser ver. Enquanto um adolescente é usuario o q ele precisa é de ajuda.Mas dentro de uma escola q tem ensino médio, estamos dizendo q há alnos ate 25 anos, traficantes...Eu nao estou falando de hipóteses, ou pq eu ouvi falar. etou falando o q vejo.Desculpe, mas professor não tem q lidar com isso, expor sua vida, sua família...Eu não quero segurança particular p minha filha, eu quero segurança p todos. Vcs já pararam p pensar o qto alunos vem sofrendo com isto dentro das escolas: Com o tráfico, violencia. Alunos tb são vitima s não só dos maus profissionais, mas tb de outros alunos, de verdadeiras gangs. Eu concordo com tudo q a REgina disse, mas estou dizendo de coisas q extrapolam o poder da escola. Nâo só eu, como muitos outrs pais gostariam da policia sim na escola p coibir o tráfico lá dentro.
Tb acho um erro dizer q crianças e adolecentes não precisam de limites, não sei a sua idade, mas acredito q somos de uma geração em q os limites foram impostos sim, e se hoje somos pessoas de bem, é pq alguém norteou os nossos caminhos. Vou falar como mãe de 3 filhos. Eles pedem limites, eles nos testam até o último p saberem até onde podem ir.Criança e adolescente sem limites fica prdido, sem valores. Outra coisa, por favor, qdo digo q acho q a pnição não faz mal algum, falo de punições educativas tb, e com bom senso. Ninguém cresce sadio e feliz sendo humilhado, não é isso q me refiro. OK??

Por favor, tb não use de generalizações, sabe, eu ja´encontrei de tud nesta vida. Mas encontrei tb pessoas maravilhosas, professores ótimos, não vamos genelarizar policiais, professores ou quem quer q seja...
Bjos p vcs.
mãe sandra disse…
AH! Giulia, gostaria de pedir uma gentileza, quando eu postar não use meu nome, ou minha opinião como tópico de sus textos, não quero me sentir constragida de colocar minhas opiniões no seu blog, respeito suas idéias e muitas até compartilho.Será q nossos colocações poderiam ater somente a "comentério". Por que siceramente não gostei da forma como colocou e gostaria muito de retornar aqui e trocar idéias, opniões e por que não até debate sobre opniões contrárias, pois soos individuos diferentes, graças a Deus temos livre arbitrio p pensarmos diferentes, mas assim como foi exposto a minh pinião, me sinto um tanto quanto numa posição despreviligiada, pois a mim só cabe o comentário, e não uma chamada de um txto grande.
espero q me entenda, e não se ofenda, ois coo disse respeito su blog e gostaria muito de ser respeitada para pder retornar aqui.
Bjos
Cremilda disse…
Pois é....
Mãe de conselho são quase todas iguais.
Compram o discurso das professoras, e pronto!
Parece professora escrevendo e tentando enrolar todo mundo
Pior que maus professores sao os pais que tem esse tipo de comportamento
Escreve bem mas está equivocada, terrivelmente equivocada, e pior é que esse tipo de mãe assina pelas outras
Giulia disse…
Olá, Sandra, desculpe se se sentiu ofendida de alguma forma. Não foi essa a intenção e vamos tomar cuidado daqui para frente. A gente entende a preocupação dos pais com a questão das drogas, pois já passamos por isso. Também não são todos os pais que são manipulados pela direção das escolas, mas esse é um problema muito sério que constatamos desde que começamos a receber mensagens de todo o Brasil. Gostaria que você assistisse Tropa de Elite, para a gente voltar a conversar sobre o problema da polícia dentro da escola. Quando a gente expõe um assunto aqui, é baseado em casos concretos e não em generalizações. Numa das escolas onde meu filho do meio estudou, um policial se dirigiu a um aluno da seguinte forma: "Te cuida, meu, que falta só dois palito preu te fudê!"
Quem freqüenta este blog há muito tempo (aliás, basta ler os posts mais antigos) vai encontrar muitos elogios para os bons professores e profissionais do ensino, inclusive para as poucas escolas públicas bem dirigidas e que se destacam das demais.
Como disse em outro comentário, é um prazer ter aqui pessoas como você, que elevam o nível da discussão! Melindres nós não temos mais, aliás você pode ver que estamos acostumados a sermos tratados com palavras de baixo calão e nem deletamos esses comentários, até para mostrar o baixo nível dos nossos "inimigos"... Aliás, é uma pena que nos tratem como inimigos, pois tudo o que queremos é discutir os assuntos com liberdade e consistência. Ninguém é dono da verdade e é somente através da troca de opiniões que se chega a um denominador comum.
sandra disse…
Obrigada Giulia pelo respeito as minhas consideracoes, mesmo vc discordando. Afinal,debater sobre assuntos, argumentar e discordar de alguns pontos, nao quer dizer q precisamos desreipeitar as pessoas.

