Balaio de gatos com a bênção divina?


O texto a seguir é da Cremilda, que como ninguém sabe mostrar tanto os absurdos quanto os aspectos irônicos e hilários desse assunto tabu que é o sistema educacional brasileiro, onde, como sempre repetimos, a qualidade do ensino é o menor dos problemas:

DOMESTICANDO ALUNOS DA ESCOLA PÚBLICA A FERRO E FOGO
Cremilda Estella Teixeira

Tem sempre uma explicação para os deputados e autoridades apresentarem uma novidade no sentido de melhorar a qualidade do ensino na escola pública. Nenhum deles vai ao centro da questão. Nenhum se lembra que o aluno deve ser prioridade, estão sempre pensando apenas no professor. Ninguém pensa que na verdade o professor não trabalha, a maioria engana com as bênçãos da imprensa. Cobrar dele uma postura profissional é quase uma heresia.

O senador Paulo Paim quer que a “agressão a professor” seja considerada crime hediondo, como se professor fosse uma espécie de santo. Só falta pedir a canonização do pobre professor que recebe a reação do aluno como uma agressão.

Para os politicos, autoridades e imprensa, aluno tem que sofrer agressão e ficar quietinho, afinal ele está sendo agraciado. Ser agredido por um santo deve ser considerado uma espécie de bênção, uma beatificação.

Vem então a sugestão de aulas de religião dentro da escola, como nos tempos da colonização, quando os índios eram catequizados a ferro e fogo. Parece que entendem que a religião vai domar os alunos, deixá-los mais bonzinhos, mais pacatos, mais passivos. Eles deverão assim aceitar o professor como um ser divino que vem à terra fazer a caridade de ensinar ao filho do pobre ficar bonzinho?

A imprensa faz a parte dela, mas não está bastando. Tem sempre um apresentador de televisão, especialmente na Rede Record, emissora de orientação evangélica, que demoniza o aluno e isso não impede que apareça um ou outro aluno revidando a agressão que sofre na escola.

Lutamos tanto para separar a igreja do estado e agora querem de novo que ela mande na escola. No tempo em que a igreja mandava no estado havia apenas a igreja católica e não deu certo. Hoje querem que os sacerdotes, bispos , pais de santo e outros mandem na escola.

Imagina esse monte de religiões dentro de uma mesma escola.
Se escola já é um balaio de gatos, imagina agora. Um balaio de gatos religiosos.
AAAAmém.

Comentários

Anônimo disse…
Acho que os professores deveriam ser chicoteados em praça pública.
Por uma educação melhor!!!
(ironic mode):D
Giulia disse…
Esse anônimo engraçadinho já mandou esta mensagem outras vezes e não publiquei porque achei falta do que fazer. Mas já entendi: hoje o governador deu feriado para os funcionários públicos, deve ser isso, rsrs... A gente, que é voluntária, recebe e responde milhões de e-mails de pais e alunos na madrugada, e esses "profissionais" passam o dia fazendo gracinhas! Eta Brasil!
Anônimo disse…
enquanto a gente carrega pedra, esses professores andam de carrão e zombam da nossa cara. é soda.

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola