Ninho de cobras!


Já comentei que um dia minha filha caçula voltou chorando da escola, pois o professor de física havia feito um longo discurso para a classe, afirmando que os alunos "estavam perdidos e não tinham futuro", por não poderem competir com aqueles da rede particular...
Já se passaram mais de quatro anos, mas a perversidade da classe "docente" brasileira continua a todo vapor, como acabo de ler no depoimento de um aluno no orkut. A reação desse aluno me surpreendeu agradavelmente. Ele foi muito mais maduro do que a minha filha e deu de dez a zero na múmia do professor. No entanto, tenho certeza de que o dito cujo vai continuar vomitando seu veneno por aí...

Finalmente, vida inteligente numa comunidade de professores no orkut! Pena que o único comentário interessante que encontrei lá foi de um aluno... rsrs

Semana retrasada, após ter o resultado em mãos e saber que fui aprovado no ano letivo, na saída da escola meu professor de História me pára na rua perguntando pq não estou em uma escola particular se tenho "condições" para tal. Respondi que estou na rede estadual por vontade própria e estou gostando (por motivos que talvez futuramente comente aqui), ele por sua vez, demonstrando surpresa, começou a dizer as vantagens de estar em uma escola particular, ao mesmo tempo em que "colocava no chão" a escola e os alunos da rede estadual. Após todo um discurso sem fundamentos e sem nenhum princípio para um educador (chegando até ousar mencionar o método Paulo Freire), perguntei a ele: Professor... o que o sr. faz aqui então? Não obtive resposta.

Encontrei este depoimento na comunidade "Educação" do orkut (43.018 professores discutindo "abobrinhas" de todos os tipos...) e descobri o blog pessoal do aluno:
http://paulhacos.blogspot.com/
Merece uma visita!
Em tempo: minha filha "sem futuro" acaba de se formar em Artes Plásticas na Unesp, tendo apresentado no TCC um trabalho de qualidade muito superior aos conhecimentos que adquiriu na própria faculdade, o que lhe valeu nota 10. Além disso, após um ano de estágio remunerado, acaba de ser efetivada no cargo de Webdesigner Jr.

Comentários

Ricardo Rayol disse…
o garoto arrebentou com o sujeito. presença de espírito notável.
Giulia disse…
Ricardo, você leu o post "Corrupção na educação"? É o tipo de assunto tabu que ninguém comenta, por que só alguns poucos pais que conseguem montar o quebra-cabeça entendem toda a perversidade do sistema. Não existe ingenuidade no "discurso" de professores como esse que "colocou no chão" a escola particular! Certamente ele faz parte de algum esquema para favorecer a rede particular de ensino! Esse garoto deve estudar em uma escola pública "de classe média" (pois é, elas existem!...), que oferecem ensino "puxado" e tendem a expulsar os alunos mais "fracos". Essas escolas costumam estar localizadas em bairros "nobres" e "atrapalham" a rede particular, pois atraem a classe média. Nesses casos, é muito comum que a escola particular do mesmo bairro "recrute" algum supervisor de ensino corrupto (nem precisa recrutar, eles se oferecem, rsrs) para promover o esvaziamento da escola. Foi assim com a escola onde meus filhos fizeram o ensino médio. Após alguns anos de diminuição das matrículas, ela foi simplesmente fechada!
Giulia disse…
Ops!!! Corrigindo: "Não existe ingenuidade no discurso de professores como esse que "colocou no chão" a escola PÚBLICA."
Mauro disse…
Professorinha: - O que você quer ser quando crescer?
Aluna de 14 anos: - Webdesigner.
Professorinha: Webdesigner??? Que diabos é isso??? Isso deve ser coisa do "capeta"...

Giulia,
Já imaginou que essa profissão não existia há 10 anos? 1998 foi o início do proceso de democratização do acesso a internet.
Imagine quantas crianças são diariamente "deformadas" e "demonizadas" por nossas escolas públicas... escolas que apenas exigem que os alunos decorem antigas liçoes... escolas que não ensinam nossas crianças a pensar e nem a se prepararem para o futuro.

E ainda aparecem vários políticos imbecis querendo proibir que os alunos tenham acesso às novas tecnologias... tem deputado imbecil querendo proibir celular e até mesmo calculadora eletrônica nas escolas...

A "professorinha" não estava totalmente errada, pois o(a) webdesigner projeta e administra um "universo paralelo"... e, em muitos casos, pode lançar luzes sobre as escolas públicas, acabando com o império das trevas e o mito da professorinha santa e abnegada.
Neste sentido, quem traz a luz pode ser identificado com Lúcifer... mas, na mentalidade medieval que impera nas escolas públicas, quem desafia os mitos do obscurantismo religioso é o diabo, o capeta. Daí a associação rasteria da professorinha: webdesigner é coisa do capeta.

É só por enquanto.

S. Paulo, 05/02/2008
Mauro A. Silva
Movimento Comuidade de Olho na Escola Pública
Said disse…
Sabe o que mais me chama a atenção, é que os professores vivem se queixando de salário, que o estado paga pouco, fazem greve, paralisação, etc..., e no entanto cada dia cresce o interesse para entrar numa escola "PUBLICA", e o mais interessante ainda é que eles só tem CARRÃO do ano.
Quem não acreditar nisso, é fácil, é só ir a qualquer estacionamento de escola pública e verificar com os próprios olhos. Só tem ccarrão, um melhor que o outro.
Giulia disse…
Mauro, adorei a "professorinha" que você inventou! Na época que a minha filha estudava, a escola imprimia os comunicados no mimeógrafo...
Mas parece que continuamos um pequeno bando de andorinhas, Mauro! Você se sente tão frustrado quanto eu?
Mauro disse…
Giulia,

Tem muita coisa mudando...
Acabou-se o mito da professorinha santa ou abnegada...
A "farra das faltas com atestados médicos fajutos" já está acabando... ou diminindo sensivemente...
2005 foi o ano em que o governo Lula iniciou a divulgação das "notas das ecolas"...
Pela primeira vez tivemos uma "Conferência de Educação" onde os pais partciparam na organização e na indicação de palestrantes... vamos à Brasília em abril de 2008 para a Conferência nacional da Educação Básica...
O Senado Federal aprovou a "CPI do apagão Educacional"...

Você deve lembrar-se muito bem que faz 10 anos que o movimento Escola Para Todos, promovido pel Fórum Municipal de Educação e apoiado pela OAB/SP, estabeleceu a matrícula unificada na cidade de São Paulo (prefeitura e governo do Estado)... acabaram-se as "filas para matrícula" e falsificação das famigeradas "lista de espera para vaghas remanecentes"...
Você, como coordenadora do Fórum, deve lembrar da cara de desespero da secretária estdual de educação quando apresentamos as mais de 800 ações exigindo vagas nas esolas públicas...

Fico contente e satsfeito por cada uma das crianças que sobrevivem ao fracassado modelo educacional brasileiro.

A batalha atual é pela criação de uma "Ouvidoria do Aluno"... uma ouvidoria indeopendente da corporação de professores...

Á nossa diferença, enquanto pais conscientes, foi justmente manter um registro documentado de todos os abusos que a escola pública pratica contra alunos, pais e comunidade.

Hoje, mais de 10 anos após o início das nossas lutas, tem até programa de rádio que diarimente desmascara a corporação de maus profissionais.

Muitos alunos e pais são inspirados pela nossa atuação. Só isso já é motivo para não desanimar.

É isso, por enauqnto.

Mauro A. Silva
Movimen to Comunidade de Olho na EscolaPública
e membro atuante do Fórum Municipal de Educação da Cidade de São Paulo.
conjunta e g
Giulia disse…
Mauro, que bom que sua avaliação é positiva! Veja o comentário que uma professora da EE David Eugênio dos Santos postou aí abaixo. Se os professores começarem a vir a público, aí a coisa vai.
Andarta disse…
Quantas denúncias absurdas ando lendo aqui.
Faz mal para meu estômago de educadora.
A culpa não é do blog, que faz a sua parte e deve mesmo denunciar, mas sim de pessoas ignorantes e despreparadas atuando em nossa rede de ensino e pior impunimente.
Escola pública de QUALIDADE , pois pagamos impostos pesados e dá sim, para termos educação qualificada.
Não são todos, mas aprovamos muitos alunos na UNESP,USP, UNICAMP E UFSCAR.
Claro que a escola fazendo com decência sua parte, e o aluno estudando o que lhe cabe, teremos jovens de sucesso nas escolas públicas.
Fiquei ausente nos comentários poque estava em processo de atribuição de aulas e tentando evitar que professores despreparados pegassem as poucas aulas que vai a nível de Diretoria na minha região.
É para isso que sou paga, para cuidar da qualidade de ensino que meus alunos terão.
Temos maravilhosos e abnegados professores que eu chamo de " DOCENTE DECENTE",mas tem uma escória que dá medo mesmo
Giulia você deve sofrer muito,mas não desista denuncie simmmmmmmmmmmmmm
Abraços a todos
Giulia disse…
Andarta, que delícia de mensagem!
Você tem razão, a gente sofre muito e ainda fica com pecha de encrenqueira, como se tudo se resolvesse colocando panos quentes nos problemas. O que publicamos aqui é apenas a ponta do iceberg, pois a maioria dos pais têm muito medo de denunciar e pedem orientação em sigilo. Entre o silêncio e a perseguição dos filhos, ficam com a primeira opção. É essa situação que precisa mudar! Profissionais como você, que vêm a público admitir que existe uma "escória" na educação, dão ânimo a esses pais e eles conseguem levantar os olhos e enfrentar de cabeça erguida o autoritarismo desses maus profissionais.
Gostaria que você lesse meu livro "O estuprador", lincado à esquerda, onde retratei uma escola de periferia e a perseguição de um aluno. Trata-se de um fato verídico cujo desfecho desconheço, assim me esforcei para dar um "final feliz" à história...
Obrigada pelo apoio, um grande abraço e continue com a gente!
Professor Paulo disse…
Dou aula na rede particular e na rede pública.
Não vejo uma grande diferença entre os alunos de uma escola e outra.Aliás no que se refere a jeito que dou minha aula não há diferença nenhuma!
Percebo que se o aluno tem um suporte , acesso a cultura e incentivo de pais e professores , ele pode chegar aonde quiser.
Na escola particular que dou aula os alunos tem acesso a livros , laboratórios, lousa digital , passeios culturais e a excelentes professores, motivados e que dão aula por gosto ao ofício.Porém percebe-se que alguns alunos são completamente desistimulados a estudar em casa , os pais não comparecem a reuniões e não seguem orientações de reforço escolar (pois não tem tempo , nem ha´perua para traze-los a tarde!).Também vejo uma resistência grande de alguns pais com relação a cobrança , já recebi várias reclamações devido ao fato de colocar questões de enunciado longo em minhas provas , tentando fazer o aluno chegar perto daquilo que será um vestibular ou um ENEM! Já reclamaram também pelo fato de eu e outra professora colocarmos algumas questões de vestibular em provas do 3 ano do ensino médio, um absurdo haja vista que o sistema didático utilizado pela escola é voltado para o vestibular ( isso é pai que não conhece a escola)
Já na escola pública exitem os mesmos problemas porém potencializados pela falta de estrutura da escola pelo quadro de professores, que juro não sabem a matéria que ensinam! Porém mesmo nesse ambiente "hostil" encontro alunos motivados , com pais presentes e que estimulam o filho culturalmente, isso é ótimo para mim , me motiva e eleva o meu status profissional.
Eu percebi nesse anos de magistério que os bons alunos tanto da rede pública quanto da rede particular se equivalem sim , e tem como ponto em comum pais que se preocupam com a educação que o filho recebe!Neste caso ate´o professor é secundário , pois esses alunos conseguem até suprir a deficiência e falta de motivação de alguns docentes que fazem parte do quadro de ensino.
Desculpem pelo comentário longo, mas não encontro espaço para falar o que penso em outro lugar , seja por professores ignorantes motivados só pela ideologia ou por uma coordenação incipiente que faz clientelismo dando ouvidos a pais que reclamam sem base nenhuma simplismente pq pagam uma mensalidade.
Com relação a salário , acho que um bom salário atrai bons profissionais , isso acontece em todas as áreas , porém um aumento de vencimentos na rede pública não resolverá o problema , pois estamos aumentando o salário de muita gente que não gosta , não quer e não sabe dar aula.
Antes é preciso fazer um "rapa" , e diminuir a influência sindical nesse setor.
Por fim concluo que devemos separar o joio do trigo , professor e pais sempre estão em pé de guerra ,mas só com um esforço em conjunto poderemos mudar esse quadro.Professor competente e pai presente eis a fórmula de sucesso para alavancar a educação no Brasil.

Prof Paulo - São Paulo -SP -paulo_mitali@bol.com.br
Giulia disse…
Professor Paulo, que boa surpresa, seja sempre bem-vindo! Gostei muito do seu depoimento sincero e detalhado. Este é o espaço onde você vai poder se expressar sempre e dar asas à sua "verborragia", que aliás é o mal que nos comete, rsrs. Por isso estamos sempre alertando: este é um blog "chato", para pessoas que não se incomodam de ler textos longos e que fazem seus comentários com respeito, mesmo discordando. Democracia não é isso???!!! Só peço para não se melindrar com alguns comentários de pessoas que não sabem discutir com argumentos consistentes, limitando-se a julgar a pessoa e não suas idéias.