Infelizmente nao posso dizer o mesmo dessa pessoa Cremilda, pois de forma alguma desrespeitei alguem aqui. So tenho uma coisa p dizer p vc:- Esse "TIPO DE MAE" como eu, nao precisa dar ouvidos a maus professores,ou quem quer q seja,mesmo pq tenho opiniao propria,um cerebro q pensa,e nao ~e pq eu nao terminei o ensino medio q nao tenho capacidade de discernir sobre aquilo q acredito posso mudar sim de ideia, pois sou aberta a discussao, e a uma boa argumentacao, o q encontrei aqui com a Giulia e a Prof Regina.Infelizmente nao foi o q acinteceu com vc, pq mal entrou aqui, falou de forma agressiva e desreispeitosacomigo.E da forma como falou, deu a entender q todos os pais sao analfabetos e nao sabem pensar.
Mas uma vez Giulia, obrigada por ser uma pessoa sensata e gentil. Como disse compactuo com vc em muitas ideias, e claro temos um objetivo em comum: Uma escolapublica de qualidade p minha filha, e os filhos de outros tantos.
Bjos Giulia e muito obrigada por entender meu pedido. Espero voltar sempre aqui p trocar ideias com vc e ler os seu textos.
sandra disse…
Giulia, desculpa, mas acabei de ler o seu texto com mais calma.Nao assisti o filme, mas prometo assistir p canversamos.Por outro lado tenho q reconhecer q a forma como a maioria do policias abordam os jovens, e criminosa sim. E concordo plenamente com vc sobre essa abordagem, Nao quero filho meu sendo tratado como bandido. Na minha familia ja aconteceu isto tb. Meu sobrinho motoboy foi abordado pela policia, colocaram ele na parede , revistaram e chutaram , desculpa citar "o saco dele". Mas no outro topico eu disse q acreditava q isto nao e so funcao da escola, mas da sociedade como um todo. Se estamos tendo q conviver com o tráfico dentro da escola, será q já nao passou da hora de termos policias especializados p lidar com isto? E cobrarmos das autoridades. sabe, as vezes gritar é muito fácil, nossa, as vezes sinto até desespero, onde tdo parce sem solucao. Mas daí olho p os meus filhos, e vamos lá, procurar solucoes.
bjos
Cremilda Estella Teixeira disse…
Sandra
Não acho que estou faltando com o respeito.Conheço Conselho de Escola e sei que ele se sustenta graças aos pais que são amiguinhos da diretora.Então fazem o diabo contra alunos e ainda tem mãe que assina e reforça os abusos.Dão força para a barbárie.
As expulsões e as maiores violência que já vi, aconteceram com assinatura de pais.
São pais que assinam para arruinar o filho dos outros, mas se esquecem que nas voltas que a vida dá, amanhã pode ser o seu filho nessa mesma situação.Se o plantio é livre, a colheita é obrigatória.
Se não tivesse um pai, nem uma mãe para assinar a ata, ia ficar mesmo mais dificil, elas iam arrumar uma professora-mãe, mas ia ficar muito mais difícil.
É comum,o cotidino em Conselho de Escola mãe se posicionar contra os alunos, para agradar a direção
Noto também que são quase sempre as mesmas mães.As outras ficam quietinhas,não vão fazer parte do Conselho para não legitimar a "igrejinha", mas também não reagem, por medo que seus filhos sejam perseguidos.
Eu não tenho a linguagem polida da Giullia e da Vera, mas é assim que sou.Sem meias palavras mas com muito amor
Odeio o pecado não o pecador.
Odeio a conduta criminosa dos professores não os professores.
Errar todo mundo erra, e mesmo esses professores que tem conduta criminosa podem mudar, podem até mudar de profissão, ou podem vir a ser professores razoáveis.
apoiofraterno disse…
Giulia, comentei antes mas não entrou. Disse que concordo com o seu ponto de vista e acho que a polícia deve ficar do lado de fora da escola, zelando pela segurança da rua da escola e adjacentes. Sem exceção, nem mesmo para segurança privada. Bom fim de semana.
Anônimo disse…
Giulia aqui é sua amiga Rosa, me desculpe usar este espaço para lhe falar é que tenho noticias da Escola Monteiro Lobato para você assim que puder me liga para que eu possa lhe contar o que ficou lá decidido. Beijos.
mãe/ membro do conselho escolar disse…
Desculpe a sinceridade, mas são mães como a "mãe Sandra" que ajudam a destruir as nossas escolas. Ficam sempre em cima do muro, com aquela desculpa de que não podemos generalizar, mas também não são pontuais em nada!
São mulheres como essa mãe que em reunião de conselho diz amém a qualquer asneiras e o pior, dizem amém para as grandes barbáries.
Precisamos de mães, no real sentido da palavra. Tenho minhas dúvidas com relação a essa senhora.
Fiquei enojada ao ler os textos dessa pessoa. Ela pode ser tudo menos MÃE.
Giulia disse…
Mãe/membro do conselho escolar, cuidado com ataques pessoais! Não é esse o intuito aqui. A rede pública é uma "caixa de surpresas", tem de tudo, inclusive escolas bem geridas. Concordo perfeitamente que a esmagadora maioria é um faroeste, mas não podemos generalizar. Independentemente disso, tem pessoas de boa fé que às vezes demoram para descobrir as irregularidades. Até mesmo as mães da EMEF Imperatriz Dona Amélia, que são muito corajosas, não sabiam que a cobrança de mensalidade de APM é ilegal. Por isso a gente insiste tanto em passar informações para a comunidade. Nunca é demais!
Mãe/membro de conselho escolar disse…
Giulia, Vc tem certeza que essa Sra. Sandra é de fato mãe de aluno...?????

Acorda!!! Se vc observar ela nem se pronunciou, pois ela também sabe quem sou eu...
mãe Sandra acima de qualquer coisa disse…
Giulia, obrigada pela defesa. Não gosto de baixaria,por isso preferi ignorar tais comentários insistentes, mas vou passar uma receitinha básica, quem sabe ajude essa pessoa:

" Receita de massa básica para um Defensor da Escola de Qualidade"
100g de ética
100g de valores
100g de educação
30g de bom senso
e 1 pitada de etiqueta e bons modos.

Misture tudo e se desejar acrescente um pouquinho de argumentação sólida, q realçará o sabor.
Leve ao fogo e sirva quente.


Obrigada!

Obs: Qualquer ataque pessoal daqui p frente será totalmente ignorado!!!
Giulia disse…
Gente, aqui a gente não tem certeza de nada!!! Infelizmente a maioria das pessoas não se identificam, o que é sintomático, porque quem não deve não teme...
Só nos resta o debate de idéias. O importante são as colocações e é isso que a gente costuma avaliar.
mãe / membro de conselho escolar e NÃO puxa-saco da direção disse…
A mãe Sandra acima de qualquer coisa: Ela diz que nós generalizamos, quando na verdade é ela quem está generalizando. A mãe Sandra diz: Giulia, desculpa eu discordar de alguns pontos...
A mãe Sabndra diz: que os problemas devem ser discutidos com a sociedade e não devemos nos preocupar em achar culpados...
A mãe Sandra diz: nas escolas tem traficantes sim, mas os professores não devem lidar com isso...
A mãe Sandra diz: que não quer segurança só para seus filhos e sim pra todos(hipocrisia pura).

Que porre! Ter que aguentar uma pessoa que se faz passar por outra só porque quer infernizar. Aguentar uma pessoa que só fala generalizações e não é pontual em nada do que fala. Só fala de si mesma, dos seus problemas... Fala muito de sua vida pessoal...Chega!
Vá procurar um analista, um psicologo ou quem sabe um psiquiatra, ou melhor escreva um diário, melhor ainda, faça um blog pra vc...rsrsrsrsrs

Ah! Giulia, POR FAVOR NÃO USE O NOME DESSA MÃE OU A OPINIÃO DELA COMO TÓPICO DO SEU TEXTO, ISSO DEIXA-A MUITO CONSTRANGIDA...rsrsrsrsrsrsrsrsrsr

Cremilda o seu jeito assusta mesmo, afinal vc é muito franca e direta no que fala, e isso costuma irritar algumas pessoas, principalmente os hipócritas.

Com relação a sua receitinha não vai ajudar em nada, pois só 100g disso ou 100g daquilo...é muito pouco. PARA SER UM DEFENSOR, É PRECISO SUSTENTAR COM RAZÕES E ARGUMENTOS (COISA QUE LHE FALTA), É PRECISO TER CARÁTER, VC SABE O Q É ISSO? pOIS É, FIRMEZA DE ATITUDES E ACIMA DE TUDO DIGNIDADE, QUE É HONESTIDADE!!!

Já que vc vai ignorar todos os meus "ataques" então durma com essa se puder "mãe".