Professores que alfabetizam em SP seriam reprovados



Cerca de 40% dos professores responsáveis pela alfabetização dos estudantes tiveram nota abaixo de cinco no teste realizado pela Secretaria Estadual da Educação de São Paulo - ou seja, seriam reprovados.

A alfabetização é uma das questões mais graves da educação no país, cuja deficiência explica boa parte da crise do ensino, já que o estudante tem dificuldades de ler e escrever. Obtive esses dados a partir da tabulação das notas dos 48 mil professores temporários da primeira e quarta série (o período de alfabetização). Entre os que seriam reprovados, 2.019 tiraram zero ou ficaram muito próximos dessa nota. Apenas 103 (0,2%), daquele total, ficaram com a nota máxima.

De acordo com o documento ao qual tive acesso, 15.800 professores ficaram pouco acima da média, entre a nota cinco e seis, o que significa 32% da amostra. Ou seja, 72% dos professores da primeira e quarta série estão abaixo do regular. Essas informações detalham notícia divulgada domingo neste espaço, mostrando que, do total dos que fizeram a prova (214 mil), 3.000 tiraram zero e cerca da metade ficou abaixo da média. O sindicato dos professores conseguiu barrar, na Justiça, a determinação da Secretaria da Educação de que as notas servissem como critério para que os temporários escolhessem aula na rede pública.

Gilberto Dimenstein, 10/02/09

Comentários

Marcia disse…
Acho que eles estão cobrando dos alunos a sua própria incapacidade.
Se em uma avaliação eles não conseguiram mostrar o minino de conhecimento, imaginem em sala de aula.
Eu já tive experiencia em dar aulas, porém em sala de aula, nunca dá tempo de ensinarmos tudo e existe a dificuldade do entendimento do aluno. Ensinar sem saber é emburrecer os alunos, que vai repercurtir lá na frente quando eles estiverm se formando em profissionais.
Não é genealizando, mas o que tem de maus profissionais e que nem sabem o significado da palavra étca, vai ver passaram por esses professores
Anônimo disse…
Concordo plenamente..depois cobram dos alunos a incompetencias de alguns maus profissionais,teriam de serem avaliados mensalmentes, como cobram dos alunos, deveriam ser cobrados a eles tbm.Se não capazes de ensinar...mudem de profissoes;
Anônimo disse…
OS ZEROS DE MATEMÁTICA DO CONCURSO/SP SÃO MAIS DOS ELABORADORES

Embora não tenha sido divulgado isso por disciplina, o fato é que zero na prova de matemática não se justifica só pelo diploma, acho. Assim como, pelo mesmo motivo, a prova em si não deveria ser da qualidade tão vergonhosa que foi. Afirmo isso por haver feito estudo técnico nesta e um dos fatos é a seguinte questão:


17. Em um determinado condomínio, paga-se atualmente um salário mensal de R$ 1418,00 para um zelador. Com todos os encargos, esse funcionário custa ao condomínio R$ 2392,00. Após uma análise de mercado e algumas reflexões junto à associação de trabalhadores que representa essa classe, a empresa administradora concluiu que deveria atualizar esse salário em 4,5% referentes ao ano de 2007, e mais 4% referentes ao ano de 2008.

A taxa de reajuste do salário do zelador, após essas atualizações, será:
a) 8,5%.
b) Maior que 8,5%.
c) 16,5%.
d) 18%.
e) Maior que 18%.
Fonte: http://drhu.edunet.sp.gov.br/eventos/Provas/Matemática_Final_210x270mm_CG_211108.pdf

A resposta que acham ser correta, b), é apenas uma das possibilidades, não uma certeza matemática. Pois, não ficou definido que o salário de 2007 seria primeiro corrigido em 4,5%, o que gera obrigação de pagar todas as diferenças decorrentes, e depois aplicar sobre este valor o percentual de 4%. O comum em tais casos é um acordo, como ocorre até em negociações com o Estado, que consiste em aplicar um percentual de 8,5% de aumento, ficando as partes cientes o quê disto corresponde a qual defasagem. Ou seja, o mais correto, coisa inválida em prova, é o item a).


Os fatos que provo na minha pesquisa com a dita provinha de matemática, são:

1) Os que eram (digo eram) de matemática e elaboraram tal prova deveriam ter os seus diplomas anulados;

2) O que tenha tirado zero também e quem o diplomou deveria indenizá-lo por danos morais e pagar outra graduação para este;

3) Os que tiraram dez também, pois para marcar tudo como certo o que esses acharam que era certo não sabem o que é matemática de fato.


Prof. João Batista do Nascimento, Mat. UFPa, jbn@ufpa.br
www.cultura.ufpa.br/matematica/?pagina=jbn
Professor Brodoteau disse…
Venho lendo as postagens deste blog, desde o mês passado e sabe que vi muita coisa e não concordo, pois vejo pessoas que deixam declaração sobre os profissionais da educação, sem ao menos conhecer quem trabalha nas escolas e quando diz não estou generalizando,só o fato de colocar essa palavra isso é um sinal de que está tentando amenizar o seu infeliz comentário, mas não li nenhum depoimento falando em ajudar a construir uma educação melhor, vocês não acreditam na educação, porque se acreditassem iriam ajudar. Eu me pergunto se pessoas assim como essa senhora e outras deste blog, que parecem entender tanto de educação, devem entrar no lugar dos professores e diretores incompetentes, já que mostram tanta preocupação, devem fazer um curso de licenciatura, entrar numa sala, ou dirigir uma escola, ou quem sabe ser uma dirigente regional, visto que voces sabem tudo sobre pedagogia.
Alain disse…
E você anonimo que pede para que os professores mudem de profissão, aconselho você a voltar a sentar na cadeira de madeira e usar a carteira, caneta e caderno e um bom dicionario de portugues, suas frases nao tem coesao muito menos coerencia, se voce é aluna ou foi, deve ser daquelas que só vai ou foi a escola, para brincar, porque escrever é nitido que voce não sabe. Entao antes de postar algo aqui, aconselho que faça um rascunho, peça uma revisão para algum "professor" de portugues, antes de cometer tantos erros, e tentar balbuciar suas reinvindicaçoes? Voce sabe o que significa essa palavra? Ainda bem que voce nao postou seu nome. Bom estudo!!!
Giulia disse…
Professores "da França", percebe-se que, para vocês, a educação é mero cabide de emprego. A crítica sobre o que seus alunos aprendem cabe a vocês mesmos! Voltar para os bancos escolares, na rede pública, significa passar mais anos e anos sem aprender nada, já que a competência dos professores e, principalmente, sua boa vontade, é quase nula. A própria Secretaria da Educação "pediu prazo" até o ano de 2022 para que a escola pública consiga alfabetizar direito!... Alguns professores são, sim, verdadeiros educadores, têm competência e compromisso com a educação, mas são realmente muito poucos. Esses criticam a escola, tanto quanto nós. Outros professores são "bem alfabetizados", como vocês dois, mas detestam os alunos e não têm outro interesse a não ser a manutenção do seu salário e a defesa da corporação. Podem tirar a máscara, professores "da França"...
Anônimo disse…
Fico feliz em ver que o assunto vergonhoso não foi esquecido. Espero que não seja, e rezo para que esses professores Nota Zero, Um, Dois, Três... estejam o mais breve possível fora das escolas.
Eliane disse…
Fico feliz em ver que o assunto vergonhoso não foi esquecido. Espero que não seja, e rezo para que esses professores Nota Zero, Um, Dois, Três... estejam o mais breve possível fora das escolas.