Pular para o conteúdo principal

Taxas e cobranças indevidas nas escolas: sujeitas a multa?



Segue abaixo publicação transcrita da Folha de São Paulo. Duas palavras da matéria da Folha foram grifadas por nós em vermelho, entenda por que:

As palavras VETAVA e  ALGUNS são inadequadas, já que a Lei Estadual 3.913, de 14 de novembro de 1983 ainda está em vigor. Além disso, não apenas algumas, mas a maioria das escolas adota a prática de cobrança de taxas, como você pode ler clicando aqui, aqui e aqui. Assim, a frase correta ficaria assim: "Uma lei de 1983 já VETA a cobrança de tarifas dos estudantes, mas A MAIORIA dos colégios adota a prática". 

No título do post, colocamos ponto de interrogação, pois nada garante que a Justiça mantenha a decisão em última instância... Esperamos que a Folha e a restante mídia se interessem em acompanhar o assunto, de grande importância para a comunidade escolar!

Folha de São Paulo, 21 de abril de 2012

JUSTIÇA IMPÕE MULTA POR COBRANÇA DE TAXA EM ESCOLA

SP terá de pagar R$ 10 mil caso haja cobrança

A Justiça decidiu impor uma multa ao governo de São Paulo caso suas escolas públicas cobrem qualquer taxa dos estudantes.

A decisão, que prevê o pagamento de R$ 10 mil em caso de descumprimento, é liminar (provisória) e cabe recurso. Uma lei de 1983 já VETAVA a cobrança de tarifas dos estudantes, mas ALGUNS colégios adotam a prática.

Em 2009, a Folha mostrou que a Escola Estadual São Paulo cobrava até R$ 2 pela realização das provas bimestrais. Neste mês, a Folha publicou que a taxa persistia. Na ação proposta pela ONG Ação Educativa são citadas ao menos outras cinco escolas que cobravam taxas.

Na decisão, a juíza afirma que "o próprio Estado parece ter dificuldade de impor aos seus operadores o cumpriment6o dos ditames constitucionais (regras)".

Questionada se fiscaliza a prática na sua rede, a Secretaria de Estado da Educação não respondeu. A secretaria afirmou, porém, que "nenhuma taxa pode ser cobrada" pelas escolas e que ainda não foi notificada pela decisão judicial.

Comentários

Anônimo disse…
Isso é muito triste em saber que muitas pessoas são lesadas, tudo isso é por falta de conhecido, sendo isso adquirimos dentro das escola, isso mostra que em nenhum lugar nos passa a informação correta.

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Recebemos a seguinte mensagem de Manaus e a respondemos no comentário. Dê também sua opinião!
Sou ex-Conselheiro Tutelar e hoje trabalho como consultor de projetos sociais na Prefeitura. No entanto, estou sempre envolvido com o problema de atitudes arbitrárias em escolas públicas onde alunos são expulsos ou suspensos sem qualquer critério legal. Por este motivo gostaria de estar recebendo informações mais detalhadas sobre a legalidade desse procedimento adotado pelas escolas. Até que ponto a escola teria poderes para expulsar alunos, ou trata-se de um ato totalmente ilegal? Favor encaminhar informações jurídicas sobre o caso.

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola

Este é certamente o problema mais grave da escola brasileira: a expulsão de alunos. Além de não ser inclusiva, ela é inóspita para os alunos já matriculados e, na primeira oportunidade, eles são "convidados" a sair da escola, ou então, sumariamente expulsos. E aqui sempre fazemos o mesmo apelo aos pais: não permita que seu filho seja expulso, procure entender o que está por trás dessa atitude da escola! Tenha a coragem de enfrentar essa questão de cabeça erguida, não seja mais uma vítima de um sistema de exclusão.
Já falamos aqui exaustivamente sobre a expulsão na rede pública de ensino, que se dá de várias formas: "oficialmente", através do Conselho de Escola,  através de manobras dos diretores de escola, ou de forma "branca".

A expulsão na rede particular é tão ou até mais frequente do que na pública, e isso também já demostramos aqui diversas vezes. Mas na rede particular ela costuma ser melhor disfarçada, através de um "convite" para buscar …

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

De vez em quando a gente atende uns pais de alunos bem descontrolados, difícil manter a linha. Faço questão de reproduzir aqui toda a troca de mensagens com um cidadão que quase me tirou do sério... rs
Dia 4 de setembro "Por um acaso deparei com seu site. Gostaria de que me informassem se é LÍCITO aluno de escola pública ser agraciado; com merenda substanciosa ; material escolar, transporte, uniforme e até tablets, pelos quais pouco se exige de cuidados e/ou devolução; pelos PODERES PÚBLICOS, enquanto que alunos de escolas particulares, cujo custo é elevado e que foi assumidos pelos pais como opção, para que tenham uma escola  de melhor qualidade; não é fornecida merenda, material, livros, transporte,nem tablets em pé de IGUALDADE? Será que os cursos das escolas particulares são regidos por diretrizes, normas, conteúdos, ou programas de entidades estranhas ao Ministério da Educação do Governo Federal? Será que as crianças das escolas particulares não são Cidadãos Brasileiros? Será…