A escola TABU, a série - Número 4


Desta vez é o relato de uma mãe cujo filho foi levado a conselho e expulso da escola por causa das denúncias da própria mãe. Não houve nem ao menos o cuidado de "disfarçar" a expulsão sob o pretexto de outro motivo. Preste bem atenção na alegação da diretora de que se trata de uma "escola modelo". Apesar de a SEE ter tomado a atitude autoritária (para variar...) de retirar de seu site o índice IDESP de cada escola, nossos amigos PaisOnline descobriram que a EE Jardim Iguatemi obteve a nota 2,11 na 8ª Série e a nota 1,60 no último ano do Ensino Médio.
Mais uma vez fica evidente o faroeste que se tornou a rede pública de ensino no Estado de São Paulo, onde cada escola tem seu tribunal de exceção para julgar os alunos e expulsá-los a bel prazer. E a "surdoria" da Educação dá seu aval para esses julgamentos "soberanos"... O que diria Ruy Barbosa?


Meu nome é........., já fiz um boletim de ocorrência contra a diretora da Escola Estadual Jardim Iguatemi, pois a mesma gritou com meu filho chamando ele de ridículo perante seus colegas e me convocou na escola repetindo perante a mim e meu marido que ele era ridículo, que com aquele cabelo ele não entraria mais na escola e que ele nunca seria alguem com aquele visual. Depois de alguns dias a mesma repetiu perante outros pais que no máximo que ele seria era DJ ou motoboy. Isso ela já fez com outras crianças impedindo até de apresentar trabalhos escolares, pois não estaria de acordo. Já fiz um relatório de denuncias e protocolei na secretaria de educação, porém continua a perseguição que se deu após o BO. E ela, persistindo na perseguição, encaminhou meu filho para o conselho escolar, apresentou para o conselho todas as denuncias que eu fiz, com cópias do processo e disse que eu estava descontente com a escola, e por esse motivo ele seria transferido de escola, se eu achava melhor dar o nome de duas escolas da região e ela tentaria uma vaga, ou se ele ia para os votos e ele iria para qualquer uma outra. No conselho foi votado sua "expulsão", e a diretora ironizando o tempo todo, dizendo que meu filho era assim por que eu defendia, que meu filho era igual a mim, e que já que eu entrei na justiça era para aguardar pois a justiça é muito lenta e vai demorar anos para que eu tenha um retorno. Ela poderia ter usado as denúncias durante o conselho ou foi mais um abuso da parte dela? Mais de 20 crianças foram excluidas da escola durante esse conselho, estava marcado para as 16:00, teve inicio as 16:30 horas , e terminou por volta das 21:00. Porque não marcaram com intervalos de horário nos deixaram plantado em uma sala de aula. Tenho vária testemunhas de abuso de alguns funcionários e principalmente contra a diretora, porém ela deixa bem claro que ela manda na escola e quem não tiver contente com a escola procure outra, porém a escola é a mais próxima da minha região e gosto da escola, não gosto e estou descontente com os abusos. Tem alunos que como meu filho pensou em até desistir, porém insisto pois não devemos desistir a cada obstáculo, se no primeiro obstáculo que ele está enfrentando ele desistir, como será no futuro? Por favor me oriente, me ajude, tenho vária testemunhas e denuncias de outras mães. Entrem em contato pois meu filho está sem escola pois não assinei sua transferencia, e quero que ele continue na mesma escola pois tenho uma filha matriculada.

Na Secretaria da Educação fui pessoalmente em setembro e protocolei, ainda não peguei a cópia do documento com o retorno da diretora. Ontem liguei para a Secretaria da Educação para fazer a reclamação que meu filho havia sido excluído da escola contrário a minha vontade e contrário a vontade dele, e que o argumento que a diretora junto com o conselho usaram era que eu estava descontente com a escola pois fiz vária reclamações, simplesmente o ouvidor Marcos que estava do outro lado da linha respondeu é que dificilmente se poderia fazer algo, pois a decisão do conselho de escola seria difícil de ser revertida, e que estaria anotando a minha reclamação e encaminhando para a delegacia de ensino, gerou outro protocolo e falou que daqui alguns dias teria algum retorno. É tão grande o descaso que a outra denuncia eu só soube que já estava concluída a resposta quando a diretora leu no dia do conselho e entrei em contato via telefone com a secretaria de Ensino e uma funcionária de nome Rosangela informou que já tinha um retorno e que eu posso estar retirando pessoalmente uma cópia. O que ainda resta a ser feito? Todos falam para desistir, e se desisto estou ensinando pros meus filhos que reivindicar o direito de ser tratado com respeito é uma enganação, que não existe direitos, que o Estatuto da Criança só serve para menores infratores e contra os pais que muitas vezes desistem e colocam seus filhos para trabalhar, pois o incentivo para as crianças estudarem é muito pouco, simplesmente ilusório.

Será que todas as mães que conhecem o problema de perto não podem ser ouvidas, teremos que nos calar pois ninguém quer nos ouvir? A diretora em todas as ocasiões afirma que a escola é a melhor da região, que é uma escola modelo, porém desta forma é fácil, excluindo alunos que ela diz serem problemáticos , não deixando os alunos que ela considera fora do padrão da escola apresentarem os projetos. A escola na minha opinião deveria tratar todos com igualdade e quando surgissem essas dificuldades com os alunos, ai sim é que deveria ser tratados com mais amor, para eles se sentirem importantes, deveria ter uma orientação em conjunto com os pais, se necessário um encaminhamento com psicólogo, mas não, eles pisam, fazem o adolescente se sentir um lixo, dizendo que no futuro eles não vão ser nada. E saber que essas pessoas são pagas com o dinheiro do povo e a escola continua sendo pública!

Comentários

Contra Pessimos Professores disse…
O que tenho dito aqui por varios comentarios e não tem sido publicado não sei porque, já que sou um pai e não creio que venho escrevendo besteiras, escrevo a mais pura verdade deste país.
Reclamar de tudo aquilo que achamos estar errado é algo que concordo plenamente, em se tratando de ensino publico mais ainda.
O que aconteceu com essa mãe que teve seu filho expulso da escola já é algo mais que comum entre as escolas publicas, umas ou outras são menos pior digamos assim ! mas nem por isso devemos esmorecer, um dia lá na frente quando a justiça achar que deve agora olhar os altos dos processos, voce não tera que dizer que não tentou...porque realmente, a diretora tem razão, todos nesse país tiram proveito do fato que a justiça é lenta, injusta e não pune.
Mas há uma luz no fim do tunel, se não houver clamor publico, fervoroso, nada sera feito! todos os pais que reclamam, ainda é considerado pouco para a justiça achar que deve fazer algo, as vezes sou a favor de educar, instruir e formar os filhos dentro de casa, como fez os pais professores que consideraram a escola incapaz de ensinar o filho deles. se pudesse e tivesse "Dinheiro" entraria com um processo tão devastador que com certeza abriria varias jurisprudencia
para outros casos.
A justiça consegue fazer a magica de fazer de um processo pequeno se transformar em um complexo processo de anos !! É uma vergonha! e o pior de tudo é que não existe se quer um promotor publico que se interesse por isso !!.
Anônimo disse…
Giullia,
Um raio caiu na EE Campo Belo - Diretoria Sul 3 destruiu a escola , pegou fogo nos documentos da escola, nos computadores e na língua da diretora que abafou tudo e jogou a culpa na comunidade dizendo que os computadores foram roubados.
Agora os alunos vão ter que estudar numa escola de lata imporovisada e subir mais de 80 degraus para chegar até a sala de aula.A coisa lá esta feia alguem precisa ir até a comunidade para
comversar com as mães dos aluno,são desinformadas e humildes
Mauro A. Silva disse…
As denúncias podem ser feitas por carta ou pessoalmente no Programa Tribuna da Cidade (das 15hàs 16h):

Programa Tribuna da Cidade (Rádio Terra - AM 1330)
2ª a 6ª - das 5h às 6h30
Apresentador: Eufrásio Meira
www.tribunadacidade.zip.net
e-mail: tribunadacidade@bol.com.br
Avenida Paulista nº 2200 - 2º andar, CEP 01310300, S. Paulo-SP
Contato: João Barboza (cel.: 8166-7344) ou Mauro A. Silva (cel.: 7332-8153)
cremilda disse…
Giulia
Vamos lá, denunciar esses casos na Radio
O pessoal não quer é que se divulque e que se oriente os pais
Os pais alertados e orientados a reivindicar os seus direitos é tudo que os Secretários não querem.
Anônimo disse…
AH, OUTRA NOVIDADE, PQ O CONSELHO DA.ESCOLA EE J. IGUATMI VAI SER AS12.30 E REUNIÃO COM OS PAIS VAI SER A 13.15, PQ SERÁ? SERÁ QUE É PARA COLOCAR AS PALAVRAS PARA O CONSELHO, E DEPOIS DAREM AS SENTEÇAS PARA OS PAIS DEPOIS?
LOIDE S DE OLIVEIRA disse…
ESSECPMENTÁRIO FOI EU QUE FIZ ....
Anônimo disse…
Estou indignada com a atitude da escolça , porque minha filha estava de calça jeans preta e teve que assinar o livro de advertencia , sendo que a filha do coordenador trajava bermuda e nada foi feito , será que minha filha estava mais despida que ela???

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola