Para a menina entrevistada que devia "estar na cozinha"

À menina que ouviu do Secretário de Educação de Barueri, Celso Furlan, que deveria estar em casa lavando pratos:
Não sei seu nome, mas sei que tem coragem!
Não esmoreça, filha! Vai fundo e não deixe nunca, mas nunca mesmo, ninguém se dirigir a você desta maneira! Não importa o quanto você tenha aprontado na escola: você está lá para aprender (também a se comportar bem na escola!) mas isso não é modo de ninguém ensinar nada a seres humanos!
Procure essa juíza! (Luislinda dos Santos - eu tentei achar o email mas não consegui), escreva para o Jô. Isso foi tão importante que é a chamada da entrevista do Jô no site como você pode ver acima! O professor disse a ela exatamente o que você ouviu! Que deveria aprender alguns pratos da culinária ao invés de estar na escola....
Não é pra passar impune!!!!!!!!!!!!!!Estaremos aqui pra o que você precisar e pudermos fazer! Bota a boca no trombone mesmo!!!!!!!!!!!!!!!Pode deixar que nós vamos atrás tocando a banda!


Beijos carinhosos
Estude sempre, não desista!

Comentários

cremilda estella teixeira disse…
ontem o jornalista Carlos Nascimento do SBT e marido de uma professora, no jornal do SBT se posicionou a favor da escola e disse que a culpa é dos pais
que educação vem de casa
que os professores são vítimas dos alunos
pode uma coisa dessas?
cremilda
Giulia disse…
Pode, Cremilda! A classe média brasileira funciona assim: os filhos "deles" estão na rede particular e os filhos "dos outros" na pública. E em toda boa fámília de classe média existe algum profissional da educação que atua na rede pública e que demoniza os alunos. É simples assim! Puro apartheid...
Giulia disse…
Quero comentar sobre essa menina e os demais que deram entrevista no vídeo. Percebe-se que são crianças diferentes, têm muito mais vida e coragem do que a maioria das que a gente conhece, não? A maioria ficaria envergonhada, aliás, ficaria confusa com a própria situação e nem saberia relatar os fatos. Esses são os alunos que a escola expulsa!!! Aqueles que não se dobram às manobras mesquinhas de professores e diretores autoritários e tapados, aqueles que sabem se posicionar, enfim, os mais corajosos e espertos. E ainda são tratados aos palavrões, na certeza de que é a palavra da "otoridade" contra a do "de menor". Mas não tenho muita esperança de que divulgação desse caso escabroso consiga, de alguma forma, mudar essa mentalidade mesquinha e retrógrada da sociedade braisileira. Vamos ter que suar muito ainda para chegar lá! Vocês viram a cara do promotor no vídeo? Estava tremendo como uma vara verde! Enfrentar a "educadíssima" família Furlan, que domina Barueri?! kkkkkkkkkkkkkk
Sônia Regina disse…
Eu acho de uma graça ímpar, as pessoas que tem filhos em escola particular quererem dar opiniões sobre os problemas que as nossas crianças enfrentam numa escola pública...rsrs
Vera Vaz disse…
Cara Sonia
Eu acho meio preconceituoso esse seu comentário...
Um dia vou fazer um post sobre isso...
Meus filhos já estudaram em ambas e não me sinto em culpa por ter optado pela escola particular no início da vida escolar deles... Isso depende da circunstância da vida de cada um... E não é "pecado" querer o que se pensa ser o melhor para os próprios filhos! Muita gente faz sacrifícios enormes pra conseguir isso e temos que respeitar.
Isso até parece comentário de professor que diz que não podemos opinar sobre o que acontece na sala de aula porque não estamos lá...
Todo mundo pode opinar sim, se não por vivência por raciocínio!
Mauro disse…
Giulia,

O secretário é irmão do prefeito...

Já viu o desfecho desse caso...
Giulia disse…
Pois é, os três irmãos: um é prefeito, outro presidente da câmara e o terceiro secrtário da "educação". E o ex-ministro Luiz Fernando Furlan é o que deles todos, rsrsrs?
Sônia Regina disse…
Cara Vera,

Eu não acho de forma nenhuma que meu comentário foi preconceituoso, pois isso não é uma idéia pré-concebida.
Em nenhum momento disse tbm que, os pais não tem o direito de escolher o melhor para seus filhos, eu faria o mesmo se tivesse condição financeira para tanto.
Só acho um paradoxo as pessoas que colocam suas crianças em escola particular, virem e falarem sobre problemas que desconhecem. É preciso estar lá, no dia-a-dia...
E quanto a opinar, todos nós temos esse direito, sim! Mas, até para opinar precisamos conhecer melhor sobre o assunto, pois se não for assim, é especulação!
Giulia disse…
Vera e Sônia, acho essa discussão de vocês bastante instigante, aliás, acho que essa questão precisa ser mais discutida, pois pode dar a impressão de que "querer o melhor para os filhos" é matriculá-los numa escola particular, seja ela qual for. Infelizmente, a opinião pública brasileira entende que em princípio a escola particular é melhor do que a pública. Quero dizer, desde que os pais tenham condições financeiras, colocam seus filhos numa escola particular qualquer, só para fugir da rede pública. Quando meus filhos estavam na pré-escola (eles também estudaram na rede particular na pré escola e minha filha mais velha no primeiro ano do ensino fundamental), os coleguinhas vinham com umas histórias desse tipo: "mamãe falou que eu tenho que estudar bastante, senão ela vai me matricular na escola do Sarney" (que era o presidente da república naquela época). Foi por causa de preconceitos como esse que decidi matricular meus filhos na rede pública e batalhar por ela, o que faço até hoje.
A grande diferença entre a escola pública e a particular é que na última os professores não faltam, não podem xingar seus alunos e precisam dar uma aula, no mínimo, decente, senão são demitidos. E a prova de que a escola particular também é ruim está nos milhões de estudantes universitários que vêm da escola particular e não sabem redigir um relatorio sem erros nem fazer uma pesquisa...
Anônimo disse…
Esse blog tá ficando complicado.Tem que por os comentários que vocês querem, se não... não vale.
O Vera sai do muro! Uma hora você defende essa mãe por outra a chama de preconceituosa.

Donizete
Ipiranga - S.P
Giulia disse…
Donizete, ninguém é obrigado a concordar em tudo e com tudo com outra pessoa! Aqui a gente não discute as pessoas, mas as idéias. Todos os comentários são válidos e cada um tem o direito de dar sua opinião, de forma civilizada, como tem sido. Já faz algum tempo que não aparecem anônimos mal educados por aqui. Ainda bem! Toc, toc, toc, rsrs.
Anônimo disse…
Senhora, pelos seus comentários, você não é a favor da escola pública, é contra os professores. Não vamos pegá-los como "bodes espiatórios" para esconder as mazelas de políticas de educação.
Vera Vaz disse…
Discordar de idéias e conversar sobre isso sem ódio. Aceitar que o outro pense e aja diferente e que nem por isso seja melhor ou maior! Eis o que falta em muitos professores! Que só pensam em se defender e defender (sempre! mesmo sem concordar!) a corporação!
É, Donizetti, aqui é complicado mesmo pra quem não sabe o que é diálogo. Tenho certeza que a Sonia sabe e que posso conversar com ela tranquilamente sobre o que quiser! Eu não to em cima de nenhum muro não! Sempre expus minhas idéias com clareza e educação.
E aqui tudo vale, menos a pequenez de mentes distorcidas, a má educação e as palavras ditas só pra ofender.
Nosso intuito aqui é bem claro: defender os alunos dos maus professores e demais agentes da Educação (seja ela pública ou privada). De minha parte se melhorarmos uma aulinha que seja já tá bom!(quem sabe nela algum garoto ou garota sem auto-estima se abra para o mundo do conhecimento!)
Sônia Regina disse…
Giulia,


Instigar, sim. Mas, no melhor sentido da palavra, ou seja, estimular as pessoas à pensarem. Eu acho muito bom, termos essa troca de idéias, afinal, estamos aqui, é para isso mesmo.
Cada dia é um novo dia!

Abraços

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola