Raio X da rede estadual de São Paulo


Temos denunciado aqui o autoritarismo da rede estadual de ensino de São Paulo, a que mais expulsa alunos no Brasil, através de tribunais de exceção armados nos Conselhos de Escola.

Mas esse é apenas um dos dois lados da paupérrima moeda, eu diria, da esmola que o aluno paulista recebe de sua escola. O outro lado é a péssima qualidade do ensino, sobre a qual a Secretaria Estadual da Educação procura colocar panos quentes concedendo bônus milionários aos profissionais, a fim de apaziguar essa classe “faminta”, conforme descreve o delirante artigo de Eliane Cantanhêde, publicado no post O discurso vazio.

Seguem números do último Saresp (Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo), divulgados pela Secretaria de Educação do Estado, há 12 anos controlada pelo PSDB... Esses dados atestam a enorme defasagem dos estudantes paulistas em relação à série escolar que cursam. E, por enquanto, não vemos nenhum sinal concreto de que a SEE pretenda reverter a situação.

“O Saresp avaliou, em novembro do ano passado, 1,858 milhão de alunos das 1ª, 2ª, 4ª, 6ª e 8ª séries do Ensino Fundamental e do 3º ano do Ensino Médio em 6.965 escolas de todo o Estado. Foram aplicadas provas de Matemática e Língua Portuguesa. A partir da 4ª série, exigiu-se ainda uma redação. Alunos do Ensino Fundamental também tiveram dificuldades em Matemática. Na 4ª série, o índice de estudantes com desempenho abaixo do adequado na disciplina foi de 80,9%. Na 6ª série, o conhecimento inferior ao esperado foi de 78,1% e, na 8ª, de 94,6%.Entre os alunos do 3º ano do ensino médio, 95,7% tiveram desempenho abaixo do básico em matemática.

Leia agora o “Você Sabia?” dos nossos amigos PaisOnline http://paisonline.homestead.com/index.html referente aos bônus concedidos pela SEE aos profissionais da educação, como “remédio” para a solução da péssima qualidade de ensino ministrada na rede. Chama a atenção o critério estipulado para a concessão do bônus aos professores: "o número de faltas durante o ano", pois já foram abundantemente divulgados os meios de falsificação desses dados...

VOCÊ SABIA que a Secretaria de Estado da Educação de SP realizou o pagamento do bônus anual para seus cerca de 300 mil funcionários? O valor para os professores da rede estadual chega a R$ 6.500,00. Foram destinados R$ 230 milhões pelo Governo do Estado para o bônus, pago em março. Os dirigentes regionais de ensino recebem R$ 7.500,00, os diretores e supervisores de ensino recebem R$ 7.000,00 e os coordenadores pedagógicos, vice-diretores, professores-coordenadores e assistentes de direção recebem R$ 6.500. Os professores estaduais recebem este bônus desde 2000, baseado em critérios que incluem o número de suas faltas durante o ano e a média de carga horária. O pagamento deste ano ainda segue as regras estabelecidas em 2000, que serão alteradas a partir do próximo bônus, e o critério será baseado no desempenho dos alunos. O Pais Online espera que isso não provoque ainda mais falsificação de resultados! Nós do EducaFórum também esperamos!!!
Quem viver, verá! Aliás, a partir do próximo ano, instituiremos a seção Eu sabia! Eu sabia!...
Ah! Eu sempre esqueço que este blog costuma ser acusado de criticar sem apontar soluções. A solução para o problema da má qualidade do ensino começa por um ato muito simples, mas que contraria a corporação: demitir os maus profissionais da educação. Seria apenas o começo, mas toda solução definitiva inicia com um bom começo...

Comentários

Mauro disse…
Giulia,

SP não tem "60.965 escolas de todo o Estado"...

No mais, o artigo está muito bom
Giulia disse…
Obrigada, Mauro! É o pobrema do copia-e-cola, rsrs... Aliás, dá pra ver como é boa a revisão desses meios de comunicação...
Anônimo disse…
Olá, Giulia. Seu artigo é bom, mas não concordo. Acho qe o novo bônus será muito bom, pois irá valorizar o bom professor, como você sugere.
Giulia disse…
Quem viver verá, anônimo! O que nos preocupa é A FALSIFICAÇÃO DOS RESULTADOS, como o PaisOnline bem coloca. Sabe o que é? Você é professor e não tem filhos estudando na rede pública, por isso enxerga essa questão tão séria de forma "light". Mas então me diga com todas as letras: errada está a rede particular, que demite o professor que falta, aquele que maltrata aluno, aquele que não ensina nada?... É isso?