AULA VAGA = absenteísmo do professor







Você, que acompanha este blog há anos, é testemunha de quantas vezes sugerimos ao InepT uma pesquisa sobre a AULA VAGA, esse fenômeno que está entre as principais causas do apartheid educacional vivido pelo país, desde que a patroa resolveu separar seus filhos dos filhos da empregada,  tirando-os da escola pública e matriculando-os na rede particular.

Refrescando a memória: 
Leia clicando aqui a última vez que sugerimos a tal pesquisa.
Leia mais um pedido clicando aqui.
Leia mais um clicando aqui.
Cansou de ler? rsrs Vai mais um clicando aqui.
Agora chega, né? É o último (mas não o primeiro!), clique aqui.

Bom, nosso consultor "involuntário" (rs) Gustavo Ioschpe divulga no Twitter um artigo da ANPEC - Associação Nacional dos Centros de Pós-Graduação em Economia, sobre absenteísmo dos professores = AULA VAGA, tão difícil de entender quanto o próprio nome da instituição, rs... Leia o artigo clicando aqui.

O "paper" (adoro essa forma simplificada que o Gustavo usa para definir aquilo que no Brasil costuma ser especificado como estudo, pesquisa, análise, ensaio, tese ou outras empolações) parte de uma pesquisas sobre os motivos do absenteísmo, ou seja, das faltas dos docentes na escola, e seu impacto sobre o desempenho em matemática dos alunos da 4ª série na rede estadual de ensino.

O resumo da ópera (cujos detalhes não entendi e espero que alguém saiba explicar melhor nos comentários) é que o número de faltas de professores = AULA VAGA na rede pública paulista é assombroso e que os professores que mais faltam são aqueles que PODEM, ou seja, os concursados, que não correm o risco de serem demitidos.

Outra informação, que certamente serve para entender um pouco melhor o enorme número de aulas vagas na rede pública, é a seguinte: ao todo, o professor PODE faltar até 36 dias por ano. Dividido pelos 10 meses de aulas do ano letivo (você, que é trabalhador "comum", tem 2 meses de férias ao ano?...), são quase 4 dias por mês...

O maior problema, porém, não é no ensino fundamental, mas no médio. Então vejamos: se o aluno tem uma grade curricular que inclui aulas de

Matemática
Português
História
Geografia
Biologia
Física
Educação física
+ as "coqueluches"
Filosofia
Sociologia

e seus docentes faltarem a todas as aulas a que "têm direito", isso explica perfeitamente por que a AULA VAGA no ensino médio chega, em algumas escolas, a beirar 50%. Somam-se ao absenteísmo dos professores as licenças, as "festas", "eventos", "falta de água na escola" e demais ocorrências, para completar regiamente o quadro.

E aí, InepT, vai finalmente aceitar o desafio? rsrs

Se ainda alguém tiver dúvidas sobre o que é a AULA VAGA, segue nosso artigo de 1994, publicado e republicado N vezes, mas ainda INFELIZMENTE atual: clique aqui para ler.

Comentários

Giulia,
Nós já cansamos de dizer que a principal diferença entre escola pública e escola privada é a falta de professores, as aulas vagas.
Lembramos sempre do vídeo Pro Dias Nascer Feliz:

Violência Escolar e Enganação Escolar
http://www.youtube.com/watch?v=BDkcAzpRerM
Giulia disse…
É uma canseira, né, Mauro? Ter que repetir sempre as mesmas coisa e não ter certeza alguma de que serão entendidas! Ufaaaaaaaa!
E aí, Giulia?
Já indicou as escolas que sofrerão uma blitz?
Giulia disse…
Mautro, infelizmente não confio em "blitz" agendada. Se você me pedir a indicação na véspera, posso dar, mas sem saber quando será a blitz, acho que pode dar gol contra...
Osmar José Paz Delmaschio disse…
Giulia, sobre o vídeo, muitas desas coisas realmente existem.Todas essas coisas estão acontecendo na educação por uma séries de fatores. Falta de compromisso de diretores,falta de professores responsáveis, omissão de pais e desvalorização de professores. Eleições diretas para diretores e facilidade na demissão de maus profissionais resolveriam a situação. Por outro lado Giulia, professor bom ganha muito pouco pelo que faz e professor ruim ganha muito bem pelo que não faz. Um abraço !
Giulia disse…
Mauro, explico melhor: você tem toda a liberdade para pegar aqui do blog o nome das escolas que a comunidade denuncia - isso tem aos montes. O que não quero é EU INDICAR essas escolas e depois ficar sabendo que no dia em a "caravana" tiver ido lá tudo estava "lindo e maravilhoso", os alunos encabulados sem falar absolutamente nada porque já foram devidamente ameaçados pela direção, etc. etc. Entende? Essa frustração não quero ter mais, já chega o dia que fui para uma escola na Penha e nenhum dos denunciantes apareceu, fiquei eu como uma pamonha na filmagem da Globo...

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola