Pular para o conteúdo principal

Pedagogia esquizofrênica

Como os demais, o último artigo de Gustavo Ioschpe na Veja, A utopia sufoca a educação de qualidade, é lúcido e instigante. A velha questão da ideologia nos programas pedagógicos é discutida há anos, mas ainda não há um consenso a respeito. 

Cabe ressaltar que na época da publicação da LDB - Lei de Diretrizes e Bases da Educação, havia uma sincera intenção de alguns grupos, no sentido de que a educação viesse a "formar cidadãos". Hoje, no entanto, essa intenção não passa de uma cortina de fumaça para mascarar o descaso, a hipocrisia, o autoritarismo e a incompetência com que é tratado o aluno da rede pública de ensino. 

Um exemplo bastante claro é a forma como são tratadas as disciplinas de filosofia e sociologia, impingidas ao aluno do Ensino Médio, o mesmo que não teve a oportunidade de ser suficientemente alfabetizado para ter uma condição mínima de exercer sua cidadania:

O mesmo professor que "dá" filosofia para seus alunos adolescentes não consegue explicar-lhes porque, muitas vezes, são tratados aos berros, xingados de "merda", de "bicha" ou simplesmente expulsos da escola, contrariando não apenas a Constituição, mas qualquer princípio de ética que estejam lhes "ensinando" através dessa disciplina. 

O mesmo professor que lhes impinge (quais?) noções de sociologia não lhes explica por que são vítimas de um apartheid educacional que separa os alunos em possíveis doutores e em eternos repetentes ou desistentes do Ensino Médio, esse curso que liga o nada a coisa nenhuma e afasta seus alunos de um mercado de trabalho cada vez mais exigente. 

Mas, de todas as ilusões que a pedagogia "cidadã" tenta impingir à sociedade, a pior de todas é o direito à aula diária. Não estamos aqui falando nem de qualidade do ensino, assunto que é minimamente abordado pela mídia (ao menos em ano eleitoral...): o buraco é mais embaixo! O aluno da escola pública, dependendo da região, do curso e da rede que frequenta, costuma ter de 20 a 50% A MENOS das aulas previstas.Trata-se da famigerada AULA VAGA, esse divisor de águas entre a escola pública e a particular, onde os professores não têm "direito à falta", pois podem perder o emprego, como em toda empresa privada.

Gustavo Ioschpe é um gentleman, dono de um estilo elegante e irônico que levanta alguns véus sobre a falta de vontade política para a implantação de uma pedagogia realmente eficiente e eficaz em nível nacional. Embaixo desses véus, porém, existe uma manta negra que impede a realização dessa prioridade. A pedagogia em vigor é esquizofrênica e o país está muito longe da cura. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Recebemos a seguinte mensagem de Manaus e a respondemos no comentário. Dê também sua opinião!
Sou ex-Conselheiro Tutelar e hoje trabalho como consultor de projetos sociais na Prefeitura. No entanto, estou sempre envolvido com o problema de atitudes arbitrárias em escolas públicas onde alunos são expulsos ou suspensos sem qualquer critério legal. Por este motivo gostaria de estar recebendo informações mais detalhadas sobre a legalidade desse procedimento adotado pelas escolas. Até que ponto a escola teria poderes para expulsar alunos, ou trata-se de um ato totalmente ilegal? Favor encaminhar informações jurídicas sobre o caso.

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola

Este é certamente o problema mais grave da escola brasileira: a expulsão de alunos. Além de não ser inclusiva, ela é inóspita para os alunos já matriculados e, na primeira oportunidade, eles são "convidados" a sair da escola, ou então, sumariamente expulsos. E aqui sempre fazemos o mesmo apelo aos pais: não permita que seu filho seja expulso, procure entender o que está por trás dessa atitude da escola! Tenha a coragem de enfrentar essa questão de cabeça erguida, não seja mais uma vítima de um sistema de exclusão.
Já falamos aqui exaustivamente sobre a expulsão na rede pública de ensino, que se dá de várias formas: "oficialmente", através do Conselho de Escola,  através de manobras dos diretores de escola, ou de forma "branca".

A expulsão na rede particular é tão ou até mais frequente do que na pública, e isso também já demostramos aqui diversas vezes. Mas na rede particular ela costuma ser melhor disfarçada, através de um "convite" para buscar …

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

De vez em quando a gente atende uns pais de alunos bem descontrolados, difícil manter a linha. Faço questão de reproduzir aqui toda a troca de mensagens com um cidadão que quase me tirou do sério... rs
Dia 4 de setembro "Por um acaso deparei com seu site. Gostaria de que me informassem se é LÍCITO aluno de escola pública ser agraciado; com merenda substanciosa ; material escolar, transporte, uniforme e até tablets, pelos quais pouco se exige de cuidados e/ou devolução; pelos PODERES PÚBLICOS, enquanto que alunos de escolas particulares, cujo custo é elevado e que foi assumidos pelos pais como opção, para que tenham uma escola  de melhor qualidade; não é fornecida merenda, material, livros, transporte,nem tablets em pé de IGUALDADE? Será que os cursos das escolas particulares são regidos por diretrizes, normas, conteúdos, ou programas de entidades estranhas ao Ministério da Educação do Governo Federal? Será que as crianças das escolas particulares não são Cidadãos Brasileiros? Será…