Compactuar com a formação de quadrilhas?


Já cansamos de dizer e mais uma vez repetimos que

UM GRUPO DE PESSOAS QUE SE REÚNE PARA INFRINGIR A LEI É UMA QUADRILHA.

Temos plena consciência de que as leis são transitórias e que podem ser atualizadas conforme a evolução da sociedade, como, por exemplo, a legislação que envolve o casamento, mas entendemos que os procedimentos de alteração das leis precisam seguir a Constituição. Entretanto, neste país dito democrático, uma instituição teima em fugir ao domínio da lei, com a anuência e a aprovação dos formadores de opinião:

A ESCOLA PÚBLICA.

Na rede pública de ensino, seja qual for o município ou estado, A LEGISLAÇÃO QUE GARANTE AO ALUNO ENSINO E SEGURANÇA NA ESCOLA É LETRA MORTA.

A escola pública é domínio da corporação, desde as secretarias da educação, onde as dimensões da rede são o argumento para não se tomar providência alguma, até os diretores de escola, que se sentem no direito de torcer os dedos dos alunos (fato verídico e impune ocorrido numa escola da rede estadual de São Paulo). A fala das autoridades mais graduadas é sempre a mesma: “A rede é muito grande e trata-se de casos isolados”. Tudo para que o caos continue ad aeternum.

Até hoje essa postura de omissão foi velada, de forma que se poderia esperar alguma mudança. Entretanto, o exemplo dado esta semana pela Secretaria da Educação do estado mais poderoso da União não deixa mais nenhuma dúvida quanto à intenção das autoridades, de que a ilegalidade continue imperando soberana naquilo que se chama, paradoxalmente, EDUCAÇÃO.

A invasão da polícia e o espancamento de alunos não é novidade na rede pública de ensino do país inteiro, como você já assistiu em diversos vídeos reproduzidos aqui:
http://tvparanaense.rpc.com.br/index.phtml?Video_ID=23678&seq=&autostart=1
http://educaforum.blogspot.com/2007/11/no-que-d-policia-na-escola-absurdo.html

Esta semana foi divulgado um fato que relatamos no post anterior, Estamos de luto. O que diferencia essa ocorrência das demais é que a Secretaria da Educação ignorou solenemente os espancamentos de alunos da escola por PMs, limitando-se a instaurar um tribunal de exceção para expulsar aqueles que teriam provocado o vandalismo que justificou a presença da polícia na escola. Assim, alguns alunos, sejam culpados ou inocentes, serão julgados por seus “superiores”, dentro do ambiente onde ocorreu o crime, em uma cerimônia que lembra os tenebrosos tribunais da Inquisição.

Se, até hoje, a SEE procurou disfarçar sua atitude de promover a expulsão de alunos via Conselho de Escola, insinuando que se tratava da iniciativa isolada de algumas unidades, agora admitiu que não apenas apóia, como promove a ação. Leia trecho da nota da Secretaria, publicada em O Globo (a íntegra está no post anterior):

A direção da escola irá identificar os alunos que participaram da depredação e acionará o Conselho de Escola, que reúne pais e educadores, indicando a expulsão e transferência dos envolvidos. Cabe ao Conselho decidir a punição.

Desta forma, a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo está DANDO O EXEMPLO para todo o Brasil de que o julgamento e a expulsão de alunos, mesmo inconstitucional, é um ato que pode ser decidido por uma quadrilha reunida para tal fim. Isso é o mesmo que legitimar o terror dentro da escola. Só quem tem ou teve filho estudando na rede pública pode avaliar o alcance dessa declaração da SEE.

Nenhum influente formador de opinião se manifestou contra essa declaração e isso comprova que o Brasil é um país onde se aceita qualquer ilegalidade, desde que ela não prejudique os próprios formadores de opinião, cujos filhos estudam na rede particular de ensino. Assim é: quanto mais alunos forem expulsos da escola, maiores as oportunidades para os que lá permanecem. Não faltam pesquisas que comprovam os altos índices de exclusão escolar no país, mas não se ouve a voz de nenhum pesquisador, analista ou autoridade para condenar a sumária expulsão de alunos.

A Secretaria de Estado da Educação pediu nossa colaboração para ajudar a criar uma página dedicada aos pais de alunos em seu website. Considerando a péssima qualidade do site da SEE, apelidado de “buraco negro”, estivemos de início tentados a colaborar. Entretanto, após os últimos acontecimentos e a declaração pública da Secretaria, que finalmente se revela responsável direta pela criação de tribunais de exceção nos Conselhos de Escola, nossa resposta oficial é não:

NÃO COMPACTUAMOS COM A FORMAÇÃO DE QUADRILHAS.

Comentários

Paulo André disse…
Nada disso aconteceria se os pais educassem melhor seus filhos em casa, dessem melhores exemplos. Mas deixaram que virassem marginais. Professor não tem de ensinar etiqueta, boas maneiras, ou coisas assim. Deve dar um bom exemplo, e lecionar a disciplina. Só. Não é o professor que deve ensinar o certo e o errado.

Aluno marginal tem de apanhar sim. Tem de ser expulso sim.
Pai e tio de aluno de escola pública disse…
Pois é né Paulo Andre
Se os pais educassem seus filhos os professores deixariam de assinar ponto e dar no pé?
Professor ia deixar de dar aula medíocre?
Professor ia deixar de mentir?
Ia deixar de agredir aluno?
Ia deixar de dar maus exemplos?
Professor não trabalha e recebe graças ao suado trabalho dos pais pelo viés do imposto
Os pais ensinam tão bem os seus filhos que escola virou um antro e ninguém reclama....Nossos filhos são demasiadamente educados, demasiandamente respeitosos com os bandidos....bandido tem que ser tratado como bandido, com muita firmeza...
Professor tem que fazer a parte dele e não faz.
Os alunos estão aprendendo o mínimo em casa.Os pais estão ensinando os filhos a ler e escrever que se for esperar da escola ele fica por lá durante oito anos e sai analfabeto.
Os pais tem culpa sim professor Paulo André, mas a culpa de ficar esperando as autoridades
Os pais tem que começar a se organizar e serem duros como professores como você.
Duros mesmo.
Ir aos montes na escola e encostar vocês na parede.Depois disso fazer a denúncia por escrito.
Voltar na escola e ver se voces melhoraram.
Os pais devem ir na escola e fiscalizar o livro de ponto.Ir de sala em sala conferir.
Os pais tem esse direito.
Quando os pais se organizarem em grupos de pelo menos uns vinte e cada dia um grupo ir na escola ver o que voces estao aprontando a coisa melhora.
Essa é minha sugestão para os pais...
Que os pais tem essa culpa mesmo.,
quando é com o filho dos outros eles não são solidários. Pelo andar da coisa, acho que os pais vaõ deixar de ser bonzinhos mais cedo do que professores como você esperam.
Giulia disse…
Pois é, Paulo André, ontem uma mãe me ligou falando que a professora do filho anda chamando os alunos de marginal, coisa ruim, traste, para falar dos melhores nomes. Sabe o que ela fez? Foi pedir para a diretora da escola que encaminhasse a professora para tratamento psicológico...
Enquanto professores como você e como aquela do telefonema dessa mãe tratam o aluno como estorvo, os pais ainda se preocupam com a saúde mental de vocês. Isso está profundamente errado! E sabe o que aconteceu nesse caso? A diretora não tomou providência nenhuma: apenas avisou a professora que estava tendo queixas de pais de alunos sobre ela. A professora disse para os alunos que, da próxima vez que tivesse queixa de pais, ela também dedaria tudo de errado que ela estava anotando sobre os alunos, como por exemplo (isso ela falou em sala de aula!) que ela viu a menina tal pegar no pinto do menino tal no corredor, no dia tal. Isso é professora que preste, Paulo André?
A grande verdade é que a escola está na mão de uma corporação corrupta, covarde e vil. A escola pública é e vai continuar um enorme faroeste, porque os pais são muito bons para professores tranqueiras como você e essa sua colega.
eu disse…
ATRAVÉS DOS DEPOIMENTOS ACIMA PERCEBEMOS COMO OS PRÓPRIOS PAIS DESVALORIZAM OS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO.
INFELIZMENTE, COM CERTEZA, CONSEGUEM CONTAGIAR SEUS FILHOS COM TAMANHA DESCRENÇA, HOSTILIDADE E DESRESPEITO.
SOU Á FAVOR SIM DA EXPULSÃO DE ALUNOS VANDALOS, DECIDIDA SIM PELO CONSELHO DE ESCOLA POR SE TRATAR DE REPRESENTATIVIDADE DE TODA COMUNIDADE ESCOLAR.
JÁ PUDE CONSTATAR AO LONGO DE MEUS 38 ANOS DE VIDA QUE TODO AMBIENTE PÚBLICO OU PRIVADO REQUER REGRAS E QUEM DESCUMPRÍ-LAS DEVERÁ SIM SER PUNIDO, VEJO ESSA PUNIÇÃO COMO UM ATO DE RESPEITO PARA COM OS DEMAIS E COMO UMA LIÇÃO DE VIDA PARA OS ENVOLVIDOS DIRETA OU INDIRETAMENTE.
JÁ ACOMPANHEI ALGUNS CASOS DE ALUNOS EXPULSOS DE ESCOLAS E CONSTATEI QUE O TEMPO OS AMADURECE MUITO E QUE ESTES NÃO SOFREM O GOSTO DA IMPUNIDADE CASTIGO QUE PROVAVELMENTE CARREGARIAM PELO RESTO DE SUAS VIDAS.
Desculpe Giulia, mas a menos que eu esteja enganada e acho que não estou, os dois primeiros posts foram escritos pela mesma pessoa.
Pq vcs não exigem identificação?
Este blog é sério e merece posts mais sérios e comprometidos com a causa de vcs.
um abraço
Glória disse…
Giulia, o Paulo André está certo num ponto: professor não pode eensinar o certo e o errado, boas maneiras, etiqueta, enfim, tudo que faz parte do processo educacional, pois, para isso, ele precisa discernir o certo do errado, ter boas maneiras, conhecer etiquetas, enfim, ser educado... Como o "pobre coitado" vai ensinar tudo isso se ele não sabe, se passa longe dessas posturas civilizadas?
cremilda disse…
Glória
Eu não acho que precisa de identificaçao para as mensagens deixadas aqui.
O que se discute são idéias não pessoas.
Que o Paulo Andre é um professor tranqueira nem precisa muito esforço para perceber.
Como ele tem centenas de milhares contaminando a rede toda, não um caso isolado
Quando postarem mensagens agressivas com palavras de baixo calão, aí é só a dona do blog deletar e pronto...Que são folgados, são que não respeitam as pessoas,não respeitam, então deleta os piores e deixa os ruins escreverem seus absurdos, seus discursos surrados e esfarrapados..
Então é isso...
cremilda
Anônimo disse…
Observador disse...
Ih! A carapuça encaixou. Vc fazia isto lá no Orkut até ser descoberta, agora faz o mesmo aqui. Finge que ataca e depois ataca a de volta só para fomentar a discussão.
Anônimo disse…
Observador
De quem a sora está falando?
Se for falar em Orkut é lá que vocês deitavam e rolavam.
Acho que até agora tem comunidades onde vocês escrevem coisa de dar vergonha, em quem tem é, claro...
Alguém leu na na Comunidade Amadeu Amaral o que as gracinhas pedem para os alunos supostamente rebelados e para seus pais?
Muita coisa fazem mesmo, mas pedem punições e torturas de fazer uma pedra arrepiar.