Pegando ainda mais pesado!

Infelizmente temos tido problemas no envio de documentos às autoridades. Os e-mails voltam! Está difícil entender se quem nos informa os endereços é incompetente ou faz de propósito em passar dados errados. Por isso, na dúvida, preferimos publicar aqui a íntegra dos documentos enviados. Segue e-mail transmitido hoje ao Secretário da Educação do Município de São Paulo, Alexandre Schneider. com cópia para as demais autoridades envolvidas.

E d u c a F ó r u m
http://educaforum.blogspot.com

Sr. Alexandre Alves Schneider
Secretário da Educação do Município de São Paulo
claudiaoliveira@prefeitura.sp.gov.br
Cópia Sr. Waldecir Navarrete Pelissoni
Chefe de Gabinete
wpelissoni@prefeitura.sp.gov.br
cópia para Sra. Hatsue Ito
Coordenadora de Ensino de S. Mateus
smecesaomateusadm@prefeitura.sp.gov.br

Graves denúncias sobre a EMEF Imperatriz Dona Amélia – São Mateus - 5º documento

Sr. Secretário,

Após o início da apuração preliminar referente às denúncias sobre a EMEF acima, imaginamos que os pais denunciantes teriam, ao menos, alguma tranqüilidade no início deste ano letivo. Esperávamos que a direção e a equipe docente da escola tomariam cuidado em não perseguir os alunos filhos desses pais, por conta da investigação. Aparentemente, porém, esses profissionais estão livres e soltos para praticar suas represálias contra os alunos, a fim de atingir os pais. Com isso, o ambiente escolar está tenso e insuportável.

Pedimos informação sobre o andamento da "apuração", pois no final do ano soubemos que ela seria adiada por "mais vinte dias" e que não havia data para ser concluída. Pedimos também que a SME solicite o livro de ocorrências da escola, onde já estão registradas diversas denúncias de pais de alunos com respeito à ATITUDE ANTIPEDAGÓGICA da direção e da equipe docente.

Nossa maior preocupação, no momento, é com a integridade dos alunos, principalmente os filhos dos pais denunciantes. Apenas para dar uma idéia do tipo de problemas que nos são relatados, seguem alguns trechos de denúncias anônimas:

Infelizmente, a perseguição aos filhos das mães denunciantes continua.
Ontem, dia 25 de fevereiro, houve uma reunião de conselho onde foi registrado em Ata que a classe ..... estava péssima em seu comportamento, pois até atos obscenos estavam acontecendo e que os professores nem conhecimento tinham e se tinham fingiam que não sabiam. No mesmo dia, a diretora subiu até a sala da classe..... para conversar com os alunos, leu para todos o que estava escrito no livro de reclamações e disse o seguinte:

- Recebi uma reclamação de vocês, essa reclamação diz que vocês estão fazendo algumas brincadeiras obscenas, sendo assim, gostaria que vocês escrevessem num papelzinho os autores dessas brincadeiras. Deixo claro aqui, que essa reclamação NÃO partiu dos funcionários, nem dos professores e nem da direção.

Nesse momento a diretora deixou o livro de reclamações sobre a mesa de um aluno e esse aluno teve acesso aos nomes das mães reclamantes. No dia seguinte houve muita briga dentro da sala de aula, um dos meninos que faz brincadeiras obscenas disse que tem arma, que seu tio é da polícia e que vai matar os filhos das mâes reclamantes. Esse mesmo aluno xingou durante toda a aula de ciências os meninos e quem perto deles ficavam. Um dos meninos foi falar com a professora.........e essa disse: - Não posso fazer nada!
Estamos temerosos pela segurança de nossas crianças.

Sr. Secretário, fica bem claro que essa diretora agiu dessa forma de propósito! Com certeza a perseguição aos alunos filhos dos pais denunciantes continua e, além disso, a atitude dessa diretora é absolutamente ANTIPEDAGÓGICA.

Compartilhamos a preocupação dos pais quanto à segurança dos filhos e queremos deixar claro que, em qualquer situação que venha a ocorrer, a escola e a SME serão imediatamente responsabilizadas. Pedimos também que leia nosso texto "Rainhas da cocada", inspirado, entre outros, no comportamento da diretora da EMEF Imperatriz Dona Amélia. http://educaforum.blogspot.com/2008/02/rainhas-da-cocada-preta.html.

Mais uma vez entendemos que a SME é muito burocrática na apuração e na solução de problemas tão sérios como esse, que não são "casos-limite". A verdade é que a maioria esmagadora dos pais de alunos da rede tem medo de fazer denúncias claras e objetivas como os pais dessa EMEF, que não conseguiram, até hoje, sequer ser atendidos por V.Sa. Durante a única visita que fizeram à SME, junto com seus filhos, foram atendidos em um saguão, na passagem para os toaletes, e mal conseguiram transmitir suas denúncias.

Se for verdade - e duvidamos profundamente disso! - que V.Sa. tem interesse em estreitar os laços com a comunidade, deveria convidar esses pais para uma reunião séria, de portas fechadas e na presença da Coordenadora de Ensino, que recebe cópia desta mensagem. Mais uma vez manifestamos nossa decepção pela falta de transparência que envolve esse caso de autoritarismo e descaso numa escola da rede municipal.

Atenciosamente
EducaFórum e Movimento Ideamos

Comentários

Ricardo Rayol disse…
deve ser sacanagem
F............. disse…
Discriminação nessa Emef é total.
Hoje eu e a outra mãe fomos ver se a direção da escola havia tomado uma atitude sobre o fato ocorrido na classe...
Fomos muito mal recebidas pela assistente de direção na janelinha da secretária,nesse instante,uma mãe chega e fala que foi chamada pra conversar com a CP.
A assistente de direção fala pra mãe dar a volta, e entrar pelo outro portão dentro da escola.
Resumindo mães que lutam pelos direitos dos alunos só entram na escola quando é reunião de pais e de conselho.
Enquanto outras mães entram a vontade.E na primeira reunião de conselho deste ano, o primeiro item da pauta era que no plano de trabalho da escola melhorasse o relacionamento com os pais e comunidade aproximando os pais do processo pedagógico.
BRINCADEIRA !!!!!!!!!!!!
Giulia disse…
Oi, Danielle, respondi seu comentário sobre a eleição dos Conselhos de Escola no Rio de Janeiro. Vá lá no post sobre Alunos de Elite. Infelizmente você não deixou seu e-mail e não pude responder diretamente. O assunto é bem interessante e merece discussão. Obrigada pela participação e um abraço!
Anônimo disse…
Infelizmente essa escola não é exceção na rede municipal, é a regra! Por isso mesmo a secretaria está com medo de mexer nesse vespeiro... Além do mais, a Coordenadora Hatsue é a queridinha da secretaria, ninguém mexe com ela. E ela vive falando "A Emef imperatriz é a MINHA ESCOLA"...
Anônimo disse…
Anônimo vc está bem informado, hein!...rsrs

Anônimo II
Anônimo disse…
Giulia, quando 80% de uma classe tira nota abaixo da média, ou seja, 0 (zero), a culpa é de quem...dos alunos que não estudaram ou do professor que não se dedicou????????????????

Mãe de aluno
Giulia disse…
Pois é, se o mérito e "desmérito" fosse só do aluno, então pra que precisaria de professor?...
Eu não quero ser muito otimista (sempre me sinto uma idiota quando tenho idéias muito positivas), mas parece que alguma coisa está mudando na mentalidade brasileira a esse respeito. A prova de uma verdadeira mudança será justamente quando a recompensa do professor for baseada na melhoria dos alunos. Por enquanto, trata-se de mero blá-blá-blá...

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola