O que cobramos, porque cobramos, de quem cobramos

Pela enésima vez vamos tentar explicar aos professores porque nos reportamos a eles (enquanto representantes principais da instituição promotora da Educação Formal) para que cumpram seu papel de educadores e não às famílias.
1 - estamos cobrando de uma instituição feita para EDUCAR: respeito, eficiência, competência e cuidado para transformar através da Educação nossas crianças e jovens, sejam eles quem forem, venham eles de que família venham, comportem-se eles da maneira que se for. Se isso nos torna alvo de xingamentos e revolta por parte de professores acho que algo vai realmente muito mal!!!!!
2 - desassociamos totalmente o valor do salário recebido da obrigação de se cumprir com ética e competência à função aceita, pois ambos foram concordados e, portanto não pode servir de justificativa não cumprir o papel de educador o fato de não receber salário condizente a suas pretensões. (Isso não retira o direito de lutar por melhores salários SEM PREJUDICAR os alunos!!!)
3 - A quem nos chama de desocupadas: sabe o tempo que muitos usam pra ir ao shopping, assistir novela, ver big brother, ler Caras, visitar sites inúteis e fúteis, etc? Pois é esse o tempo que usamos aqui pra tentar melhorar o mundo através de nossas escolas. Não consigo compreender porque nos execrar por isso!!! Oxalá muitas pessoas ocupassem seu tempo assim e usassem a Internet para isso!!!

4 - Esse blog pretende ser um espaço de construção e não de destruição!!!! Veio pra dar voz e força a quem não sabe a quem recorrer diante das injustiças e dos absurdos que acontecem dentro de nossas escolas. São pais desnorteados, que sentem medo (muito medo e com razão), pois sabem que o risco de denunciar é grande, pois o alvo da vingança ensandecida do denunciado será o seu próprio filho a quem quis defender.

Dito isso faço uma pequena comparação com os médicos para ver se finalmente se entende que o professor NÃO PODE jogar nas famílias a culpa de sua ineficiência:
Se num consultório aparecer uma criança doente por pura falta de cuidados dos pais o que deve fazer o médico? Dizer que não cuida dela porque a culpa é da família que tem? Não será que nesse caso o médico e os agentes de saúde devem dar mais cuidados e atenção a esta criança?

Na Educação é a mesma coisa!!!!!! Não adianta culpar a família!!!! Cada escola, cada professor, cada funcionário tem que CUIDAR da clientela que tem com eficiência e sem olhar a quem!!!!!
Tem que se planejar pra atender e ENTENDER os problemas de seus alunos e resolvê-los dentro do que pode ser resolvido na EDUCAÇÃO!!!!!
Quem não acredita na força da Educação não pode ser educador!

Vera Vaz

Comentários

Anônimo disse…
Se eu fosse mãe desta menina que teve o dedo torcido, rapidamente já teria seguido a delegacia para lavrar um B.O. de agressão física e colocaria ela em outra escola.

A diretora que depois respondesse pelos meios legais sobre seus atos. Agora deixar os filhos assim de qualquer jeito, demorar meses para correr atrás de justiça, acho que tudo isso é muita falta de amor aos próprios filhos.

Ensino de qualidade depende de muitos fatores, um destes fatores é o professor, ter um bom professor atualizado e competente ajuda muito o processo de ensino. Mas não podemos esquecer dos outros fatores como: as aulas de reforço, os materiais didáticos, o espaço físico da escola, as regras de comportamento, tudo isso.

Os professores poderiam lutar por todos estes fatores para os alunos? Poderiam sim. Porque eles não fazem isso? Primeiro porque se preocupam mais que todos com seus próprios filhos, fazer greve e ter os dias descontados, só vai fazê-lo ficar com mais dívidas e o governo não está nem aí, para o governo é economia e para a sociedade, estes professores são vagabundos.

Enquanto cada pai e cada mãe não se preocupar com a educação de seu filho, sinto muito, mas a educação não terá futuro. Professor não vai dar a cara a tapa para defender nenhum aluno de injustiças, pois ele pensa primeiramente em si mesmo e no seu salário e também não quer ser perseguido. Ele tem que pagar a escola particular "tradicional" e "rígida" de sua prole. Porque iria lutar por pessoas que só vão criticá-lo?

Agora os pais não perdem nada se forem atrás dos direitos de seus filhos. Porque não vai atrás? Eu fico cada dia mais surpreendida com as denúncias que vejo aqui e a imobilidade da população. Já cheguei a pensar que esta população não deve amar seus próprios filhos...
Anônimo disse…
Qual é a função do professor?

Creio que seja trabalhar, dentro do seu horário estabelecido, os conteúdos já estabelecidos. Cumprir a lei e respeitar seus alunos, avaliá-los, etc.

É função do professor lutar por um ensino de qualidade para os alunos? Pelo contrário, como a legislação do estado de SP é ainda a da lei da mordaça (resquício da ditadura), ele estará remando contra a maré nesta empreitada.

E se o aluno precisar de mais atenção e um atendimento personalizado? O professor segue com seus conteúdos normalmente nas aulas juntamente com os 40 ou mais colegas deste aluno, se a SEE permitir a cota de reforço no contra-turno, aí eles contratam outros professores para fazer este atendimento.

O professor é ineficiente? Sim e não. Um pedreiro que não constrói o muro por não ter blocos é ineficiente? Com a redução das cargas horárias, com os conteúdos engessados, sem autonomia nenhuma para mudar as regras do sistema de ensino, será que seria culpa do professor se parte dos alunos não estivessem com rendimento satisfatório?

Foi o professor que instituiu a progressão continuada? Foi o professor que institui as metas de aprovar cada vez mais os alunos, não importando se sabem ler ou escrever? Foi o professor que diminui a carga horárias de aulas dos alunos? Foi o professor que determinou que apenas "X" alunos de cada escola tem direito a reforço?

Foi o professor que criou os tais "cadernos do proposta curricular" cheios de erros? É o professor que máscara os resultados finais depois dos conselhos? Será que tudo isso é feito pelos professores ou é imposto pelo governo?

Vocês acham mesmo que se fosse possível os professores, só os professores, melhorarem a qualidade da escola pública, eles estariam assim mesmo colocando seus filhos em escolas privadas? Eles gastariam dinheiro à toa, mesmo sabendo que eles podem mudar este caos que está na educação?
Anônimo disse…
É muito cômodo esperar somente pelos professores. Mas o professor vai ficar com o aluno durante um ano, ou alguns anos no máximo, de 02 a 06 horas por semana dependendo da matéria. Os pais, estes sim ficarão com sua prole para o resto da vida.

Por que não os defendem? O professor tem agora a obrigação de defender tantos alunos de tantas injustiças? Será que eles também não têm seus próprios filhos para cuidar?...

Não que os pais tenham que ensinar seus filhos em casa, mas que pelo menos apóiem e incentivem nos estudos. Todas salas têm aqueles bons alunos que tiram notas altíssimas e são super comportados. Qual é a diferenças destes para o resto da turma? Os professores? Não, os pais! Pais que frequentam as reuniões, pais que brigam em casa com seus filhos caso aprontem na escola, pais que pegam no pé para os alunos fazerem os trabalhos e deveres escolares, etc,...

Vejam os piores alunos, o que eles têm em comum? Seus pais nunca aparecem nas reuniões, mal sabem a série que o filho estuda e não estão nem aí se o filho aprende ou não, o importante para eles é passar de ano... "Será que meu filhinho vai passar?", estudar que é bom, nada... Trabalhos escolares? Estes filhos não fazem... Lições no caderno? O caderno está branco desde o começo do ano...

Quando eu tiver filhos, colocarei em escola particular tradicional, não estudou = reprovou, aprontou = punição.

Cada um sabe o que quer para seus próprios filhos. Ou nem sabe o que quer para si e muito menos para seus filhos. Ou então nem planejou ter filhos... São muitos fatores que levam a esta imobilidade da sociedade frente as injustiças que as crianças sofrem com um ensino de péssima qualidade.

Nem vou comentar mais nada...
Vera Vaz disse…
"Todas salas têm aqueles bons alunos que tiram notas altíssimas e são super comportados. Qual é a diferenças destes para o resto da turma? Os professores? Não, os pais!"

Desculpe, mas isso não corresponde à verdade absoluta! Por exemplo: na minha casa, com os mesmos pais tivémos bons e maus alunos!!!!!
Quanto a influência dos pais nos estudos só posso te dizer uma coisa: bem se vê que vc ainda não tem filhos!!! Sucesso quando os tiver!
Abs
Vera Vaz
Anônimo disse…
Realmente concordo com o penúltimo comentário. Professores permanecem com as crianças apenas algumas horas. Claro, neste tempo devem cumprir sua obrigação de educar. Mas penso que a questão está justamente aí: ele co-educa. A responsabilidade está em casa. Não adianta gente. Trabalho em escola pública em São Paulo. A realidade é uma só. Os problemas dentro da escola têm sido reflexo da desestruturação nas famílias.
Não concordo com a comparação com a saúde. Os médicos trabalham com uma ferramenta quase exata: remediar. O professor tenta prevenir. E outra coisa: o médico atende e manda embora, sequer acompanha. Doença se cura ou não. Educação se perpetua.
Nada nunca vai mudar se não entendermos a questão por inteiro. Há professores ruins, claro que sim. Há diretores ruins, com certeza. Mas estes apenas têm uma parcela de responsabilidade na educação da criança. Se o aluno tem boa instrução em casa, primeiramente não terá problemas na escola. Isso é constatação. Os ditos "alunos-problema" têm por detrás família-problema.
Enfim, a escola é parte de um todo não o todo.
Lamento a situação da escola pública paulista. Trabalho a quase 17 anos nela. Estou extremamente desanimado. Só vejo violência, descaso, discriminação por parte dos profissionais que nela estão e também por parte da família.
Infelizmente penso que está tudo perdido. Eu continuarei a fazer minha parte, tentando... tentando...
Agora, realmente o que vem de cima me assusta muito.
Sônia Regina disse…
Olha, serei obrigada a concordar com algo que vc (professor anônimo) disse. E, é com relação aos pais. De fato, eles poucos se importam com seus filhos, não todos, óbvio que não! Mas, a maioria acha que a escola é depósito de crianças, e transferem para a escola a responsabilidade total com relação a sua educação. E quando, algo sério acontece dentro da escola, quando seus filhos são perseguidos, agredidos e humilhados, os pais abaixam a cabeça e nem se dignam a defender o direito que seus filhos possuem, direitos esse que a lei os conferi.
Muitos pais não o fazem por total ignorância dos direitos que seus filhos têm, outros pais, no entanto, não o fazem por puro comodismo e puxa-saquismo mesmo!
victorzazuela disse…
Sou funcionário administrativo em uma escola pública do interior de São Paulo.
Vi aqui os comentários e o meu pensamento é o seguinte:
Há erros de parte a parte. Pais, professores, funcionários e alunos.
Na verdade ninguém está se importando com mais nada. Uns só querem despejar seus filhos na escola. Outros só querem receber salários, outros tentam e acabam desistindo de tanto obstáculo.
Por último as políticas públicas para o setor são nulas, não vão ao fundo da questão central: Resultados. Temos é que ter resultados.
Sair definitivamente do terceiro mundo vai requerer Pais educados e responsáveis, professores bem formados e treinados, funcionários considerados também como educadores, alunos sabendo ter limites (o que hoje não existe)e governos compromissados com a Educação.
Vera Vaz disse…
Muito bom o rumo desse papo!
Acho que no final todos concordamos: existem problemas por todo lado!!!
Como a família não é uma instituição que se possa discutir ações de um modo geral eu gostaria de ouvir opiniões que pudessem reverter dentro da escola a situação em que a Educação se encontra.
Algo assim: que escola precisa ser inventada pra dar suporte a esses alunos (segundo vocês oriundos de famílias que não os educam em casa)?
Desistir deles não dá, né?
O que resolve ou pelo menos contribui com alguma melhora que esteja nas mãos dos professores, diretores e demais pessoas ligadas diariamente a eles na escola?
Diminuir aulas vagas não seria um começo? (nós pedimos isso reinteradas vezes aqui no educaforum!)
Ter um olhar sem preconceito para esses alunos deprovidos de tudo não seria um caminho?
Começar fazer entender aos maus professores que não terão o respaldo dos bons por puro cooporativismo não seria importante?
Bom, na verdade, não quero falar, quero ouvir...
Abs e obrigada desde já pela contribuição
Vera Vaz
Anônimo disse…
Caros amigos, Deus me livre dizer isso...
Mas quanto às aulas vagas não são o de pior. Vocês nem imaginam o nível dos professores eventuais que substituem os docentes que faltam. Aliás, o nível dos professores está baixíssimo: tanto titulares, quantos os não efetivos e às vezes pior os eventuais. Também sou funcionário de escola e sempre fui revoltado. Tenho curso superior, vários cursos e cursinhos e mesmo assim não sou valorizado como um professor que não tem nada além de uma graduação feita nas piores das faculdades. Acho que o nível da educação como um todo anda sucateado.
Anônimo disse…
Vejam o que disse o ilustríssimo governador Serra, em 2006:
Lamentável.

http://eleicoes.uol.com.br/2006/estados/saopaulo/ultnot/2006/08/16/ult3753u68.jhtm
Anônimo disse…
Desculpem, o correto é:

http://eleicoes.uol.com.br/2006/estados/saopaulo/ultnot/2006/08/16/ult3753u68.jhtm
Edilva Bandeira disse…
Vera trabalho na Escola Estadual Arno Hausser em Ilha Solteira há 10anos, também enfrentamos professores desestimulados, agressivos com as crianças, desencantados, entretando ainda temos colegas dispostos a lutarem por uma educação melhor, a esquecerem essa cantilena chata de salário, progressão continuada, péssimas condições de trabalho e etc, a se virarem com o que temos, o que está posto. Recebemos crianças de assentamentos, sítios, fazendas, periferia, mas isso não é motivo pra eu desistir de ensiná-los, de dar o melhor do que sei. Desenvolvo um projeto de ida mensal dos alunos ao cinema da cidade, você precisa ver a emoção dessas crianças pobres economicamente que nunca foram ao cinema, é emocionante. Se o meu aluno não aprende EU SOU RESPONSÁVEL, EU TENHO OBRIGAÇÃO DE ENSINAR, independente de condição econômica ou de "estrutura" familiar.
Obrigada por tocar o dedo na ferida, vá em frente.
Abraços
Anônimo disse…
Aposto que este projeto da Edilva é mais um daqueles em que pedem para as crianças pagarem para ir ao cinema e quem não pode pagar fica sem participar.

Se não é, de onde sai este dinheiro para levar todas as crianças ao cinema todos os meses? Claro que nem todas vão. Mesmo assim, deve ser um bom projeto.

Parabéns pela iniciativa.
Vera Vaz disse…
Olha, anônimo acima, acho que não dá pra pegar sempre pesado deste jeito! Criar esse clima de animiosidade com quem se dispõe a vir aqui falar com a gente na boa sobre seus projetos é no mínimo falta de educação (no mínimo). Defender a Educação é uma coisa, ser rude anonimamente com pessoas que vem aqui e põe seu nome e sobrenome, o nome de sua escola e seu projeto é outra totalmente diferente. Você pode até não concordar com o método ou com o projeto mas pode discutir isso com civilidade até mesmo no anonimato se prefere assim!!!
Obrigada, Edilva, por sua contribuição. Penso que seja valiosa pois quem sabe não leva outros professores a pensarem projetos como esse e a se regozijarem com a carinha de encanto que emociona quando "i bambini fanno oh!"
Anônimo disse…
"Como a família não é uma instituição que se possa discutir ações de um modo geral eu gostaria de ouvir opiniões que pudessem reverter dentro da escola a situação em que a Educação se encontra. "
AÍ ESTÁ TODO O PROBLEMA. A FAMÍLIA É QUE NÃO EXISTE MAIS. ENTÃO JÁ QUE ESSA JÁ MORREU, TENTA-SE CULPAR A EDUCAÇÃO. DESCULPEM-ME O DESABAFO, MAS VOCÊS ESTÃO EQUIVOCADOS. SE NÃO DISCUTIREM OU INCLUÍREM A FAMÍLIA NA QUESTÃO VOCÊS NÃO CHEGARÃO A LUGAR ALGUM. A EDUCAÇÃO NÃO MUDARÁ NADA. TUDO CAIRÁ NO ESQUECIMENTO.
Edilva Bandeira disse…
Sobre o projeto "A Escola vai ao Cinema e o Cinema vem a Escola" que desenvolvo há três anos na escola Arno Hausser, estabelecemos parceria com a Fundaçõa Cultural de Ilha Solteira, responsável pela administração do cinema, então o ingresso custa R$ 2,00 e a pipoca e o refrigerante também R$ 2,00. As crianças que não trazem de casa os R$ 4,00 para o ingresso e a pipoca, eu peço contribuição dos professores, as professoras Vera Lúcia Santana, Eloísa Cavalcanti, Nair, Claudinéia, Neusa, Denise, sempre contribuiram, o que falta peço para a direção que também sempre nós ajudou, nunca, nesses três anos, uma criança ficou pra trás ou sem pipoca,( o cinema já deu gratuitamente pipoca e refrigerante para as criaças) por falta de dinheiro.
Anônimo disse…
Edilva,
parabéns pelo seu projeto.
A arte deve sempre ser prioridade no processo educacional.

bjs
Vera Vaz disse…
Anonimo "da familia que não existe", apesar de não concordar com vc e achar que família existe sim só tenho a lhe dizer que está no site errado! Vc pode discutir as atitudes gerais da família quanto quiser e como pais devem criar os filhos em casa em outro forum e isso é importante também mas aqui no Educafórum nós discutimos a Educação Formal e as ações das escolas e não dos pais em sua vida privada! Só vamos falar de pais com relação à escola e como essa pode interagir com eles. Discurso vazio é ficar demonizando as famílias e os alunos de um modo geral sem pensar soluções. Entendido?
Abs
Vera Vaz
Vera Vaz disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse…
Discurso vazio são o de mães ou pais de alunos que sequer controlam seus filhos na escola e querem, SEM MORAL, leia-se, SEM MORAL, questionar aquilo que não fazem em casa.
E não se enganem somos um grupo de professores, diretores que estão postando aqui. Agora, vão nos agüentar...
Existe crise, SIM, na família.
A escola, definitivamente, não é a única responsável pela marginalização das crianças.
Alunos estão sem limites, mal educados, mal acostumados. As famílias são as verdadeiras culpadas.
Vocês são a escória da sociedade, porque não sabem discutir, não sabem orientar vossa luta. Estão perdidos, por isso atacam de forma pessoal e irresponsável.
Sabe por que não têm respaldo nos órgãos oficiais? Porque pra eles vocês não existem. Eles têm clara noção de que se trata de futricas, sem fundamento, na maioria das vezes.
Organizem-se politicamente, ok!
Anônimo disse…
Discurso vazio são o de mães ou pais de alunos que sequer controlam seus filhos na escola e querem, SEM MORAL, leia-se, SEM MORAL, questionar aquilo que não fazem em casa.
E não se enganem somos um grupo de professores, diretores que estão postando aqui. Agora, vão nos agüentar...
Existe crise, SIM, na família.
A escola, definitivamente, não é a única responsável pela marginalização das crianças.
Alunos estão sem limites, mal educados, mal acostumados. As famílias são as verdadeiras culpadas.
Vocês são a escória da sociedade, porque não sabem discutir, não sabem orientar vossa luta. Estão perdidos, por isso atacam de forma pessoal e irresponsável.
Sabe por que não têm respaldo nos órgãos oficiais? Porque pra eles vocês não existem. Eles têm clara noção de que se trata de futricas, sem fundamento, na maioria das vezes.
Organizem-se politicamente, ok!
Anônimo disse…
Escola ideal:
1-Professores devem suportar alunos mal educados, marginais até; e caso não consiga cuidar dos mesmos devem se sentir culpados por isso;
2-Pais, mães e responsáveis não precisam participar da escola; basta cobrar à distância. Atentar para o fato que, sobretudo, devem cobrar dos docentes e equipe escolar, tudo aquilo que falham, falharam ou falharão na educação elementar de seus rebentos;
3- Uso de celular na escola deve ser permitido, afinal uma conquista tecnológica como esta não pode ser reprimida. Caso atrapalhe a aula, o professor será, mais uma vez, responsável. Afinal a culpa é sempre dele;
4-Eleição direta para Diretor de Escola. Claro, os pais tão politizados e responsáveis saberão quem, quando e porquê quem colocar na função. Futuramente, eleição para professores e funcionários também será bem-vinda;
5-Repetência deverá ser abolida até no Ensino Médio, afinal, os alunos merecem sempre uma e mais uma e mais duzentas mil chances.

Quando tudo isso se tornar realidade, eu quero estar assistindo tudo de camarote. Será o caos total. Mas, enfim, era isso o que uma minoria queria afinal.

A sorte que isso jamais, JAMAIS, irá ocorrer. Uma minoria de pais, conscientes, politizados, bem amados, bem casados, irá tomar a rédea da situação e saberá pôr os pontos no i´s.
Contra os pessimos professores ! disse…
Fiquei emocionado quando li a respeito de Edilva Bandeira que desenvolve o trabalho de levar as crianças ao cinema, é realmente incrivel saber que ainda existem pessoas que tem amor, sentimento para com o proximo e em se tratando de criança o brilho desta mulher ofusca e faz nascer a ira em muita gente tal como acontece com o anonimo ai, estou emocionado até me arrepia em saber que minha luta não é em vão!.
Existem pessoas que não tem familia não por ela não existir, é porque esta familia descartou mesmo um membro dela tal qual acontece com esse cidadão ai, esse com certeza não tem familia, ou esta muito claro que não sabes oque a familia !!.
Quando eu estiver em ilha solteira, e se puder, com certeza farei questão de contribuir com essa pessoa "Edilva Bandeira" para o progresso, por menor que ele seja e ver o desenvolvimento das pessoas que farão no futuro uma escola melhor...agradeço de coração, de Pai, oque voce faz Parabens !! Edilva Bandeira voce merece !!