Pular para o conteúdo principal

Antro de merda?!...


Você que frequenta este blog já sabe que raramente falamos de flores. Uma pena, pois o que mais gostamos de fazer é oferecer flores aos bons profissionais da educação. Entretanto, este é um espaço onde os pais e alunos da rede pública (muitas vezes também da particular) costumam chorar as mágoas, já que as autoridades ficam cegas, surdas e mudas aos seus apelos. O sistema educacional brasileiro é autoritário e gosta de REPRIMIR pais e alunos. Fato. Os profissionais que respeitam a comunidade escolar, infelizmente, são minoria. 

A frase que dá nome a este post foi dita por uma diretora de escola da rede estadual de São Paulo, referindo-se à unidade de onde provêm certos alunos da sua escola, que ela costuma chamar de vagabundos

Pronto! Agora vão chegar comentários duvidando que uma diretora de escola se comporte de forma tão inadequada... Estamos fartos da incredulidade de quem não conhece o sistema educacional brasileiro, onde os pais de alunos costumam assinar um termo de compromisso de bom comportamento dos filhos, mas os profissionais nem ao menos são orientados para tratar pais e alunos com um mínimo de urbanidade e boas maneiras. Leia clicando aqui nossa antiga Cartilha dos Direitos dos Alunos, onde registramos frases que pais e alunos já ouviram de profissionais da "educação". Antro de merda já é uma nova "pérola" da nossa coleção, que fazemos questão de anotar. 

Essa diretora acabou de expulsar dois alunos após um bate-boca, pois os profissionais que não sabem se dar ao respeito não suportam ser contrariados nem conseguem dialogar com pais e alunos. (Leia clicando aqui a história da vice-diretora que chamou outro aluno de Molequinho de merda e o expulsou em seguida, mais uma "pérola" da nossa coleção.)

No início da semana vamos levar este novo caso à Secretaria da Educação, pedindo que os alunos sejam reintegrados e que a SEE faça um comunicado para todas as escolas da rede, no sentido de coibir o uso de expressões ofensivas, constrangedoras ou chulas por parte dos profissionais da "educação". Sabemos que o mau comportamento da classe docente não é exclusivo da rede pública paulista, e sim generalizado em todo o país, mas alguém precisa dar o bom exemplo! Não é possível que o aluno brasileiro continue sendo tratado como capacho, pois os profissionais da educação, mais do que ninguém, deveriam saber que a criança e o adolescente SEGUEM O EXEMPLO dos adultos! 


Comentários

cremilda disse…
Então, eu prefiro dar o nome da escola.
Assim fica muito vago.
Acredito em tudo que você escreve. Boto fé mesmo.
Dar o nome da escola é importante, não para que professores acreditem em nós, que eu me lixo para o crédito de maus professores, mas para incomodar mesmo.
Giulia disse…
Eu sempre dou o nome da escola, mas só depois que o assunto está resolvido e o aluno protegido. Antes de incomodar, quero resolver. É uma estratégia.
Glória Reis disse…
E a maior inimiga de nossos alunos é a mídia que estimula cada vez mais essa violência e descaso com eles. Para todos os crimes da escola, eles citam atenuantes. Como aquela minha colega disse, cito no meu livro: "Posso até matar uma criança que nada me acontece..." (Amiga, poderia melhorar a cor da sua fonte no blog, está clara, meio apagada, a vista aqui está penando pra ler...rs. Acho que tem como ficar mais nítida)
Giulia disse…
Oi,Glorinha, outras pessoas já me disseram isso, mas aqui no meu monitor está tudo ok. Tente dar um CTRL + (control mais) para aumentar o tamanho da letra, acho que vai funcionar.

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Recebemos a seguinte mensagem de Manaus e a respondemos no comentário. Dê também sua opinião!
Sou ex-Conselheiro Tutelar e hoje trabalho como consultor de projetos sociais na Prefeitura. No entanto, estou sempre envolvido com o problema de atitudes arbitrárias em escolas públicas onde alunos são expulsos ou suspensos sem qualquer critério legal. Por este motivo gostaria de estar recebendo informações mais detalhadas sobre a legalidade desse procedimento adotado pelas escolas. Até que ponto a escola teria poderes para expulsar alunos, ou trata-se de um ato totalmente ilegal? Favor encaminhar informações jurídicas sobre o caso.

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola

Este é certamente o problema mais grave da escola brasileira: a expulsão de alunos. Além de não ser inclusiva, ela é inóspita para os alunos já matriculados e, na primeira oportunidade, eles são "convidados" a sair da escola, ou então, sumariamente expulsos. E aqui sempre fazemos o mesmo apelo aos pais: não permita que seu filho seja expulso, procure entender o que está por trás dessa atitude da escola! Tenha a coragem de enfrentar essa questão de cabeça erguida, não seja mais uma vítima de um sistema de exclusão.
Já falamos aqui exaustivamente sobre a expulsão na rede pública de ensino, que se dá de várias formas: "oficialmente", através do Conselho de Escola,  através de manobras dos diretores de escola, ou de forma "branca".

A expulsão na rede particular é tão ou até mais frequente do que na pública, e isso também já demostramos aqui diversas vezes. Mas na rede particular ela costuma ser melhor disfarçada, através de um "convite" para buscar …

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

De vez em quando a gente atende uns pais de alunos bem descontrolados, difícil manter a linha. Faço questão de reproduzir aqui toda a troca de mensagens com um cidadão que quase me tirou do sério... rs
Dia 4 de setembro "Por um acaso deparei com seu site. Gostaria de que me informassem se é LÍCITO aluno de escola pública ser agraciado; com merenda substanciosa ; material escolar, transporte, uniforme e até tablets, pelos quais pouco se exige de cuidados e/ou devolução; pelos PODERES PÚBLICOS, enquanto que alunos de escolas particulares, cujo custo é elevado e que foi assumidos pelos pais como opção, para que tenham uma escola  de melhor qualidade; não é fornecida merenda, material, livros, transporte,nem tablets em pé de IGUALDADE? Será que os cursos das escolas particulares são regidos por diretrizes, normas, conteúdos, ou programas de entidades estranhas ao Ministério da Educação do Governo Federal? Será que as crianças das escolas particulares não são Cidadãos Brasileiros? Será…