Motivação na aprendizagem


O artigo abaixo, indicado por um amigo, é de autoria de Cássia Ravena Mulin de Assis Medel, orientadora pedagógica carioca. Achei o texto extremamente lógico e ao mesmo tempo revelador. Cabe ressaltar que a autora trabalha em duas escolas da rede pública de ensino, não tem portanto uma visão meramente teórica. Me pergunto se é por coincidência que os bons exemplos que nos indicam vêm do Estado do Rio de Janeiro. Será que se trata de uma "ilha" nesse mar de incompetência que assola o país?...

Os professores estão sempre se perguntando sobre o que devem fazer para que os alunos realmente aprendam. Segundo o dicionário Silveira Bueno, motivação quer dizer exposição de motivos ou causas; animação; entusiasmo. Através dessas definições, pode-se constatar que estar motivado é estar animado, entusiasmado. Para isso, é necessário ter motivos para se chegar a esse estado.

Qualquer coisa que se faça na vida, é necessário primeiro a vontade de realizá-la, senão nada acontece. Isso também ocorre na educação. Educação requer Ação e como resultado dessa ação há o APRENDIZADO. Mas para que se realize a ação e esta resulte no aprendizado é necessário, inicialmente, que haja a VONTADE, nesse caso, a vontade de aprender. O professor deve descobrir estratégias, recursos para fazer com que o aluno queira aprender, em outras palavras, deve fornecer estímulos para que o aluno se sinta motivado a aprender. Como por exemplo:
  • Dar tratamento igual a todos os alunos.
  • Aproveitar as vivências que o aluno já tem e traz para a escola no momento de montar o currículo, incluir temas que tenham relação, isto é, estejam ligados à realidade do aluno, a sua história de vida, respeitando a sua vida social, familiar.
  • Mostrar-se disponível para o aluno, ou seja, mostrar que ele pode contar sempre com o professor.
  • Ser paciente e compreensivo com o aluno.
  • Procurar elevar a auto-estima do aluno, respeitando-o e valorizando-o.
  • Utilizar métodos e estratégias variadas e propostas de atividades desafiadoras.
  • Mostrar-se aberto e afetivo para e com o aluno.
  • “Acolher” realmente o aluno.
  • Dar carinho e limites na medida certa e no momento adequado.
  • Manter sempre um bom relacionamento com o aluno, e consequentemente, um clima de harmonia.
  • Fazer de cada aula um momento de real reflexão.
  • Ter expectativas positivas acerca do aluno.
  • Saber ouvir o aluno.
  • Não ridicularizá-lo jamais.
  • Amar muito o que faz, a sua profissão de professor.
  • Mostrar para o aluno que ele pode fazer a DIFERENÇA, isto é, que ele tem o seu lugar e o seu valor no mundo.
  • Perceber que ele, o professor, pode fazer a DIFERENÇA, para o aluno.
  • O professor deve ensinar o aluno a ser ético e crítico, mostrando a ele que a crítica é boa , desde que feita de maneira adequada e que a ética é fundamental em qualquer relacionamento humano, em qualquer ambiente: Familiar, Social, Escolar, entre outros.
Cássia Ravena Mulin de Assis Medel

Comentários

Anônimo disse…
Eu conheço a Cássia e muitas mais como ela. Deus sinceramente queira que não haja uma só ilha aqui no Rio. É por isto que eu venho aqui, ainda acredito no ensino público e sei que muitas de nós estamos fazendo a diferença.
beijos em todas vcs mulheres de valor
Danielle
Giulia disse…
Beijo em você também, Danielle! Continue com a gente e venha sempre falar desses exemplos positivos. Precisamos disso para nos reanimar.
Anônimo disse…
Tudo isso é UTOPIA na EMEF IMPERATRIZ.

E pelo visto, no que depender de nosso Secretário coninuará sendo.
Anônimo disse…
Eu não sei como funcionam as coisas ai em São Paulo, mas vcs não podem pedir intervenção na escola. Um interventor seria nomeado e teria x dias para apresentar um relatório sobre os casos relatados. Não pode ser assim? Já tentaram a o MP de São Paulo? Já vi casos assim aqui no Rio.
Danielle
Giulia disse…
Danielle, aqui existe puro corporativismo. A própria ouvidoria da educação é composta de funcionários da rede, que fazem esse jogo. Na EMEF de que tanto falamos foi instalada uma apuração "preliminar" que já faz seis meses e tudo continua como está PARA PIOR...
Anônimo disse…
Danielle,

Na semana passada mandei um e-mail para o Sr. Secretário e tbm para o Chefe de Gabinete, solicitando que fosse agendado uma reunião conosco, mas até agora não recebi nenhuma resposta.
Agora me diga, como é que podemos acreditar num mundo melhor?

Abraços

Sonia
Anônimo disse…
NOSSA!!! ASSIM FICA DIFÍCIL. BOA SORTE MENINAS.
DANI
Regina Milone disse…
O que muitos professores dizem diante de iniciativas como a dessa orientadora pedagógica, infelizmente, é que isso é querer que eles sejam perfeitos, sempre pacientes e bonzinhos, mesmo tendo que lidar diariamente com a falta de estrutura da escola pública, em todos os sentidos.
Em parte concordo com eles, mas não totalmente, pois se nem tentarmos ter esses cuidados diários com nossos alunos, como poderemos nos denominar "educadores"???
Parabéns pelo blog, meninas!!
Beijos...
Telma Passos disse…
Eu penso que é necessário está motivado para aprender e isso os professores devem estar sempre atento e se perguntar, seráa que eu estou motivado?tel
Telma Passos disse…
A motivação é necessárária para a prendizagem o aluno precisa está motivado e o professor também.

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola