Pular para o conteúdo principal

A voz do aluno nº 5 - Alunos expulsos procuram a Diretoria de Ensino


Lembra da história dos dois alunos expulsos por terem feito uma brincadeira com o nome da diretora da escola? Leia clicando aqui. Pois é, o III mandamento da lei de Moisés é muito claro: "Não pronunciarás o nome da Senhora tua Diretora em vão"... rsrs

Constrangidos, envergonhados, humilhados, eles foram procurar a Diretoria de Ensino para contar sua versão da história e foram tratados com o mesmo descaso. Leiam o depoimento de um dos alunos:

Fomos a primeira vez na DE na quinta feira (29/03), ficamos uns 30 min lá, aí nos informaram que era somente com a Neuza, que não se encontrava. No dia seguinte (30/03) ligamos lá e informaram que a Neuza estaria só segunda feira, fomos então na segunda (02/04) e esperamos ela por quase 3 horas, então desistimos, deixamos nossos telefones e aguardamos o contato que não existiu. Na terça-feira (03/04) ligamos e informaram que a Neuza só estaria lá na quinta, enfim.

Fomos lá hoje (quinta, 05/04) e finalmente atendidos mas muito mal ouvidos. Entramos na sala, cumprimentamos,  estava a Neuza e a mulher que nos atendeu a primeira vez.

Expliquei um pouco do acontecido, perguntei sobre expulsar aluno sem ele ter nenhuma advertência e falei do desrespeito da diretora. A Neuza não quis saber detalhes, apontou pra um caderno na sua mesa e nos disse que já havia ligado pra escola, ouvido o caso com a diretora e professores, e que o conselho definitivamente já tinha decidido pela nossa expulsão. Fiquei indignado e questionei: COMO PODE OUVIR E DAR RAZÃO A ELES SEM NEM TER OUVIDO O NOSSO LADO? Perguntei se a escola podia expulsar um aluno por ele não fazer lição na sala, e ela disse que sim, que a transferência compulsória é avaliada pelo Conselho e pode ser aplicada independente do caso. Perguntei  se eu não devia ter sido advertido verbalmente primeiro, sentar e conversar? Aí ela deu um exemplo ridículo: SE UM ALUNO DÁ UM SOCO NO OUTRO E QUEBRA O DENTE DELE, ELE DEVE SER ADVERTIDO? DEPOIS NO OUTRO DIA QUEBRA OUTRO, ELE TOMA SUSPENSÃO? No caderno ela mostrou umas acusações que tenho total certeza que é invenção ou nos confundiram com alguém, tais como "impedir o professor de entrar na sala". "desrespeitar professor", e outras calúnias. 

Fiquei nervoso com isso, achei uma negligência por parte delas, não quiseram dar o minimo de razão pra gente, ela não perguntou nenhum detalhe de nada, só queria nos convencer de que estávamos totalmente errados e que deveríamos aceitar a decisão, e eu perguntei  TENHO CERTEZA DE QUE TODOS VÃO FICAR CONTRA A GENTE, TEM ALGUÉM AQUI QUE POSSA DEFENDER OS DIREITOS DO ALUNO? Ela respondeu: NÃO TEM COMO RECORRER.

Senti no tratamento dela descaso e preguiça para cuidar do caso, como se fosse mais cômodo dar razão à escola do que ao aluno, pois ela não apresentou motivos suficientes e de peso pra estar concordando 100% com a escola, ela simplesmente concordou. 

Comentários

Claudia Costin, via Twitter disse…
Triste relato... isso não pode ocorrer.
Giulia disse…
O comentário acima, da Secretária de Educação do Município do Rio de Janeiro, Claudia Costin, foi copiado e colado do seu Twitter. Sempre publicamos no Twitter os links para os nossos posts com depoimentos de alunos e eles nunca foram comentados por nenhuma autoridade. A Secretária Claudia Costin, que sempre elogiamos aqui pelo lindo e competente trabalho que desenvolve na educação carioca, demonstra também a rara coragem de se posicionar a favor dos alunos. Parabéns, Secretária!
Giulia disse…
Informamos à Secretária Claudia Costin que estamos empenhados na reintegração dos alunos e ela respondeu através de seu twitter @ClaudiaCostin: Ficarei na torcida!!!
cremilda disse…
Ontem faltou você e você fez falta assim como o Tertuliano, na OAB.
Foi produtiva, incomodamos bastante.
Marcamos nossa posição embora estivessemos em esmagadora minoria.
Giulia disse…
Vocês é que fizeram falta ontem na Secretaria! Fui esmagada por 7 dirigentes de ensino, rsrs. Mentira: a reunião foi ótima, só não estou tendo tempo para comentar.
Osmar José Paz Delmaschio disse…
Os profissionais da educação deveriam saber que os alunos são na maioria adolescentes , que ainda estão em fase de formação de personalidade e a função da escola é educar e nunca expulsá-los, colocá-los na rua,empurrando-os, às vezes no mundo do crime. Em casos muitos graves, até concordaria com uma transferência e advertência aos pais por parte do promotor da infância, mas expulsar um aluno por uma brincadeira com o nome da diretora é um exemplo clássico de uma atitude que não deve ser tomada.Quantas vezes, nesses meus 19 anos de magistério algum aluno já fez alguma brincadeira com o meu nome. Quando isso ocorreu procurei mostrar a els a importância de se respeitar as autoridades, os benefícios para a formação do caráter desses alunos.

Um abraço Giulia
Karla Campos disse…
Sou mãe de aluno e acho que sempre temos que ver os dois lados: escola e alunos. Nossos filhos também não são são fáceis. Não se trata de defender uns e atacar outros, mas saber até que ponto os fatos realmente aconteceram. O problema é que realmente há escolas despreparadas, por outro lado, os jovens de hoje já não respeitam a escola e nem professores e também estão cada vez mais sem comprometimento com a própria educação. Isso é reflexo de nossa política educacional que não valoriza a educação como deferia ser. Assim, vemos que os dois lados devem assumir suas falhas: tanto alunos que não tem comprometimento, como a escola que está despreparada para este jovem da sociedade atual.
Giulia disse…
Pois é, Karla, você também deve achar que defendemos os alunos em qualquer situação. Está muito errada! Somos pais e sabemos que muitas vezes eles podem nos manipular. Pode ter certeza de que quando resolvemos defender alunos junto à Secretaria da Educação já procuramos apurar todos os fatos. O caso em questão é de uma diretora autoritária, grossa, mentirosa e covarde, pois tentou desmentir os FATOS. Você acha que deveríamos deixar tudo como está?
Karla Campos disse…
Não Giulia, só quero dizer que precisamos cobrar do Governo maiores investimentos em Educação, para que os melhores profissionais sejam atraídos para o magistério. Como eu disse: a escola de hoje não está preparada para os jovens da nova sociedade, como também o jovem não valoriza esta escola nos moldes em que ela está. Por isso, acho que faz sentido cobrar políticas públicas educacionais. Que seja possível selecionar os melhores profissionais, e que profissionais ruins também possam ser afastados sem tanta burocracia (muitas vezes reclamei da escola). Também acho que há alunos que realmente atrapalham as aulas, pois estão desisteressados ou tem problemas psicológicos (muitas vezes fiquei com medo de mandar meu filho para escola). Os dois lados precisam rever a postura frente a escola. Espero ter esclarecido.

Postagens mais visitadas deste blog

A expulsão é legal?

Recebemos a seguinte mensagem de Manaus e a respondemos no comentário. Dê também sua opinião!
Sou ex-Conselheiro Tutelar e hoje trabalho como consultor de projetos sociais na Prefeitura. No entanto, estou sempre envolvido com o problema de atitudes arbitrárias em escolas públicas onde alunos são expulsos ou suspensos sem qualquer critério legal. Por este motivo gostaria de estar recebendo informações mais detalhadas sobre a legalidade desse procedimento adotado pelas escolas. Até que ponto a escola teria poderes para expulsar alunos, ou trata-se de um ato totalmente ilegal? Favor encaminhar informações jurídicas sobre o caso.

Respeito ao aluno, 3ª Parte. A expulsão da escola

Este é certamente o problema mais grave da escola brasileira: a expulsão de alunos. Além de não ser inclusiva, ela é inóspita para os alunos já matriculados e, na primeira oportunidade, eles são "convidados" a sair da escola, ou então, sumariamente expulsos. E aqui sempre fazemos o mesmo apelo aos pais: não permita que seu filho seja expulso, procure entender o que está por trás dessa atitude da escola! Tenha a coragem de enfrentar essa questão de cabeça erguida, não seja mais uma vítima de um sistema de exclusão.
Já falamos aqui exaustivamente sobre a expulsão na rede pública de ensino, que se dá de várias formas: "oficialmente", através do Conselho de Escola,  através de manobras dos diretores de escola, ou de forma "branca".

A expulsão na rede particular é tão ou até mais frequente do que na pública, e isso também já demostramos aqui diversas vezes. Mas na rede particular ela costuma ser melhor disfarçada, através de um "convite" para buscar …

Escola pública ou particular. Qual a sua opção?...

De vez em quando a gente atende uns pais de alunos bem descontrolados, difícil manter a linha. Faço questão de reproduzir aqui toda a troca de mensagens com um cidadão que quase me tirou do sério... rs
Dia 4 de setembro "Por um acaso deparei com seu site. Gostaria de que me informassem se é LÍCITO aluno de escola pública ser agraciado; com merenda substanciosa ; material escolar, transporte, uniforme e até tablets, pelos quais pouco se exige de cuidados e/ou devolução; pelos PODERES PÚBLICOS, enquanto que alunos de escolas particulares, cujo custo é elevado e que foi assumidos pelos pais como opção, para que tenham uma escola  de melhor qualidade; não é fornecida merenda, material, livros, transporte,nem tablets em pé de IGUALDADE? Será que os cursos das escolas particulares são regidos por diretrizes, normas, conteúdos, ou programas de entidades estranhas ao Ministério da Educação do Governo Federal? Será que as crianças das escolas particulares não são Cidadãos Brasileiros? Será…