Que tipo de monstro? - A série 6

8 anos de torturas em bebês e crianças até 4 anos... A dona dessa creche só foi desmascarada depois que uma funcionária gravou as imagens desse vídeo:






Essa história é parecida com esta outra e não significa que as torturas em crianças nas creches estejam se intensificando, mas apenas que os fatos estão vindo à tona, graças à tecnologia e à coragem de pessoas que resolveram quebrar o tabu que torna a escola um lugar santo e inviolável.

É claro que não existem tantos psicopatas entre os profissionais da "educação", como parece ao ver vídeos como esses... Mas o alerta é claro a todos os pais: pesquisem bastante e conheçam direito os lugares onde matriculam seus filhos, pois o pagamento de uma mensalidade não garante segurança e bom atendimento.

O que dizer então da escola pública, onde muitos pais se sentem agradecidos por receberem uma vaga "de graça" para os filhos?... Nada disso: a escola pública brasileira é muito bem paga com o dinheiro dos nossos impostos, que estão entre os mais altos do mundo! Já cansamos de sugerir para colocar câmeras de vídeo em todas as creches e escolas públicas do país, para inibir o descaso, a negligência e os maus tratos de que milhares de crianças são vítimas todos os dias, se não por psicopatas, por profissionais relapsos ou perversos, que contam com a certeza da impunidade e não têm o mínimo escrúpulo em descarregar sobre os filhos dos outros seu mau humor ou perversidade. Quando denunciados ou questionados, esses profissionais SEMPRE negam seus crimes, exatamente como fez a dona da creche no vídeo desta outra reportagem.
Segundo ela, estava "educando" as crianças...

Assista tambem ao depoimento das mães das crianças torturadas e da funcionária que fez a denúncia.

Comentários

Antonio disse…
AProfessora é suspeita de agredir alunos em escola de SP
2 horas, 59 minutos atrás



Uma professora de 62 anos é suspeita de agredir três alunos de 8 anos, ontem, em uma escola estadual em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. As crianças devem passar por exames de corpo e delito para comprovar, ou não, as agressões. Conforme a Secretaria de Estado da Educação, a professora foi afastada de suas funções por meio da Diretoria de Ensino do município.

PUBLICIDADE

Os pais dos alunos participaram de uma reunião na diretoria da escola para esclarecer os fatos. Em nota, a secretaria afirmou que as crianças recebem acompanhamento especial de professores coordenadores da unidade escolar e da diretoria de ensino regional.
cremilda disse…
Antonio
Esse caso surpreedentemente saiu no G1 e mostra os dois lados
A professora "suspeita" tem 62 anos.
Uma professora se aposenta com 25 anos e continua trabalhando.
Já começa por aí.
Ensinar é uma tarefa dificil e além de talento a professora precisa ter energia.
Ao invéz de aposentar e deixar o cargo para moças mais jovens elas não desgrudam da escola.
Outro fato que me deixou satisfeita é saber que desta vez, apesar da declaraçao da apeoesp que os professores são agredidos frequentemente na sala de aula, a globo ouviu as alunas agredidas, duas agredidas e um aluno que foi socorre-las levou um murro na boca
O aluno então se afasta e joga um apagador na professora, única arma que encontrou para defender suas colegas.
Giulia disse…
Cremilda, você assistiu no jornal? Procurei o vídeo e não encontrei. Saiu em outras mídias?

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola