Ausentes das salas de aula


Quando falamos que o maior problema educacional no Brasil não é o analfabetismo, poucos entendem o que queremos dizer. O editorial do Jornal Agora São Paulo de hoje mostra - para quem quiser entender - a gravidade e as consequências da exclusão escolar, provocada pela discriminação, pelo descaso e pela indiferença de toda a sociedade formadora de opinião - não apenas dos responsáveis pela política educacional.


Mortes de jovens

27/07/09


Uma pesquisa divulgada na semana passada mostrou que 46% das mortes de adolescentes no Brasil são provocadas por homicídios. É a maior causa de mortes nessa faixa etária, ultrapassando, de longe, motivos naturais (25%) e acidentes (23%).

O estudo foi feito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, com apoio do governo federal, a partir de dados de 2006. Ele mostra que entre as cidades mais violentas se destacam aquelas das regiões metropolitanas de Minas Gerais, Espírito Santo, Pernambuco e Rio de Janeiro. A capital paulista, embora não seja uma ilha de tranquilidade, não está entre as piores –aparece em 151º lugar. O Estado, como um todo, conseguiu reduzir a taxa de homicídios desde 2001, o que deixou suas cidades em situação relativamente melhor.

Um dado previsível, mas nem por isso menos preocupante, é que as principais vítimas são pobres, moradores das periferias e ausentes das salas de aula. A conclusão é que ainda há muito a fazer para que o grau de violência na sociedade brasileira diminua. É preciso, sem dúvida, aumentar a eficiência da polícia, da Justiça e do sistema penitenciário. Mas o investimento que parece mais promissor no longo prazo é a educação. É esse o caminho que o Brasil precisa trilhar em benefício das novas gerações e de seu futuro como nação.

Comentários

Renato disse…
A violência na Banânia é extrema. Não pode ser explicada por razões econômicas, pois na maioria dos países, mesmo os mais pobres, ocorrem menos assassinatos (em relação à população do país).

Penso que a causa principal da violência é a associação entre o grupo que agora está no poder e o narcotráfico. Esta associação vem de décadas, e tem influenciado o poder público, pelo desaparelhamento das forças armadas, em particular da sua operacionalidade nas fronteiras.

Enquanto houver tal associação, a violência, que é ligada o tráfico, será um problema grave.

Uma evidência disso é o caso venezuelano. Quanto mais aumentou a associação daquele governo com a narco-gerrilha, mais cresceu a violência no país. O número de homicidios foi às alturas.
Giulia disse…
Renato, eu gostaria de sugerir uma reflexão sobre o narcotráfico: quem é que sustenta esse negócio?...
Renato disse…
Olá Giulia

A resposta é óbvia, os consumidores de droga. Neste ponto, a questão se desdobra em duas:

1. A crise de valores. É um problema da modernidade, e certamente não é exclusivo do Brasil. Merece uma discussão ampla, mas o primeiro ponto a ser notado sobre esse problema é que não é um fenomeno totalmente natural, simples resultado da dinâmica social, mas tem um forte componente de engenharia social.

Mas isso não explica a particularidade do nível de violência do Brasil. A crise de valores é mundial, portanto, se fosse a única explicação, geraria violência igual no mundo todo.

continuo depois...
Giulia disse…
Continue, por favor, Renato. Achei interessantes suas colocações! Um abraço.

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola