A escola tabu nº 45 - 8 anos de injustiça




Vamos tratar aqui, novamente, da EE David Eugênio dos Santos, em São Paulo, um caso de 2004 que poderia ter sido resolvido em alguns meses, se... os pais dos alunos denunciantes fossem jornalistas, políticos, empresários ou diretores de ONGs, ou seja, formadores de opinião com acesso à grande mídia. 

Na verdade, o assunto teve boa repercussão naquela época, mas, como sempre, a mídia se calou após a promessa de apuração da Secretaria da Educação. Reveja os 3 vídeos veiculados em 2004, quando o autoritarismo nessa escola atingiu proporções gigantescas, com alunos de Ensino Fundamental recebendo castigos cruéis e constrangedores, além de a escola apresentar grave desvio e manipulação de verbas. Atenção: a apresentação dos vídeos é igual, mas assista a todos, pois contêm depoimentos de pais de alunos diferentes.













Saiba agora o que entendemos por "apuração" da Secretaria da Educação, um assunto que não nos cansamos de abordar aqui: trata-se de uma farsa para penalizar os denunciantes, quando se trata de pais de alunos ou de professores que se atrevem a testemunhar contra a direção da escola ou a supervisão de ensino.


Preste bem atenção nas conclusões dessa "apuração":


Após 1 ano das denúncias, a professora Suely Valente, educadora de rara envergadura moral, a única que teve coragem de apoiar os pais denunciantes, testemunhando contra a direção da escola, foi compulsoriamente readaptada por "problemas psiquiátricos administrativos" (sic), tendo recebido  PUNIÇÃO de suspensão durante 90 dias, sem vencimentos. 


Após 7 anos, ou seja, em outubro de 2010, a diretora da escola recebeu a mesma pena dada à professora Suely Valente 7 anos antes, ou seja, suspensão durante 90 dias, sem vencimentos.


Isso é justiça???
Entendemos que hoje, 8 anos depois dessas denúncias escabrosas, a injustiça corre solta na Secretaria da Educação, pois esse caso da EE David Eugênio dos Santos é um convite ao abuso de autoridade em qualquer escola, sendo que pais e professores conscientes de sua cidadania pensarão muitas vezes antes de se atreverem a fazer qualquer denúncia, sob pena de verem os filhos perseguidos ou perderem seu cargo e salários.

O único desdobramento positivo dessa história sórdida é que, finalmente, a culpa da diretora da escola foi reconhecida, mesmo 7 anos após os crimes. A esta altura, entendemos que a professora Suely deveria ser totalmente inocentada e ressarcida pelo Estado de todos os prejuízos sofridos, e que a diretora da escola deveria ser demitida a bem do serviço público. Esperamos que a professora Suely continue sendo Valente e cobre tintim por tintim todos os prejuízos sofridos, como exemplo para que outras vítimas desse sistema educacional perverso não sejam duplamente penalizadas. Nós, contribuintes, teremos finalmente o prazer de saber que os nossos impostos serão úteis para fazer um mínimo de JUSTIÇA! 

Será porém impossível apagar os traumas vividos pelas crianças vítimas dos castigos e constrangimentos sofridos nessa escola. Esse prejuízo é irrecuperável!

Comentários

Percival disse…
É com muito prazer que escrevo nesse site (blog) essas palavras de cunho social tão tristes.
É que eu não consigo entender o porque dentre uma escola, haja pessoas com atitudes apaticas, inescrupulosas, sordidas, mentes doentias etc...Porque essas pessoas maltratam tanto crianças ?
Temos vistos ao longo dos anos muitas domesticas, babas maltratando crianças atraves de videos feitos com cameras escondidas.
Não conseguimos colocar cameras nas salas de aula de escolas publicas, patios ou corredores, nas escolas em que são usadas esse tipo de crime diminue drasticamente, a pergunta que me faço sempre é porque estudar, mergulhar em livros e se tornar professor para se sentir poderoso frente à um ser de menor estatura, e sentir prazer em derruba-lo socialmente ?
O que aconteceu na escola David Eugenio dos Santos, no tempo em que meu filho estudou lá não acontece em nenhum manicomio, reportagens foram feitas, o jornal da tarde esteve lá fez a reportagem, por tres dias consecutivos esse conceituado jornal publicou a falta de profissionalismo dos docentes,programas de TV foram exibidos, provas incontestaveis foram apresentadas á justiça, eu mesmo flagrei (fotografei) o flagelo de crianças colocadas para fora da classe sem poder assistir aula submetidas ao vexame á vergonha ! fora outros absurdos cometidos com quem sequer sabe o porque de tanta irá !
Giulia disse…
Percival, é isso mesmo: são pessoas com atitudes sórdidas e perversas. Toda vez que eu uso esses termos, vem uma enxurrada de críticas, porque a imagem do professor "santo", na sociedade brasileira, acaba sempre sobreposta a todos os crimes que esses "santos" possam cometer. Ainda bem que existem pessoas como você, que têm a coragem de denunciar esses abusos. E que bom que você veio comentar o post, pois muitos duvidam da veracidade da história, ou então pensam que a gente pega matérias na mídia e quer "tirar vantagem", como se não tivéssemos contato com os pais e alunos envolvidos nas histórias que publicamos! Parabéns a você e à professora Suely Valente, que teve a extrema coragem de arriscar sua carreira para defender os alunos e se manteve firme, mesmo após ter sido punida de forma brutal. Pessoas como vocês, que se sacrificam para servirem de exemplo a outros, é que dão sentido à nossa luta inglória. Um grande abraço!

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola