A mídia acordou???


Trecho de editorial da Folha de São Paulo de 18/06/08:

As paralizações sucessivas de professores decerto não constituem o único fator a perturbar as já deficientes aulas na rede estadual de ensino de São Paulo. A elas devem somar-se um nível absurdo de absenteísmo docente, da ordem de 12,8% (ou quase 30 mil mestres fora de classe a cada dia), e a troca constante de professores. Só em 2008, um contingente de 51 mil dos 130 mil professores efetivos já se transferiu de escola. Não há plano de ensino que resista a tanta conturbação do cotidiano escolar. Apesar disso, a Apeoesp (sindicato dos professores) não hesita em prejudicar os alunos com uma nova greve, como a declarada na sexta-feira. Nos primeiros dias de paralisação, uma ínfima parcela dos 230 mil mestres da rede aderiu ao movimento paredista.Os grevistas pretextam mais uma vez defender as condições de trabalho e a qualidade do ensino. Na prática, usam o estorvo impingido aos pais e estudantes como ferramenta de pressão sobre o governo do Estado para alcançar metas corporativistas estreitas. Sempre defenderam o duvidoso direito de continuar faltando, em média, 32 dias por ano. Agora reivindicam a manutenção do privilégio de transferir-se a qualquer tempo.

Comentários

Anônimo disse…
A greve é so dos professores da merenda não. tá ! A merenda vai com aluno ou sem aluno,a merenda de frutas que não dura quinze dia.
Zé Costa disse…
Se na história dos sindicatos há momentos gloriosos, heróicos até, de luta por direitos trabalhistas, é inegável! Mas há muito tempo os sindicatos deixaram de exercer o papel de defender os interesses de sua categoria e passaram a defender os interesses de corpo, ainda que a sociedade como um todo, saia prejudicada!

Tenho horror ao sindicato. Não sou filiado, nem nunca fui. Não quero a companhia dessa gente!

A atuação dessa malta tão cheia de boas intenções é, com certeza, um dos maiores obstáculos à melhoria da educação pública no Brasil!
Anônimo disse…
Trouxa do pagador de mensalidade desse sindicato que segue, parem de pagar que é melhor para o seu bolso.
Será que não enxergam governo X sindicato e um abrindo as pernas para o outro.
Anônimo disse…
Eu falo do caso da merenda ,é porque tem escola recebendo merenda e não tem aluno, isso é preocupante ,nós pagando uma merenda que o aluno nao está comendo , quem está levando a melhor nessa, o diretor? ou o cara que está vendendo a merenda?para quem ele está mandado a merenda : alguem tem que ir atrás disso;
Edilva Bandeira disse…
Pois é pessoal do educaFórum, a greve continua e as crianças como ficam? Sou professora efetiva de Língua Portuguesa da escola Estadual Arno Hausser de Ilha Solteira- SP e tenho enfrentado críticas, agressões verbais da "tchurma" da APEOESP, porque recuso-me a aderir a essa greve insensata que só prejudica as crianças. Quem fica na sala de aula cumprindo sua obregação de dar aulas é bandido, quem fica gritando contra o governo e as "péssimas' condições do trabalho do professor é herói?
Abraços