Baixar o nível


Hoje vou baixar o nível! Ah, se vou!!! Já que não tem adiantado nada toda a “boa educação” que procuramos manter neste blog e nos documentos que encaminhamos às autoridades, então que se dane!

Realmente, no Brasil a lei não vale absolutamente nada e a democracia é uma piada. Aqui no Estado de São Paulo, o mais poderoso do País, a educação é uma enorme decepção. Não bastando os índices oficiais, que mostram uma qualidade de ensino pior do que em outros estados muito mais pobres, o espírito democrático está rolando ladeira abaixo de forma cada vez mais vertiginosa.

Os Conselhos de Escola têm se tornado tribunais de exceção para a expulsão de alunos, com o aval da Secretaria da Educação, que nunca se manifestou contra essa prática ilegal e absurda. Isso só ocorre porque a eleição dos Conselhos é realizada de forma também ilegal e os pais “escolhidos” não representam seus pares, mas diretores autoritários e retrógrados. Então, dá-lhe expulsão e perseguição de alunos, cobrança ilegal de taxas, obrigatoriedade do uso de uniforme etc. etc.

Há poucas semanas tivemos a confirmação de que o próprio Governador não tem a mínima preocupação com a JUSTIÇA, pois determinou que somente os alunos da rede pública estadual estão proibidos de usar o celular na escola...

A gota d´água que fez transbordar o meu copo de paciência foi a confirmação de que os 12 mil novos coordenadores pedagógicos a serem admitidos na rede estadual serão escolhidos pelas Diretorias de Ensino, contrariando a Resolução SE nº 66 de 03/10/2006. Essa Resolução determina que, após a seleção, a escolha final dos coordenadores pedagógicos deve ser feita pelos Conselhos de Escola.

Se os Conselhos de Escola, no Estado de São Paulo, são manipulados a bel prazer, isso não significa que devam ser simplesmente ignorados! Eles devem, sim, ser democratizados e fortalecidos. A determinação de escolher os novos coordenadores pedagógicos de forma AUTORITÁRIA tira qualquer esperança sobre a possível democratização da rede pública estadual. Mais uma vez os pais de alunos serão relegados a meros observadores!

E agora quero contar algumas “historinhas” sobre coordenadores pedagógicos: uma das minhas filhas, na 2ª Série, teve seu caderno rasgado por uma CP completamente LOUCA (dá para chamar de outro jeito?). Numa outra escola, enquanto eu aguardava para conversar com a diretora, vi uma CP pegar a mochila de um aluno e atirá-la com violência ao chão. Comentei o assunto com a diretora e ela respondeu que esse não era o comportamento habitual dessa profissional, que deveria estar “estressada”. Mas o exemplo mais clássico de um péssimo coordenador pedagógico é certamente aquele da EE Octacílio de Carvalho Lopes, onde um professor permitiu que um aluno fosse espancado por colegas e ainda por cima o chamou de “bicha” na frente de toda a classe. Mesmo após esse fato, o tal “professor” foi promovido a “educador” na EE Adelaide Ferraz de Oliveira, onde exerce a função de coordenador pedagógico até hoje. Aliás, a Diretoria de Ensino Leste-4, no Relatório de Averiguação Preliminar 721/04, afirma ser normal um professor chamar os alunos de "bicha", tratando-se de expressão carinhosa para “cativar” seus pupilos...

Ao revogar a resolução que determina a escolha dos coordenadores pedagógicos pelo Conselho de Escola, a Secretaria Estadual da Educação confirma sua veia cada vez mais autoritária e é por isso que merece toda a minha indignação.
Senhora Secretária: @#%&*%@&#*@%

Comentários

Ricardo Rayol disse…
Mas nessa situação não cabe uma ação pública?
Giulia disse…
Meu amigo, você acredita mesmo que as coisas neste país se resolvem com a lei, rsrs? Eu acho que a Secretaria nem vai se dar ao trabalho de revolgar a tal Resolução, porque tem certeza de que pode mandar e desmandar a bel prazer, já que a maioria das outras leis em vigor também são desrespeitadas: a eleição dos Conselhos continua sendo feita de forma ilegal, os uniformes continuam obrigatórios dentro das escolas, as taxas de APM continuam sendo cobradas etc. etc. etc...
Hoje eu tive esse insight, caiu a ficha de que a SEE está se tornando cada vez mais autoritária.
Hoje sou professora aqui no Rio, mas por um ano e dois meses fui professora ai em São Paulo. E, infelizmente, confirmo as arbitrariedades praticadas por CPs nas escolas paulistanas. Acredito que o erro maior está na própria resolução no.66 que determina a "nomeaçâo" da CP. Esta profissional não pode ser escolhida nem pela diretora nem pelo Conselho da Escola, mas sim através de concurso para o cargo específico de Coordenadora, Orientadora ou Supervisora Pedagógica como é feito aqui no Rio. A futura CP tem que ser Pedagoga e ter especialização em Coordenação e Supervisão dessa forma fica mais fácil até mesmo para cobrar possíveis erros e equívocos pois elas têm que se submeter a própria Secretaria de Educação e não a Diretora ou ao Conselho.
Desculpe, corrigindo, submeter-se ao Conselho sim, na forma da lei.
professor anônimo disse…
Na EMEF IMPERATRIZ, uma das coordenadoras pedagógicas tirou licença médica (altamente justificada), aí, foi levado ao Conselho a professora de educação física, ela se propunha a ser a coordenadora pedagógica substituta. Por falta de opção ela foi "eleita". Tiveram que arrumar um professor para substituir ela, já que ela é professora de ed. física desta escola. Mas, o que mais chama a atenção é que essa professora responde a um processo por ter invadido a casa de uma aluna, alegando que a aluna havia roubado uma bola. Ela, literalmente, entrou na casa da aluna para pegar a bola de volta.
Se a aluna roubou a bola ou não, eu não sei, só sei que invasão de domicílio é crime. Além, disso ela manipula as crianças contra as mães do conselho, ela xinga as mães do conselho para os alunos e proibe as crianças de dizerem o que pensam no conselho.
Esse papo, de coordenadora pedagógica ser eleita pelo conselho é puro PAPO FURADO.
Ah! Essa professora é amiga intima da diretora MANIPULADORA, pode?!
Ela não fez nada como coordenadora,
batia papo o dia inteiro com a diretora, sem contar com as saídas constantes dentro do horário de trabalho.
Giulia disse…
Gente, vocês leram os depoimentos da diretora Andarta no último post "O papel dos pais na escola"??? A gente que luta há anos e anos pela educação pública já viu de tudo, por isso não podemos nos basear apenas na nossa experiência pessoal! O que essa diretora trouxe de novo para o nosso debate foi a visão INÉDITA de uma diretora realmente democrática!
Maria Elvira, não é só em São Paulo que os CPs tratam seus alunos como "cavalos", no Brasil inteiro isso acontece! E não é a qualificação que garante a "boa educação" dos profissionais! Estou falando de trato, não de competência. A escolha dos CPs pelo Conselho de Escola não envolve apenas os pais, envolve todos os segmentos da comunidade: professores, funcionários, alunos e a direção da escola! Portanto, como diz a diretora Andarta, a responsabilidade da escolha se divide e isso é bom para todos.
Professor anônimo da EMEF Imperatriz, isso impede inclusive que a CP seja escolhida exclusivamente por ser "amiga íntima" da diretora da escola, você entende? É claro que se o Conselho for uma "panela" como na maioria das escolas, seus membros vão dizer "amém" à diretora! É por isso que a nossa luta é mais ampla: em primeiro lugar, eleger um Conselho de Escola realmente DEMOCRÁTICO, em segundo lugar garantir que ele possa escolher os melhores profissionais. Quando meus filhos estavam no ensino fundamental, na gestão do Mário Sérgio Cortella, o Conselho de Escola escolhia até os diretores!!! E funcionava muito bem, porque a Secretaria da Educação era tão democrática que nós pais podíamos denunciar qualquer deslize diretamente para as autoridades maiores. Ái do diretor de escola que passasse por cima da autoridade do Conselho!
Nunca mais houve uma gestão tão democrática, que eu tenha tido conhecimento. É por isso que a gente NÃO PODE CONFIAR NA BOA VONTADE DAS SECRETARIAS DA EDUCAÇÃO! A própria sociedade precisa se organizar e cobrar o que está na lei: CONSELHOS DE ESCOLA ELEITOS DE FORMA DEMOCRÁTICA E QUE POSSAM ESCOLHER OS CPs DAS ESCOLAS. Vocês já pensaram no papel importante do CP? É ele que deveria fazer a ponte entre o professor, o aluno, a comunidade e a direção da escola. Ele deveria ter a competência de garantir que o professor esteja dando aulas consistentes, que o aluno tenha suas aulas de recuperação, que o programa seja cumprido etc etc...
É por isso que perdi as estribeiras com essa decisão da SEE de escolher os CPs de forma autoritária! Se mesmo hoje ninguém ouve a voz dos pais quando um CP "apronta" ou simplesmente não trabalha, como vai ser daqui para frente???
É verdade, a escola se perdeu em contradições e desmandos. De forma que hoje professoras também se sentem acuadas dentro da escola. Continuo afirmando que acho justa a luta de pais responsáveis e conscientes como você. E afirmo, da mesma forma que Coordenadoras e Diretoras incompetentes prejudicam os pais e os alunos, também prejudicam os bons professores. Pois quando nós tomamos a defesa do aluno somos discriminadas por elas. Conchavos nunca fizeram bem a escola.
Este comentário foi removido pelo autor.
Ainda assim quero crer que nem tudo está perdido. Na escola municipal onde trabalho a tarde, nós temos um verdeiro exemplo de democracia na escola. Eleições limpas, participação direta de pais em todos os temas, discussões entre as professores antes de agir e principalmente uma diretora muito comprometido com a comunidade pois faz parte dela. Pena que o morro em questão esteja totalmente controlado pelo tráfico e seja muito violento. Isto mantém os pais muito afastados da escola. Nós continuaremos insistindo.
Giulia disse…
Que bom, Maria Elvira, que a sua escola é outro bom exemplo!
Isto significa que o cabeçalho do EducaFórum está correto: é necessário implantar uma POLÍTICA PÚBLICA DEMOCRÁTICA. A sua escola e a da diretora Andarta são exceções que confirmam a regra. Onde a lei não é cumprida se instaura a bagunça!!! Depende das Secretarias da Educação COBRAR que as escolas procedam a uma eleição democrática do Conselho de Escola. Mas, SE A MAIORIA DOS SECRETÁRIOS DA EDUCAÇÃO SÃO AUTORITÁRIOS, ISTO NÃO ACONTECE. E NÃO ACONTECE NA MAIORIA DAS ESCOLAS, PORTANTO A MAIORIA DOS SECRETÁRIOS DA EDUCAÇÃO SÃO AUTORITÁRIOS!!!
cremilda disse…
Carissima Giullia, não adianta, quem nasceu para Giullia de Pierro não vai chegar a ser Cremilda ou vice versa.
Você começou ameaçando baixar o nível e continua muito fina, muito elegante.
Essa cambada não entende essa lingua não.O que ocorre é que você jamais vai conseguir estar no nível delas
Por conta disso é que eu chuto sempre da medalhinha para cima
Não consigo ser polida e ainda digo que a linguagem da dor não pode ser elegante.
Só não consigo ofender a secretária por mais grossa que eu seja, simplesmente porque não existe um palavrão do tamanho da minha indignação
Amo você, su coragem e sua finesse.
Giulia disse…
Cremilda querida, você acabou com a minha autoestima, rsrs! E eu achando que baixei o nível pra valer!!! Também te amo, mas fiquei chateada de você confirmar que não passo de um...Pierrô...
Sonia disse…
Vocês duas (GIULIA e CREMILDA), são formidáveis, duas mulheres batalhadoras, duas mulheres surpreendentes,duas mulheres que dão muita inveja à muitas outras mulheres, inclusive eu, inveja branca, é claro!
Admiro vocês!
Como professora e mãe também, eu penso que a escola pública deve ser defendida por todos. Vozes devem se levantar, críticas precisam ser feitas, mas sempre com lucidez. Quando começamos a chamar outras pessoas de "cavalos e animais" não estamos contribuindo para o diálogo. E, quando eu digo para você Giulia que aqui no Rio as coisas são diferentes é pq são sim. Uniformes são obrigatórios pq as prefeituras distribuem gratuitamente mais de uma muda e nenhuma taxa é cobrada nas escolas. Além disso, nós que atuamos em favelas (vcs ai chamam de bairros de periferia) onde ficam a maioria das escolas públicas, trabalhamos acuadas e com medo o tempo todo. O que eu quero mostrar é que existem realidades e realidades. Fica muito injusto generalizar o tempo todo utilizando o artigo definido. Não são "as" escolas ou "as" professoras. Talvez para sermos mais justas devemos usar "certas" escolas e "algumas" professoras. T
Giulia disse…
Oi, Maria Elvira, talvez você esteja trazendo para nós informações novas. As duas únicas referências que temos do Rio de Janeiro são o Colégio Pedro II, (que é federal e que sofreu greves absurdas nos últimos anos, como informaram pais de alunos) e o CIEP de Trajano de Moraes, que é absolutamente "top de linha", para não dizer que é a melhor escola pública do Brasil. Gostaríamos de receber mais dados concretos sobre as escolas do Rio, pois já cansamos de publicar posts sobre o CIEP de Trajano de Moraes, visto como um exemplo para todo o país, já que até o ano passado os professores ainda não eram formados e conseguiam fazer "milagres" com um mínimo de recursos. Continue informando a gente!
Divinas Damas disse…
Olá!

Dica de boa leitura

Críticas irônicas e inteligentes

Blog: MOSAICO DE LAMA:
www.mosaicodelama.blogspot.com

Comu: POLÍTICA NÃO É LIXEIRA
http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=30542704

Caso não goste, delete...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse…
Prof
Desculpa mas não acredito.
As escolas do rio como em todo Brasil são péssimas.
Concordo com voce quando diz que não devemos chamar professoras que não ensinam, humilham, torturam e ~dão maus exemplos de cavalos e animais.Nâo é justo com os cavalos e com os animais.
as educacadoras são a minoria esmagada na escola pública e elas não tem medo nem de aluno e nem dos pais.
as educadoras também se indignam como nós e reconhecem que a maioria das colegas são bandidas, mas se omitem p0r ser a minoria mesmo ou desistem de ensinar na escola pública
A Giullia é uma pessoa delicada, mas dá o seu recado direitinho, ela quer manter o diálogo em bom nivel, ela é ela
eu já acho que a senhora falta com a verdade e aqui tambem temos favela e nas favelas é que os professores mais aprontam....
cremilda
Giulia,
Respondendo a sua mensagem. Tem escolas e tem escolas. Realmente neste Ciep citado por vc há um trabalho muito bom e também no Ciep Nação Mangueirense pois tem muito apoio de multinacionais e até mesmo do governo norte-americano. Pelo que posso informar, pois é do meu conhecimento, as escolas municipais aqui do Rio são melhores do que as estaduais. Os municípios estão mais organizados e apesar de muita coisa ainda ter que ser feita acho que estamos encontrando um caminho. Da minha parte acredito que somente com muito trabalho poderemos melhorar a escola pública. E é claro que contamos com pessoas realmente interessadas como vc.
Agora falando com vc Cremilda (anônimo???) Realmente muitas das escolas públicas localizadas em favelas são péssimas, mas vc já esteve em algumas destas regiões. Tem idéia do que é trabalhar lá. Como professora da rede pública me sinto diretamente atingida. Como eu disse no e-mail anterior é fogo trabalahr lá e eu sei disso pq eu passo 8hs do meu dia em uma favela. Vc não pode nem fazer uma palavra sobre os perigos de fumar e beber na gravidez que o traficante te ameaça. Já fui assaltada e roubada por alunos diversas vezes e até mesmo "cuspida" por uma mãe. Você conhece o famoso complexo de favelas do Alemão? Tenho certeza de que não conhece. Pois é, já perdemos duas colegas lá. Simplesmente pq estavam avisandoa s crianças que os traficantes distribuem balas com cocaina na porta destas escolas.Me diz quem é o "animal"?
Como já disse a Giulia, repito pq entendo que ela é uma mãe consciente, educada e inteligente. Somente através de muito trabalho poderemos mudar as coisas. Violência só gera violência, o melhor exemplo disso é a participação da polícia nestas comunidades.
Quanto ao Pedro II, simplesmente foi abandonado pelo governo federal, que aliás nunca faz nada. Só continua exitindo por pura teimosia de seus professores, todos com mais de 30 anos de magistério. (Eu estudei lá, sei bem disso...)
Olha só Cremilda, eu não estou faltando com a verdade não. vc é que está muito mal informada. esta notícia é do ano passado. Lei abem, por favor.
Foi publicada no jornal de maior circulação no Rio de janeiro:

Letícia Vieira - Extra e O Globo Online

RIO - Os profissionais de educação da rede municipal de ensino do Rio decidiram entrar em estado de greve, em assembléia realizada à tarde, no pátio do Ministério da Educação (MEC). A categoria fará uma nova paralisação no dia 5 de junho. O estado de greve significa que a categoria pode decidir entrar em greve por tempo indeterminado a partir da próxima assembléia. A categoria quer a revogação da Resolução 946 da Secretaria Municipal de Educação (SME), que cria a aprovação automática dos alunos e um reajuste salarial de 30%.

Na manhã desta quarta, a categoria parou por 24 horas e realizou um ato público em frente à prefeitura, com a presença de cerca de 4 mil pessoas, entre professores, funcionários administrativos, alunos, pais e responsáveis. Segundo o Sepe, no início da tarde, a Guarda Municipal e policiais do 1º Batalhão da PM agrediram diversos manifestantes, iniciando um tumulto. Ainda de acordo com os profissionais, os policiais utilizaram gás de pimenta e agrediram fisicamente as pessoas.

A secretária de Educação Sonia Mograbi não recebeu a comissão. Com o impasse criado, a Guarda Municipal retirou à força a comissão do Gabinete, descumprindo o compromisso de receber o sindicato.

Como a secretária não recebeu a comissão, os manifestantes decidiram realizar uma passeata da Avenida Presidente Getúlio Vargas até a Candelária.

No próximo domingo, dia 27, às 10h, a categoria, alunos, pais e responsáveis realizam um ato público na orla de Copacabana contra a aprovação automática. A concentração será em frente ao Hotel Meridien.



O presidente da Comissão de Educação da Câmara dos Vereadores, Dr. Jairinho (PSC), manifestou apoio à paralisação dos professores e disse que vai lutar pela derrubada da Resolução, que considera catastrófica.

- O sistema de ciclos imposto pela prefeitura desestimula os alunos a estudar e desvaloriza os professores, que hoje já convivem com baixos salários e falta de estrutura nas escolas - criticou o vereador, que já deu entrada em um projeto de decreto legislativo que susta os efeitos da resolução. Dr. Jairinho também convocou audiência pública com a secretária municipal de Educação, Sonia Mograbi, para explicar os efeitos da medida. A secretária, no entanto, tem se negado a marcar uma data para comparecer à Câmara.
Prof Suely disse…
Bom, eu gosto muito do blog da Giulia, acho ela uma pessoa inteligente, sensata, sabe manter um discurso polido, de alto nível. Eu conheci este blog por indicação de outra professora amiga. E vou te dizer mais, a Giulia é respeitada pelos professores tb. É claro, existe uma minoria,q como ela mesmo diz, veste a carapuça.
Eu só lamento muito, mas muito mesmo q ela não reconheça nestes anônimos ou apelidos a Sra Cremilda, com seus jargões e frases feitas tão conhecidas.
Giulia, eu sei q vc não gosta muito do orkut,mas antes de julgar o q estou falando, por favor, perca um pouquinho do seu tempo, e pesquise quem é Mira Taicheiro, Pedro Serra, coloque para pesquisar inclusive Cremilda Estella Teixeira, daí vc entenda pq ela conquistou comunidades falando mal dela. Vc vai entender pq ela é tão ridicularizada e vc não.Inclusive até os próprios comentários do blog dela é ela mesmo quem faz. Preste atenção nas repetições das palavras e os horários. É um seguido do outro certinho.
Giulia, eu relutei muito para postar isto, imagino q vc não vai gostar da minha atitude, e sinceramente eu entendo. Mas as vezes Giulia, que está de fora vê melhor. E esses barrocos q ocorrem no educaforum foram feitos por essa Sra.
Só insisto q antes de qualquer jugamento pesquise no orkut, mesmo vc não gostando dele.
Giulia disse…
Prof. Suely, conheço a Cremilda pessoalmente há muitos anos e continuo não dando a mínima para o Orkut, uma fogueira de vaidades, fofocas e baixaria que me dá preguiça só de pensar! A Internet tem espaços muito melhores para se visitar, inclusive o blog da Cremilda.
Anônimo disse…
Giullia, eu me sinto privilegiada em ser contemporânea de uma mulher como você
O Orkut é o único espaço onde se pode "pode?" injuriar,insultar e difamar uma pessoa sem ser punido imediatamente, por conta disso é que as "professoras assassinas" se reunem em comunidades para mostrar quem realmente são.
O que me deixou perplexa com essas comunidades do Orkut foi a declaração de um professor que assinava Edu, ele ensinava como se livrar de um aluno dificil, segundo ele, era só colocar uma porção de droga na mochila de um aluno e chamar a policia, quando lei me revirou o estómago, mas depois disso, cada vez que um professor escreve que aluno leva droga para a escola eu fico pensando se ele não é mais uma vitima de uma professora assassina.
Elas deletaram a comunidade mas se espalharam e se reunem em outras, inclusive nessas onde elas colocam minha foto com montagem obscena e tentam me desqualificar.
Quando ao "anônimo" é que não consegui postar de outro modo, mas assinei meu nome no final, então não é anônimo né?
cremilda estella teixeira
Anônimo disse…
Prof
Pena que morreram duas professoras na escola
Pior é a situação de alunos, morrem aos montes por falha da escola diretamente ou em consquencia dela.
Sei de casos de arrepiar os cabelos
Todos alunos expulsos da escola por intolêrancia tem seu atestado de óbito pronto.Mesmo aqueles que a escola expulsa e se matriculam imediatamente na escola da criminalidade, escola onde sempre tem vaga, são aqueles que vão prematuramente para a vala comum de qualquer cemitério público
No Rio a casa 4 minutos uma criança ou adolescente sofre um tipo de violência ou morre em consequencia dela
Cremilda Estella Teixeira
GIULIA,
ESTE É O ÚLTIMO COMENTÁRIO QUE EU VOU POSTAR NO EDUCAFORUM. PENSEI QUE FOSSE UM ESPAÇO SÉRIO. CULPAR A ESCOLA PELA MÁ QUALIDADE EO ENSINO, POR PROFESSORAS INCAPAZES OU CURRICULOS MAL ELABORADOS VÁ LÁ. MAS CULPAR A ESCOLA PELAS MORTES DE ADOLESCENTES QUE SE ENVOLVEM COM DROGAS. PELO AMOR DE DEUS. VOCÊS ACHAM QUE SE OS PAIS NÃO FOSSEM NOSSOS PARCEIROS EM MUITAS DAS ESCOLAS TERIAM ENFRENTADO A POLÍCIA JUNTO CONOSCO NO DIA DA PASSEATA.
DESCULPE GIULIA, MAS ASSIM FICA DIFÍCIL. BOA SORTE EM SUAS BOAS INTENÇÕES, DE CORAÇÃO EU SINCERAMENTE TORÇO POR PESSOAS HONESTAS E EDUCADAS COMO VOCÊ. MAS ESTE ESPAÇO EU NÃO FREQüENTO MAIS. SOU RESPONSÁVEL, SOU CONSCIENTE E ACIMA DE TUDO EU AMO OS MEUS ALUNOS, ALGUNS ATÉ JÁ ME PEDIRAM QUE OS LEVASSE PARA A MINHA CASA E EU MA NÃO VOU ME TORNAR ANTIÉTICA FALANDO MAL DAS MINHAS COLEGAS PARA AGRADAR UNS E OUTROS.
BOA SORTE!

P.S. VOCÊ CONHECE UM DITADO QUE DIZ: " DIGA-ME COM QUEM ANDAS E TE DIREI QUEM ÉS."
Anônimo disse…
Vamos separar as coisas, por favor...
A Giullia é uma Lady, não tenho dúvida.
A Cremilda é dura, vai direto ao assunto.
Prefiro o estilo da Giullia e não tenho o hábito de escrever, leio e pronto, sou um tanto preguiçoso.
Lamentavelmente, as professoras mostram que não sabem ler ou ouvir as verdades sem ficar ofendidinhas. Quando a carapuça não nos serve, a gente passa batido
Acho que precisamos de muitas mulheres como a Giullia que bate com elegância. As más professoras precisam de mulheres como a Cremilda que bate pesado e, como ela mesmo diz: " da medalhinha para cima"
Claro que a escola pública e seus professores tem culpa da crescente criminalidade. Claro que tem culpa da violência, claro que tem culpa do desemprego. Todos temos culpa, até os pais que somam com os maus professores para agrada-los na esperança de não ter seus filhos perseguidos.
Um pais de primeiro mundo é de primeiro mundo por causa da escola
Uma escola ruim, autoritária cruel é uma escola que afunda o pais.
Claro que tem muita gente interessada que a escola não melhore.
Se a escola pública no Brasil não melhorar, a corrupção continua e beneficia os corruptos.
Povo com pouca instrução é povo tolerante com a corrupção e mais conformado....
Os maus professores estão a serviço da corrupção e se beneficiam dela, os bons professores estão também perplexos e desesperados com este estado de coisa.
Acho que proteger os maus professores, que são aos milhares é desproteger os bons que são poucos, mas fazem toda a diferença, já li algo parecido no blog da Cremilda, ela reconhece que tem os educadores na escola pública.
Os educadores sabem que tanto a Giullia como a Cremilda estão com razão e não tentam tapar o sol com a peneira.
Ufa!!!, acho que já escrevi demais
Aiach disse…
Gente, essa professora Maria Elvira é candidata a alguma coisa?

Ao invés de comentários, ela discurssou o tempo todo, parecia mais texto pronto, e além de tudo, em alguns momentos piegas demais.

Aqui, cada um têm o direito de falar o que quer, o que senti, mas daí a discurssar, ninguém aguenta.
Vera Vaz disse…
A proposta desse blog é ser um espaço democrático que discute EDUCAÇÃO. As pessoas que aqui postam tem toda a liberdade de se colocar e NÃO ESTÃO em julgamento. Isso é um blog de idéias e não de fofocas educacionais!!!!!!!!!! Estamos fora do Orkut exatamente por esse lado pessoal ser colocado acima das idéias. Aqui cada um no seu estilo pode se pronunciar sem medo de represálias e esperando ver seu pensamento discutido e não sua pessoa. Não cabe aqui desfiar defeitos ou qualidades de ninguém e sim de como vem sendo ministrada a Educação no país. Senão pode virar um jogo de egos ou uma troca de acusações pessoais o que seria muito improdutivo e sem sentido!
Anônimo disse…
Não posso deixar de aproveitar o espaço para dizer que estamos sempre aprendendo.
Com a Giullia eu aprendi muito, a Glória foi além e escreveu um livro.
Cada uma com nosso jeitão.
Nâo dá para esquecer a Caroline que insistiu que eu comprasse um computador, eu usava o bom e velho correio, ela tanto fez que me fez comprar um e ainda de quebra me deu as primeiras aulas
Hoje não posso me imaginar sem o computador, com o qual me sinto plugada no mundo.
Cada uma está fazendo mais do que pode por amor ao Brasil, lutando por uma escola pública de qualidade.
Tem a Vera e um monte que eu não conheço, mas todas com a mesmo objetivo. Aprendo um pouco todo dia, um pouco aqui e outro alí e vou indo....
Orkut, não dá mesmo, um tempão perdido, ofensas e um nível baixissimo que não acrescenta nada.
Cada qual no espaço que acha que lhe convém.
Cremilda
Anônimo disse…
Saber que temos pessoas como vcs que podem e tem peito aberto para poder dizer as verdades e não esconder os fatos já é um grande orgulho para uma simples professora que sempre pois os problemas da sua comunidade escolar e o bem estar dos alunos em primeiro lugar.
Gostaria muito de estar em outra posição para poder me manifestar com fatos reais que presenciamos nas escolas. São muitos que chegam a embrulhar o estomago. Como conseguem determinados professores , coordenadores , diretores , vice ... fecharem os olhos para os problemas e fazerem de conta que não está acontecendo nada.Muitas vezes penso em abandonar 27 anos de educadora , jogar tudo para o alto e começar novamente sem vinculos com órgãos públicos, assim ficaria livre de injustas punições que me foram atribuidas em processo administrativo por ficar do lado da verdade ( pais , comunidade).Mas como minha educação fala mais alto ...continuo buscando provas para se fazer valer o direito dos pais e alunos da EE. Prof. david Eugenio dos Santos ( SP), onde a diretora afastada retornou ao seu posto e continua aterrorizando profissionais da educação que testemunharam contra ela, SOU VIGIADA CONSTANTEMENTE.( Hoje estou de licença médica devido a todo esse processo).Sou chamada de louca , desequilibrada , anormal , surucucu , anaconda e outros , pela diretora e sua cupula.
As reuniões de APM e CE continuam sendo manipuladas,ela assedia moralmente qq pessoa que esteja ligada a mim.( Faz terrorismo).
Saber que estes videos estão no yotube já é o máximo, é sinal que o assunto não caiu no esquecimento e não fará parte das estatisticas sendo apenas mais um .Ela ainda vai ser julgada e isso servirá de prova.
TUDO VALEU A PENA SIM .
Eu como professora faria tudo outra vez.
DENUNCIEM.

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola