Uma reprise?


A professora Suely Valente, afastada da EE David Eugênio dos Santos por manobras sórdidas de "colegas", viveu uma situação muito parecida com a que relatamos no post "Mídia nota zero".
A bola está com a SEE, que poderá ou não repetir o escândalo. Professor José Benedito, agora é com você!
Leia o depoimento da professora Suely, da caixa de comentários:

É com tristeza que acompanho o caso da EE Lucas Raschel Rasquinho. A reunião feita foi manipulada pela diretora da escola e seus puxa sacos. Um bando de desocupados que estão preocupados em proteger o próprio rabo ajeitaram toda a reunião antes do horário marcado , convidando somente as pessoas que lhes fossem fiéis a qq custo. Quando vcs entraram na sala de reunião, a mesma já estava ocorrendo a horas, os depoimentos a favor da diretora foram repassados e até o dirigente já havia feito recomendações. Tenho pena dos alunos e seus pais, que daqui por diante sofrerão perseguições massacrantes até desistirem de tudo e retirarem seus filhos de lá. Vejo nisso tudo uma reprise do que ocorreu na EE David Eugenio onde eu pedi uma reunião com a supervisora , diretora e professores e a mesma armou tudo como ela desejou, após as minhas denuncias ( autoritarismo , maus tratos, falta de profissionalismo, fumo dentro da escola, gastos desnecessários da APM, falta de prestação de contas, professores fora da sala de aula por até 50 minutos para bater papo com a diretora, aluno chegando à 3a série sem ser alfabetizado por falta de dedicação de algumas professoras) , a supervisora que já tinha conhecimento do caso pediu que fosse aberta uma sindicância por desacato e outros, deixando de apurar os fatos. Minhas denuncias foram engavetadas e a sindicância feita pela DE Norte 2 declarou que deveria ser aberto um processo administrativo contra a denunciante. Só um ano após e muita luta conseguimos uma sindicância contra a diretora da escola q por sinal ainda não foi julgada. Em um país onde as denuncias não são apuradas e nem levadas a sério , o q podemos esperar da SEE? Até hoje as crianças que foram perseguidas sofrem com isso.Quem sabe agora com o novo coordenador da COGSP faça-se justiça. Espero que vcs não desistam da luta , sejam fortes e se unam para derrotar esse inimigo da educação.

Professora Suely Valente

Comentários

Professor anônimo disse…
Nossa!!! Lendo esse relato da Professora Suely, tive a impressão que ela estava falando da EMEF IMPERATRIZ...
É tudo tão igual, é tudo tão podre e tão nojento, que achei que isso só acontecesse nessa unidade.
Sinto dó das mães que se atreveram a denunciar, e dó tenho tbm dos professores que se sujeitaram a abaixar a cabeça pra diretora, hj eles são tratados como capacho. Eles até assinaram um documento contra as mães denunciantes, e só estão tomando no "nariz", nem agradecimento eles tiveram.
A JUSTIÇA TARDA, MAIS NÃO FALHA!
Anônimo disse…
Ei professora , eu sei tudo que acontece nessa instituição da tortura , é triste ,mas é a verdade,nímguem precisa ficar mentindo e fazendo fofocas, se fizerem uma inestigação a coisa é feia .As vezes até fazem investigações ,mas é assim eles investigam eles mesmo e aquilo lá irmandade. Conheço casos de Dirigente que deu desfalque de mais de 1.000.000.0000 e não foi punida sai de dirigente e vai para supervisão , com certeza , houve Problema numa escola chamada Wasshington em Santo Amaro -SP. é so cutucar esse lado ai vai achar.
e cutucar mais coisas.
Quando falamos somos mentirosos e nao podemos fazer nada porque se nao ainda sobra para .....
Anônimo disse…
qual é a opinião do pessoal do blog sobre a greve que começará em alguns lugares na próxima segunda dia 13/06?

http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI2948030-EI8139,00.html
Anônimo disse…
coloquei o link no comentário acima só que não deu certo...

a matéria é esta:

P: professores da rede estadual entram em greve

O Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de São Paulo (Apeoesp) informou que foi decidida em assembléia geral uma greve na rede estadual de ensino, que deve durar pelo menos até a próxima sexta-feira. Segundo a diretora de formação do sindicato, Nilcéia Fleury, cerca de 30 mil professores votaram a favor da paralisação, tendo apenas um voto contra. A Polícia Militar e a Secretaria de Estado de Educação afirmaram que cerca de cinco mil fazem uma passeata que saiu da praça da República, no centro de São Paulo, por volta das 17h, com destino ao Museu de Arte de São Paulo (Masp), na avenida Paulista.
De acordo com o Sindicato Apeoesp, os professores querem que o governador José Serra anule o decreto que altera remoções, substituições e contratações temporárias da categoria. Para Nilcéia, a resolução, editada no último dia 28 de maio, traz prejuízos à carreira dos docentes.

Além disso, o governo ainda não acenou com nenhuma possibilidade de reajuste salarial após a proposta entregue pela categoria em janeiro. A rede estadual tem 220 mil professores e grande parte deles seria afetada pelo decreto.

Policiais da 2ª Companhia do 7º Batalhão da PM monitoram a manifestação, que é pacífica. Segundo a Companhia de Engenharia e Tráfego, às 17h25, os manifestantes ocupavam a rua Piauí até a altura da praça Roosevelt.

De acordo com a diretora, na segunda-feira o comando de greve deve se reunir com os pais do alunos afetados e na sexta-feira deve ser feita uma nova assembléia para decidir os rumos da paralisação.
Anônimo disse…
Essa diretora da apeoesp é professor sem concurso
Se a SEE ganhar essa queda de braço ela vai ter que fazer concurso e dái o bicho pega e na situação dela tem um monte na apeoesp
Estão desesperadas mesmo...
Com um pouco de razão...
Prof. Maria Celia ( celinha) disse…
A Nilcea esteve em uma escola da DE Norte 2 e disse: "A escola que tiver a CREMILDA nas botas está perdida , vai ser dificil de se livrar dela ."
Essa profissional não é concursada então tem que correr atras do leitinho dela e acaba carregando um monte de lambe botas junto.
VÊ se se enxerga NILCEIAAAAAAAAAAAAAAA.Tá com medo da Giulia e da Cremilda ?

prof. Aposentada

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola