A culpa é do aluno?


A net está lotada de comentários sobre o “infeliz” professor baiano que atribuiu ao seu povo a culpa pelo fracasso do ensino. Nós, que estamos acostumados a ouvir professor responsabilizar aluno pelo seu próprio fracasso (do professor), não acreditamos que a repercussão desse fato venha a mudar alguma coisa no tratamento que o aluno recebe na escola. Ele vai continuar sendo chamado de “burro”, “retardado”, “QI de ameba” à vontade por seus professores, pois, como diz nosso amigo Mauro, do COEP, “a elite econômica brasileira ainda trata a educação como uma forma de catequizar os índios, os negros e os pobres em geral. Neste contexto, o professor tem de ter a imagem de 'santo abnegado', o qual não merece críticas nem contestações”.

Para dourar a pílula, pois não agüento mais a hipocrisia nacional, trago um saborosíssimo “causo” vivido por Pedro, comentarista da Veja Online:

A professora de Geografia (comunista) entra na sala e fala assim: “Gente, hoje nós vamos falar sobre o desenvolvimento. São desenvolvidos os seguintes paises: EUA, Japão, Alemanha, Reino Unido, Franca, Itália e Canada, no mundo capitalista. No mundo socialista, são desenvolvidos a URSS, a Alemanha Oriental, a Bulgária, a Hungria, a Tchecoslováquia, a Polônia, a Iuguslávia e a Albânia". Imediatamente eu perguntei: e a Suíca, não é um país desenvolvido? Pedro - respondeu ela - a Suíca e atrasadiiiiiiiisima. Dois dias depois, a mesma professora entra na classe e diz o seguinte: "Gente, os EUA são o país mais subdesenvolvido do mundo porque ameacam o mundo com uma guerra atômica. Já a Suíca, que é da paz, é a nação mais desenvolvida do planeta". Imediatamente, eu levantei a mão e mandei ver: "Mas, dois dias atrás era o contrário. A Suíca era atrasada e os EUA um exemplo a seguir. Portanto, quando a senhora perguntar na prova quem é desenvolvido e quem não, eu posso responder que depende do dia?". Resultado: três dias de suspensão. Esta é a educacão do Brasil.

Comentários

Anônimo disse…
É verdade. Está mais do que na hora de parar de culpar só o aluno pobre e sua família. Professores mais capacitados e mais envolvidos com a história de vida dos alunos podem mudar esta visão distorcida de educação popular.
Mas está é uma questão de cultura nacional, devemos ficar mais atentos. Estou até pesquisando para a minha disserttação, pois ela não ocorre só na escola.
Recentemente o CREMERJ (conselho regional de medicina aqui do Rio) publicou nota de página inteira nos principais jornais do estado culpando a própria população pelo avanço da Dengue principalmente nas áreas mais pobres da cidade, ou seja, as favelas. Ninguém protestou, pelo menos eu não lí nada na coluna do Sr.Ioschpe. Muito pelo contrário, o Ministério da Saúde endossou e até iniciou uma campanha na televisão vizando "educar" esta camada da população.
Não estou querendo desculpar meus colegas ignorantes que se escondem atrás de um título para discriminar. Mas já está na hora de abrirmos os olhos e vermos a nossa sociedade como ela é, PRECONCEITUOSA! O que ocorre na escola é só um reflexo disso.

Danielle
Mauro disse…
Giulia,
Peço que você faça uma "retificação": eu disse "elite econômica", a qual é ignorante por opção.

S. paulo, 03/05/2008
Mauro - COEP
Giulia disse…
Pronto, Mauro, já retifiquei. Mas eu acho que o preconceito é geral...
Ricardo Rayol disse…
ahahahah o causo é bizarro
Giulia disse…
Pois é, Ricardo, o causo dá uma idéia do nível do ensino e do autoritarismo na educação. Quer mais?

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola