Quem salva uma criança salva a humanidade


Não sei qual a autoria da frase do título, quem repete sempre isso é o amigo Mauro. Diante das dificuldades do nosso trabalho, que é totalmente voluntário e muito ingrato, já que conseguimos apenas "migalhas", é sempre uma grande satisfação quando recebemos mensagens positivas. Lembram da aluna de São João da Boa Vista, acusada de ter colocado fogo na lixeira da classe? Ela foi expulsa pelo Conselho de Escola e arrastada para um tribunal, mas foi finalmente inocentada pelo juiz, que desmascarou os colegas e a diretora da escola, que incentivou a difamação. Acabamos de receber uma mensagem da irmã, informando sua formatura. Parabéns, Francieli! Estamos felizes com o seu progresso e esperamos tê-la conosco no futuro, como advogada que defende os direitos dos alunos.


Giulia, dia 16 de dezembro é a formatura da minha irmã. Graças à sua orientação tivemos como lidar com a ditadura da diretora e conselho de escola, e ela pôde voltar às aulas inocentada e de cabeça erguida. Seu trabalho e os do que se dedicam como você nos dá alento quando estamos nas mãos de profissionais tão despreparados para educar nossas crianças e jovens. Deus abençõe essa luta que é de todos que precisam de uma educação de qualidade e respeito por parte desses profissionais.

Comentários

Cremilda disse…
Fico sempre sensibilizada e suspiro quando vejo as fotos que você coloca no seu espaço.
Coisas de sensibilidade feminina.
Como essas ilustrações no meu blog ficam a cargo do Mauro ele nunca coloca flores, a menos que eu peça...
Bem, não concordo com você.Não entendo como migalhas o que conseguimos, prefiro ver como sementes semeadas.
A semente do seio da terra não pode ser vista mesmo...só depois que germina. Como a parábola do Cristo, muitas boas sementes se perdem nas pedras ou no espinheiro, mas muitas vão para terreno fértil. Por isso precisamos semear muuuuito.
Gosto também quando algum aluno por conta de nossa interferência, deixa de sofrer uma violência, ou alguma injustiça é corrigida.
Nem todos agradecem, depois.
O normal é sumirem depois do caso resolvido, são tantos....
Como a gente não fica em cima para cobrar, esquecemos.
Quando penso nisso, me lembro de Jesus, que curou os leprosos e continuou o seu caminho.De volta ele passou pela mesma região, e não encontrou nenhum dos deles para agradecer por terem voltado ao convívio de seus familiares.
É assim, o ser humano, mas mesmo assim eu gosto.
Amo seu espírito de luta abnegada.
Você merece cada um dos elogios desta família....
Vamos nessa.
Giulia disse…
Cremilda, as flores eu só coloco quando quero homenagear alguém ou quando se trata de uma boa notícia. Basta olhar desde o começo do ano e vai ver que a maioria das imagens não são... flores que se cheiram, rs. Migalhas ou sementes, a verdade é que os frutos são poucos e a grande frustração é a falta de consciência da comunidade de quanto lhe é ROUBADO, o quanto é ROUBADO para toda a sociedade! Como você mesma diz, a maioria dos pais e alunos que a gente ajuda somem depois... Caso resolvido, perdem o vínculo conosco. Esses poucos que nos visitam depois para nos trazerem boas notícias são um bálsamo para o coração!
cremilda disse…
É mesmo...
Parece que a in-gratidão e a in-veja são os maiores defeitos do ser humano.
Mas, com certeza, as boas notícias são mesmo como um bálsamo....
Quantas vêzes eu caí, disse que ia desistí e você me levantou.
Então é isso, vamos pra frente.
Mais um passo...
Ano que vem tem eleição, não sei se você notou que o único momento daquela reunião na Cogesp que o José Benedito ficou meio preocupado,(muito de leve) foi a alusão da eleição do ano que vem.
Eu não tenha a pretensão de influenciar ninguém e muito menos influenciar em eleição, mas que daqui pra frente eu vou sempre contar aos pais, a importância que tem escolher bem os políticos, e como eles tem tudo a ver com o que acontece nas escolas, ou com o que NÃO acontece....
Na Câmara, nas Comissões de Educação eu peço a palavra e eles sempre negam, e eu sempre respondo:
Não tem importância eu falo em outros lugares......
E vou falar sempre que tiver oportunidade, vou falar que eles dizem provocativamente que o PT é a bancada dos professores, então os pais precisam votar em outros.
O PSDB arruinou com a escola pública
O Chalita está no PSB, mas onde vai o imundo vai a imundície.
Digo sempre que ele é bonitinho, mas é ordinário....
E lá vamos nós...
Giulia disse…
No mato sem cachorro, rsrs...
Josélia Gomes Neves disse…
Araraquara-SP, 3 de novembro de 2009.
Da: Josélia Gomes Neves
Para: Conselho Tutelar e Ministério Público
Ao cumprimentá-los, venho por meio deste documento solicitar providências quanto ao cumprimento da Lei 9394/1996 a respeito do direito à educação, particularmente no que se refere à efetivação dos 200 (duzentos) dias letivos.
Sou mãe da adolescente, G. R. W. N. F., (15 aos), estudante da 8ª série do Ensino Fundamental da Escola Estadual Bento de Abreu de Araraquara. Em função da gripe suína as aulas foram suspensas, o que considerei uma medida prudente.
Solicitei o novo calendário da escola. De fato foram reprogramados os dias destinados a reposição, no entanto as aulas não estão acontecendo. Entrei em contato com a Coordenação Pedagógica que me informou que não estava havendo aula por causa da ausência dos estudantes. Perguntei que medida a escola estava tomando para assegurar o cumprimento dos dias letivos, tive apenas respostas vagas.
No dia 30/10/2009 houve reunião com pais e mães na escola. Estranhei porque nenhuma palavra a respeito disso foi colocado na reunião. Neste mesmo dia, procurei o diretor da escola e expliquei que minha filha não estava mais querendo ir à escola aos sábados de reposição de aulas, pois estas não estavam acontecendo. Ele me falou que os docentes comparecem, mas que os alunos e alunas é que não vão. Informei a ele que no próximo sábado letivo, dia 31/10/2009 estaria acompanhando minha filha à escola, que não podia falar por ninguém, mas que estaria lá para garantir o direito da minha filha.
Neste sábado, dia 31/10/2009 às 13 horas eu estava na Escola Estadual Bento de Abreu. Encontramos apenas uma faxineira na entrada. Nos dirigimos para a sala de aula. Após meia hora, como não aparecia professor fui até a direção saber o que estava acontecendo. Eram 13 horas e 40 minutos. Fui informada que a professora já havia ido embora. A responsável entrou em contato com ela que retornou e ministrou as duas aulas, após as outras duas aulas anteriores. Se for necessário, irei todos os sábados a esta escola para fazer valer o direito da G. Mas penso que medidas precisam ser tomadas a respeito.
Diante disso, solicito providências no sentido de assegurar o direito da minha filha à educação com o efetivo cumprimento dos dias letivos.
Atenciosamente
Josélia Gomes Neves
End.: Rua Gonçalves Dias, 878, casa 6. Fone (16) 9243-0186
Anônimo disse…
eita
dona joselia a senhora precisa ir nas escolas da sul 3 pois lá não existem aulas durante o ano inteiro , reposição nunca existe

e o ano letivo já encerrou por lá
Mauro A. Silva disse…
Giulia,

A expressão original é: Seu subtítulo - "Quem salva uma vida salva o mundo inteiro", citação do do Talmud, um registro das discussões rabínicas que pertencem à lei, ética, costumes e história do judaísmo.
A citação é frequentemente traduzida para: "quem salva uma vida, salva a humanidade".
Esta citação judaica ficou mais conhecida por ter sido utilizada no subtítulo do filme Fic "A Lista de Schindler", do diretor Steven Spielberg. A Lista de Schindler (no original: Schindler's List) é um filme de 1993 baseado no livro Schindler's Ark de Thomas Keneally (o livro foi mais tarde renomeado para Schindler's List).
O filme, dirigido por Steven Spielberg. Relata a história de Oskar Schindler, um checo/tcheco que salvou a vida de mais de mil judeus polacos/poloneses durante o holocausto. O título refere a lista de 1.200 judeus que Schindler contratou para trabalhar na sua fábrica, tirando-os dos campos de concentração.
Produzido em preto-e-branco, o filme ganhou o 7 Oscar's em 1994, inclusive o de melhor filme.

É isso.

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola