O ECA no lixo!


Nos anos de 1998 e 99, quando houve as primeiras grandes rebeliões na Febem que resultaram em motins, incêndios, mortes (dificilmente você vai lembrar disso, este é um país sem memória e sem estudos sociológicos que documentem essas aberrações), eu visitei várias vezes a vergonhosa, hoje extinta unidade Imigrantes da febem, onde vi adolescentes de roupas esfarrapadas encolhidos no chão com as mãos atrás das costas, com marcas de tortura pelo corpo, dormindo em colchões atirados no chão, inclusive nos banheiros, onde aliás tomavam banho frio sem toalha e qualquer privacidade. Alguns mais "afortunados" tinham a escova de dentes dependurada no pescoço, pois durante o dia não havia onde guardá-la. Imagine um adolescente tendo que carregar a escova no pescoço, como se fosse uma chupeta...
Quando eu falo que a escola é a grande responsável pela lotação das "febens, hoje casas" ninguém acredita. Pois então leia a matéria publicada hoje na Folha de São Paulo: Jovem sofre como adulto em delegacia (caderno Cotidiano). Trata-se de uma pesquisa do Ministério da Justiça - SENASP, feita nas delegacias da Criança e do Adolescente existentes no país. Das 75 delegacias, apenas 58 responderam o questionário! Isso é muito interessante!!! Eu, pessoa física, se não atender às intimações dos órgãos públicos, sou processada, mas os próprios órgãos públicos têm a liberdade de não responder...

Imagino que as 17 delegacias que se esquivaram devem ser as mais ESCABROSAS! Mesmo assim, as informações das 58 que se dignaram a responder mostram que, de 1998 para cá, nada mudou para a regeneração do "menor infrator", aquele que talvez tenha roubado um pacote de salgadinhos, xingado a professora ou quebrado o vidro do carro dela. Não me venham com casos limites como o do Champinha, por favor! E lembrem-se que Chico Buarque, em sua juventude, roubou um carro... (Já pensou o Chico numa febem da vida, rsrs? Quantas horas o superadvogado da família Buarque de Holanda demoraria para tirá-lo de lá?...)

Veja apenas alguns dados da matéria da Folha:
Entre 2004 e 2006, o número de adolescentes presos aumentou em 122% para a população masculina e (pasme!) 510% para a população feminina! Isso está bem de acordo com a expulsão e a evasão escolar. Não falei que a menina de São João da Boa Vista, aquela fofa expulsa da escola, que teve a coragem de enfrentar um juiz e foi inocentada por ele, correu o risco de ir parar numa dessas "maravilhas" da carceragem juvenil?

Pasme mais: apenas 13,8% das delegacias que responderam o questionário possuem cama com colchão. Veja portanto, que, oito anos depois das minhas visitas à extinta unidade, no mínimo 85% dos internos nessas espeluncas dormem no chão. 85% deve ser o mínimo do mínimo, porque você não vai imaginar que as 17 delegacias que não responderam o questionário têm instalações cinco estrelas, né???

Ah! Apenas 10,3% das delegacias possuem espaço para os adolescentes tomarem banho de sol. Melhor assim: dá de eles suarem! Aí complicou de vez, pois apenas 34,5% das delegacias que responderam possuem chuveiro. As demais "oferecem" chuveiro frio, sem toalha, é claro, para evitar que os internos se enforquem...

Algumas dessas delegacias oferecem pequenos "consolos" para as crianças que sofreram abusos e violações, como salas especiais e brinquedotecas, mas o tratamento dado aos jovens "infratores" (basta xingar um professor para ser espancado e parar numa delegacia, veja o vídeo aqui http://educaforum.blogspot.com/2008/04/espancamento-em-escolas.html) mostra que, ainda hoje, a sociedade brasileira deseja O EXTERMÍNIO de sua juventude pobre, vista com desconfiança já dentro da escola e encaminhada a uma delegacia por qualquer motivo.

A palavra do coordenador de pesquisas da SENASP, Marcelo Durante, é bem eloqüente: "O que a gente não consegue sensibilizar em termos de política é a questão da carceragem". Essa é a palavra mágica: sensibilizar! Mas como sensibilizar aqueles que ainda hoje, 18 anos após a instituição do ECA, querem o extermínio dos nossos jovens?...

E os sociólogos do país, em vez de apresentarem estudos sobre a educação e a carceragem juvenil, querem implantar o "estudo da sociologia" no ensino médio. Senhores sociólogos, mostrem primeiro sua competência!!! Vão ensinar o quê a esses jovens privados de oportunidades?...

Comentários

Ricardo Rayol disse…
o bizarro é um juiz deixar prender um adolescente por qualquer motivo, bastaria uma medida administrativa para enquadrar e pronto.
Anônimo disse…
Ontem vi notícia de que um ptbull atacou uma criança , e me lembrei de um ptibull que tem lá no Lucas Roschel dando aula de Geografia.
Cuidados mães com seus filhos nas garras daquela ptibull,cuide agora para não chorar depois.
Glória disse…
O Ricardo Rayol aí disse tudo. O maior culpado é o poder Judiciário, na figura de seus juízes que, além de mandarem os meninos para a prisão por qualquer motivo, ainda não cumprem com o dever de fiscalizar as condições de aprisionamento. Lembram-se da juíza lá do Pará que "nem sabia" que a menina estava presa na cela com homens? Só em Minas, temos mais de 200 "menores" em cadeias junto com adultos. Nesse fim de semana mais dois morreram queimados em consequência de incêndio dentro da cela, um deles tinha 14 anos e mais um de 15 anos está aguardando a morte no hospital. A notícia está no meu blog Recomeço, que deixo na URL desta mensagem.

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola