Cadê o projeto educacional do país?...


Costumamos ser criticados por divulgar aqui os textos do "maldito" Gustavo Ioschpe, extraídos da também "maldita" Veja, essa publicação reacionária que mereceria ser queimada em praça pública...

Acontece que Gustavo Ioschpe é a única voz que se atreve a discutir educação no país. Eu disse DISCUTIR, não enfeitar com palavras ou tentar "sensibilizar" a sociedade com apelos melosos como fazem o Todos pela educação e certos políticos dissimulados ou mal intencionados.

E por que seria necessário DISCUTIR educação? Por que, pelo andar da carruagem, não estamos vendo luz no final do túnel. Cadê o projeto educacional do país? A quem serve?

A sociedade brasileira ainda não despertou para a urgência do assunto. A educação é um direito do cidadão, mas esse direito é mais tratado como favor. Os dirigentes do país se aproveitam da secular ignorância da população para mantê-la no status quo, agradecendo a esmola de uma vaga na escola - com um ensino de péssima qualidade que esses pais obviamente não têm condições de avaliar, daí a "satisfação" demonstrada pelas pesquisas oficiais... Outras esmolas são também oferecidas, como latas de leite em pó, além de programas como o famoso "bolsa escola", preocupado em manter as famílias quietinhas e atreladas ao sistema. Teoricamente, a escola é "aberta" para os pais, que deveriam participar de sua gestão, como reza a Constituição Federal em seus Artigos 205 e 206, mas eles são persona non grata aos diretores, que afastam os pais mais críticos e escolhem a dedo os manipuláveis para participar dos Conselhos de Escola.

Somos também acusados de não apresentarmos soluções, apenas críticas... Quem diz isso não acompanha o nosso trabalho. Nossas propostas são públicas, vejam apenas algumas:


Voltando ao "maldito" Gustavo Ioschpe, segue trecho de seu último artigo na "maldita" Veja:

Quando os educadores se referem à sociedade, o objetivo mais frequente não é perscrutar-lhe os anseios, mas reclamar. Não fossem os malditos pais dos alunos (que não cooperam, são incultos, bebem, mimam seus filhos, divorciam-se deixando famílias desestruturadas...), a escola brasileira produziria os resultados de uma Finlândia.

Se você tiver "estômago" para ler o resto do artigo, clique aqui. Ou então continue achando que tudo vai dar certo porque Deus é brasileiro, rsrs...

Comentários

É Giulia,

Finalmente um artigo do Gustavo Ioschpe onde ele discute educação como sendo um problema do país e não somente da sala dos professores. Gostei.

Maria Elvira
Giulia disse…
Mera informação: para 1 comentário a favor do artigo, 5 contrários, que foram deletados por mandarem o articulista "dar aula para uma sala superlotada numa escola pública de periferia", entre impropérios de várias espécies que mostram o nível de certos "educadores".
Anônimo disse…
Gustavo Ioschpe? Não é aquele boyzinho neoliberal que acreditava (ou ainda acredita) na inocência do médico-estuprador Roger Abdelmassih e desqualificava suas vítimas?

Portanto, pessoa qualificadíssima para tratar de assuntos de educação, segundo a administradora deste blog.

Durma-se com um barulho destes!

Jair
Giulia disse…
Jair, não sei de opinião alguma do Gustavo Ioschpe a respeito do tal estuprador. Você está confundindo alhos com bugalhos.

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola