Eduque seu professor!


O EducaFórum divulga a cartilha Como educar meu professor, de nosso amigo Mauro Alves da Silva, o maior conhecedor de legislação educacional em todo o país. Veja a justificativa do Mauro na elaboração da cartilha, que contém 10 lições:

Uma educação pública de boa qualidade exige professores bem educados. Já que os governantes e os políticos, nem as faculdades, não educam nosso professores, os alunos, as mães, os pais e a comunidade devem assumir o compromisso público de educar nossos professores.

DIGAM AO SEU PROFESSOR:

1) Escola não é segunda casa e nem segunda família.

2) Professor não é “amigo do aluno”… professor não é 2º pai do aluno… professor não é 2ª mãe do aluno!!!

3) Professor e professora são profissionais pagos com o dinheiro de todos… professor é pago com o nosso dinheiro…

4) Professor não é santo abnegado. Aqui em SP, o piso salarial é de R$ 1.500,00 para uma jornada de 40 horas semanais…

5) Professor não é coitadinho. Muito político tem parente vendendo aulas em escolas públicas. Mas é raro encontrar um deputado que tenha filho, neto ou sobrinho estudando em escola pública. Estes políticos votam projetos pensando única e exclusivamente no bem-estar dos seus parentes professores e diretores de escola… Os alunos que se danem.

6) Professor deve ser avaliado diariamente. Exija frequência diária. Exija que ele preste todo o tipo de esclarecimento. Cobre-lhe participação em todas as atividades da comunidade escolar.

7) Exija que seu professor o chame pelo nome. Professor que não sabe o nome do aluno não tem condições de educá-lo.

8 ) Criança e adolescentes são prioridades absolutas. Escola só deve existir se for para garantir o direito do aluno à educação de boa qualidade. Professor não é prioridade absoluta!

9) Professor, funcionário e direção escolar devem respeitar alunos, mães pais e comunidade. O respeito é um dever, não uma opção.

10) Toda obrigação deve estar diretamente relacionada a uma punição quando houver omissão. Professor responde pelos abusos e omissões em conformidade com o Estatuto do Magistério e até mesmo com o Código Penal. Professor que não ensina deve ser denunciado. Não devemos “passar a mão na cabeça” de maus profissionais.

Comentários

Fabiana disse…
Giulia dia 16 de dezembro é a formatura da minha irmã.
Graças a sua orientação tivemos como lidar com a ditadura da diretora e conselho de escola e ela pode voltar as aulas inocentada e de cabeça erguida.
Seu trabalho e os do que se dedicam como você nos da alento quando estamos nas mãos de profissionais tão despreparados para educar nossas crianças e jovens.
Deus abençõe essa luta que é de todos que precisam de uma educação de qualidade e respeito por parte desses profissionais.
MLuisa disse…
A critica faz parte da democrácia,
ela é necessária para o desenvolvomento de um povo no engajamento de debates,discurssoes
com a finalidade de chegar a uma boa conclusao como fazer para o melhor,nunca vai encontrar o elíxir
para uma sociedade perfeita,mas tentar à ser mais humana já é alguma coisa.Nao é possivel domar um cavalo selvagem com pancada,o melhor resultado é dando uma cenoura! Se o homen é um animal racional,porque se usa tao pouco do raciocínio? Conhecimento nao é
poder,conhecimento nos dar possibilidades de desenvolver e crescer; menos que se sabe mais fácil de ter opiniao certa!
Me pergunto, quais os válores, e atitudes tem os professores de hoje
e o que eles tem estudado, sôbre os direitos humanos,e o "Respeito da Integridade das Criancas"?Se continuam com a mesma mentalidade e mesmo valores; entao as criancas
vao continuar trasmitindo o mesmo erros que os professores ensinam hoje,intolerância,e agressividade?
Nao esquecamos que nehuma crianca nasce criminoso,que existe criminosos em todas as camadas sociais,há pouco tempo foi compro
vado nos USA,padres católicos como
pedofil; no ano 1700 criancas foram castrados para ter boa voz e cantar no côro da igreja!
Pior de tudo é a indiferenca e apátia mas o engajamento está cres
cendo,o povo ùnido jamais será vencido,nao esquencam!Vamos dar as criancas uma chance, que muitos nao
tiveram,vamos lutar para que a histótia nao se repita.Que os previlégiados,de chance aos menos
previlégiados.
Que 2010 haja mais compreencao entre os homens, pra um Brasil melhor.
isso é importante
Mluisa disse…
OBS!
Nao quero ser categorica,nem tao pouco quero generalizar!
Em todas as profissoes tem bons e menos bons profissionais.
Todos nós erramos,que errar é humano mas continuar no erro é... entao vamos ajudar um ao outro.Nao esquecamos que: A queda de Roma nao veio de fora nao!!!Viver é lutar.
Anônimo disse…
Educar é dever todos principalmente da familia, todos querem direitos mas poucos cumprem com seus deveres.
Priscila disse…
Quanto aos itens 1 e 2 concordo plenamente. Cabe aos pais a educação dos filhos. Quanto a formação acadêmica, essa sim, cabe ao professor. Interessante é a análise sobre o salário, lembrando que, para a função é indispensável ter curso superior, vamos concordar que são pouquíssimas as profissões que recebem tão pouco por trabalho de tão grande importância.
Se é real o dado de que existem muitos políticos parentes de quem vende aula, eles esquecem disso, pois são raras as políticas de valorização do profissional da educação no Brasil, mesmo sendo esse o caminho para melhorias, a exemplo de diversos países, como Coréia do Sul, Japão, Inglaterra.
Sobre educação de boa qualidade, ela se faz com bons profissionais, que podem contar com o apoio da família qu educam criança e adolescente para que sejam formados academicamente na escola e essa é a prioridade. O respeito mútuo é fundamental, não só para a profissão, mas para a convivencia entre os seres humanos.
Sobre punições acredito que sejam cabíveis aos maus profissionais, pois esses existem não só entre professores, mas em qualquer profissão.
Esse tipo de relação, carregada de rancor como o texto deste post é um reforço ao descaso e ao desprestígio que os professores vem enfrentando. A maioria deles, dedicam-se nas condições mais adversas de trabalho para buscar a melhor educação para os seus alunos.
A educação precisa melhorar e muito. As relações humanas também, mas é a partir da compreensão, do auxílio e da proximidade e não da denuncia e imposição.